sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Humanos com factor Rh Negativo com ancestrais alienígenas





Nova teoria diz que humanos 
com factor Rh Negativo 
pertencem a uma linhagem extraterrestre



Nós humanos temos quatro tipos sanguíneos gerais: A, B. AB e O.

Esta classificação é derivada, de acordo com cientistas, das proteínas que são encontradas na superfície celular projectadas para combater bactérias e vírus no corpo humano.
A grande maioria dos humanos neste planeta possui estas proteínas, o que significa que seu factor sanguíneo é Rh Positivo.  Mas um grupo minoritário, com Rh Negativo, falta estas proteínas.
Assim, como seria esta crucial diferença explicada cientificamente?  
E por que ela existe?
Através dos anos, vários estudos científicos têm procurado por estas respostas.

Agora, alguns cientistas acreditam ter encontrado uma coisa fascinante a respeito dos Rhs Positivo e Negativo.  De acordo com esta teoria “científica”, num passado distante, seres extraterrestres visitaram a Terra e criaram, através de “manipulação genética”, o Rh Negativo, com a intenção de criarem uma raça de “escravos”.

O povo Basco da Espanha e França possui o maior percentual de sangue com Rh negativo. Aproximadamente 30% possui (rr) Rh Negativo e aproximadamente 60% carrega um gene (r) negativo.

Mas, alienígenas… realmente?
Segundo os investigadores, isto explicaria o porquê das mães com Rh Negativo não tolerarem fetos com Rh Positivo; assim, esta intolerância radical e difícil de explicar pela maior parte das leis naturais deriva de uma modificação genética antiga, o que explica porque os grupos de Rh Positivo e Rh Negativo tendem a se ‘repelir, ao invés de se juntar.

Esta teoria nos leva aos tempos da antiga Suméria, quando uma raça de alienígenas altamente avançados teria vindo de outro lugar do cosmos;  Os Anunnakis, teriam construído e criado as primeiras sociedades humanas.

Acredita-se que estes seres antigos planearam e alteraram geneticamente as espécies humanas primitivas, criando seres mais fortes e mais ‘adequados’, os quais foram usados como escravos num passado distante.

O Rh Negativo seria o legado que os Anunnakis deixaram na Terra, entre outras coisas.
De forma interessante, o tipo Rh Negativo é característico, por exemplo, na família real britânica, o que gerou muitas teorias controversas sobre uma possível linhagem extraterrestre. Embora esta hipótese não tenha sido confirmada, as questões perturbadoras que ela gera pairam no ar: Como o mundo civilizado iria reagir ao facto de que uma porção pequena da população terrestre possui código genético que foi alterado no passado distante por seres extraterrestre altamente avançados?

E se fosse possível que o grupo de pessoas com Rh Negativo tivesse uma conexão com seres de fora da Terra?
E se ainda houver uma conexão misteriosa entre eles?
Como a vida na Terra mudaria?



in, Ancient Code


Agora, indo à origem:

Na genética humana, Haplogrupo Y, E1b1b (E-M215), é uma das principais linhas paternas da humanidade, ligando de pai para filho e voltando a um ancestral masculino de linhagem comum.

Existe também, o E1b1b1 (M35)

Enquanto o EM215 é geral na população humana, o EM35 ramificou-se separadamente!


Um facto muito curioso é que a linhagem EM35 está num ramo Africo-Asiática e são:
JUDEUS!!!!

Linhagens masculinas que são E1b1b1 (E-M35).

18% a 20% de Ashkenazi
8,6% a 30% de sefaraditas

E todos esses são uma das principais linhagens de fundadores da população judaica.

Não se esqueçam o M35 veio do 215, então tinham que ter algo igual.

Agora vem uma coisa interessante, a maioria que vem do puríssimo M35 ( não todos!), são do sangue RH NEGATIVO!

Se toda a humanidade evoluiu a partir do mesmo ancestral seu sangue seria compatível.
De Onde é que os humanos de sangue Rh negativos vêm? 
Se eles não são os descendentes do homem pré-histórico...são de quem?

Todos os animais e outras criaturas conhecidas pelo homem, podem cruzar com qualquer outro de sua espécie.
Porque a doença hemolítica do bebé ocorre em humanos, se todos os seres humanos são da mesma espécie? Doença hemolítica é a reacção alérgica que ocorre quando uma mãe Rh negativo carrega um filho Rh positivo. No sangue acumulam-se anticorpos para destruir uma substância estranha (da mesma forma que seria um vírus), seríamos nós um vírus para as pessoas ditas “puras”?

Vamos agora às pessoas famosas que tem o cromossomo (Y) E1b1b1-EM35 e ramificados dele:

Os testes foram feitos óbvio a partir do DNA:

Rei Sweyn II da Dinamarca
Marie Antoinette
Imperatriz Alexandra Feodorovna da Rússia
Príncipe Philip da Inglaterra, duque de Edimburgo
James McGovern
Petrarca
Jesse James
Christian Cardell Corbet
Stephen Colbert
Desmond Tutu
Nelson Mandela
Benjamin Franklin
Princesa Alice do Reino Unido
Zachary Taylor,
William McKinley
Woodrow Wilson
Thomas Jefferson
Joseph Stalin
Genghis Khan
Adolf Hitler
Os Irmãos Wright
Albert Einstein

Agora, vocês perguntam:
Como estas mulheres estão aqui nesta lista, se as mulheres têm 2 cromossomas XX, e só os homens têm o cromossoma Y, que passa de pai para filho?
O DNA das mulheres só pode ser analisado através do Genoma Mitocondrial.

O teste Y-DNA testa o cromossoma Y que faz parte do par XY de cromossomas que determina o sexo masculino. Por este motivo, este teste apenas pode ser realizado por homens – as mulheres podem testar um irmão, pai ou outro homem da mesma linha do pai. Uma vez que o DNA da mãe não participa da mistura de genes neste cromossoma, o Y é passado exclusivamente de pai para filho com muito poucas alterações.
O teste mtDNA sequencia o ADN das mitocôndrias que fazem parte das nossas células. Ao contrário do ADN nuclear que resulta da recombinação do ADN de ambos os progenitores, o nosso ADN mitocondrial é passado exclusivamente pela nossa mãe. Com este teste é portanto possível testar a linha materna e descobrir possíveis parentes com antepassados comuns nessa linha das mães das mães.
Ao contrário do teste Y-DNA, este mtDNA pode ser feito tanto por mulheres como por homens. 

Então, como foi possível analisar o Genoma Mitocondrial destas mulheres?
Através da Genealogia Genética.

Em 1981, Frederick Sanger e S. Anderson, do Laboratório de Biologia Molecular da Universidade de Cambridge publicaram um artigo sobre o estudo que fizeram do Genoma Mitocondrial Humano, em que analisaram a sequência completa das 16. 519 bases de pares do genoma mitocondrial humano.
A partir desse estudo, vários esqueletos foram analisados para identificação de identidade.

Por exemplo, no caso da Rainha de França Maria Antonietta, o seu DNA Mitocondrial foi analisado para fins de comparações familiares.

Para os mais cépticos, podem saber mais sobre o assunto em:
European Journal of Human Genetics(EJHG):"Mitochondrial DNA analysis on remains of a putative son of Louis XVI, King of France and Marie-Antoinette - EJGH 6, 383- 395 (30 de Julho de 1998)" 
" Mitochondrial DNA analysis of the putative heart of Louis XVII, son of Louis XVI and Marie-Antoinette - EJHG 9, 185- 190 (8 de Março de 2001)

O mesmo aconteceu com o resto das mulheres da lista, que também tiveram o DNA Mitocondrial analisado, conforme referido no European Journal of Human Genetics.



13 Famílias de sangue "azul" ( Rh- ), os Illuminati. 
Estas famílias têm descendência que vem da Babilónia, 13 famílias de elevado poder mundial, pois todas elas são de origem real.
Das misturas por casamentos destas 13 famílias, existem hoje 300 mais e ainda hoje, os casamentos são organizados entre elas, ainda hoje praticam uma espécie de selecção artificial como se estivessem a criar cavalos de corrida.

Temos o exemplo do casamento do Príncipe Carlos com Diana que teve como objectivo o nascimento de William em que até o dia do seu nascimento foi escolhido. Após a separação, Diana acabou envolvida com outro homem das elites.
Outro exemplo foi Jackie Kennedy ( uma das 13 famílias illuminati ) que após a morte do seu marido, casou com Onássis que pertence a outra das 13 famílias.
A própria família dos Bush e a família Chenney (Ex-Presidente e Vice Presidente), não só são parentes entre si, como são parentes da família Real britânica.

A ideia de só procriarem dentro deste circulo de famílias, serve não só para manter as fortunas e poder na família, mas também por acreditarem que possuem o sangue dos seres humanos Não-Escravos ou seja o Rh- .
É por isto que não encontrarão uma família Real com sangue Rh+.

Aqui vos deixo uma Tabela com grupos sanguíneos, quantas pessoas existem com estes grupos sanguíneos ( x em casa y ), e percentagem de pessoas existentes:

O+ ( 1 em 3) ---> 38,4 %
O- (1 em 15)-->7,7 %
A+ ( 1 em 3) --->32,3 %
A- (1 em 16)---> 6,5 %
B+ ( 1 em 12)--->9,4%
B- (1 em 67) --->1,7 %
AB+ (1 em 29)--> 3,2%
AB- (1 em 167)-> 0,7%


Este facto leva a questionar o que será que eles acham haver no sangue ( Rh-) que os leva a serem pessoas dominantes ou dominadoras apesar de serem unicamente 15% da população mundial…
Existe um controlo politico e económico a nível mundial por parte deste grupo e das 300 famílias que controlam o mundo financeiro, alimentar e politico, e são todas ( Rh-).
As suas árvores genealógicas levam-nos invariavelmente sempre ás mesmas famílias, o que me leva a crer que existiu um controlo artificial selectivo de sangue através dos séculos, como são exemplo no passado os casamentos Reais que tiveram esse fim em mente.

Pessoas com Rh negativo grupo sanguíneo tem certas características que parecem ser incomuns entre a maioria. Aqui está uma breve lista das mais comuns:


  • Vértebra Extra.
  • QI Maior do que o médio
  • Visão mais sensíveis e outros sentidos.
  • Temperatura diferente na parte inferior do corpo
  • Pressão arterial mais elevada
  • A ocorrência crescente de habilidades psíquicas / intuitivas
  • Predominantemente olhos azuis, verdes, ou Hazel
  • O cabelo Vermelho ou avermelhado
  • Tem aumento da sensibilidade ao calor e à luz solar
  • Não pode ser clonado
  • Fenómeno igena Abducao Alien inexplicável e outros


Será que o factor RH negativo foi introduzido a partir de uma fonte externa? 
Poderia ser a fonte de seres humanos de outro planeta?
Ou talvez não sejam tão estranhas, na medida em que, nós somos um produto da sua manipulação e interferência.
Eles poderiam ter vindo aqui e manipulado formas já presentes na terra para criar o homem moderno?

Um cientista genético, respondeu que o tipo O positivo era o tipo sanguíneo mais velho. 
Pois bem, de acordo com estudiosos, por volta de 30.000 a 40.000 a.C., os primeiros homens das cavernas que habitaram o planeta tinham o sangue do tipo O, e por isso este tipo é considerado um sangue primitivo. Nesta época todos tinham o mesmo tipo sanguíneo e por milhares de anos este foi o único tipo de sangue existente. É o mais frequente ainda hoje. O tipo O marcou a ascensão do homem ao topo da cadeia alimentar. Ele era caçador activo, todos comiam as mesmas coisas, respiravam o mesmo ambiente e tinham as mesmas doenças.

Houve uma mudança da condição de caçador para um modo de vida mais “agrário-domesticador”. Então por volta de 25.000 a 15.000 a.C. na Ásia ou no Oriente Médio, surgiu o sangue do tipo A, nessa época o homem já era mais sociável e colaborativo.

O sangue do tipo B apareceu por volta de 10.000 – 15.000 anos a.C. na região da cordilheira do Himalaia, quando foi necessária a primeira grande adaptação foi ao clima e o ambiente bastante diferenciado.
Hoje em dia, o tipo B é encontrado dominante desde o Japão, Mongólia e China e o oeste da Europa. Os alemães e austríacos apresentam uma grande percentagem de indivíduos de tipo B.

Novas linhagens foram surgindo, as mudanças se seguiram e não demorou muito surgiu o sangue do tipo AB, considerado hoje, o mais raro, pois só abrange 2-5% da população mundial. 
Surgiu entre 500 a.C. e 900, como resultado da miscigenação do tipo A caucasiano com o tipo B dos mongóis. É como se fosse uma mescla entre as características de todos os outros grupos.


                                                   



David Icke, ao publicar 'O Maior Segredo', revelou que seres alienígenas extra-dimensionais que assumiram formas humanóide-reptiliana têm desempenhado um papel importante na história da Terra. Este novo filme de Chris Everard da série SECRET SPACE investiga evidências de que "Deuses Estelares" com características reptilianas têm visitado a Terra.

Chris Everard descobre registos históricos de invasões alienígenas ao longo da história. Documentos medievais falam de uma invasão de dragão/répteis como seres em Nice e Génova, em 1600, as lendas sumérias dos Annunaki feita pelo famoso autor Zacarias Sitchin, além de uma "grade de navegação" descoberta numa remota montanha do Peru por Erich Von Daniken.
Um filme totalmente profissional, o cineasta britânico Chris Everard dá-nos uma visão grandiosa mística do universo conhecido e desconhecido. Excelente em todos os aspectos."

Segundo David Icke, reptilianos são seres extraterrestres que planeiam dominar o mundo, utilizando-se de frequências sonares distintas de nossa realidade, aprisionando-nos em nós mesmos (Realidade Matrix), impedindo-nos de nos manter conectados à realidade.

Fragmentam nossas mentes, reprogramando os fragmentos, utilizando os Illuminati (seita de seres humanos) para activar, através de diversos canais (mídia, sons, orações, etc.) os programas mentais do fragmento que desejarem, a fim de levarem a cabo uma Agenda Mundial.


               


David Icke afirma que o mundo é comandado por um grupo secreto chamado "Elite Global" ou "Illuminati", os quais relacionou com Os Protocolos dos Sábios de Sião.
Em 1999, publicou The Biggest Secret, no qual disse que os Illuminati são uma raça de humanóides reptilianos conhecida como a Fraternidade Babilónica, em que muitos elementos são reptilianos, incluindo George W. Bush, Rainha Elizabeth II, Kris Kristofferson e Boxcar Willie.

David Icke pode arrebatar um público bastante numeroso no Canadá, podendo chegar a 1000 pessoas em Vancouver. Durante uma sessão de palestras em Outubro de 1999, foi ovacionado por estudantes após uma palestra de quatro horas na Universidade de Toronto, enquanto seus livros foram retirados das prateleiras da Indigo Books, em Ontário, depois dos protestos do Congresso Judeu Canadiano.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário