domingo, 27 de maio de 2012

Fernando Pessoa - Praticando o Desapego



O meu mestre!!
O desapego foi a minha GRANDE Lição de vida! E a mais dura também...
Tive de esvaziar o meu poço...e depois voltar a encher...
Tive de me perder, abrir mão...para depois me encontrar!

Por incrível que pareça, foi-me carinhosamente oferecido por um Amigo de Coração,
o Edwin Ureña, da Costa Rica, que hoje me ofereceu.
Tinha de registar aqui este momento tão especial, e tão doce como ele.

Meditacion y no dualidad




¿Qué es la meditación? La meditación es estar en armonía, interior y exteriormente. La meditación es estar en armonía. Meditación es ser la armonía.
El ser humano se ha perdido a sí mismo porque ha perdido su armonía. Está en conflicto; tiran de él en distintas direcciones a la vez. No es uno, sino muchos. Ser muchos es estar en un estado no meditativo; no ser muchos, sino simplemente uno, es estar en meditación. Y cuando realmente sólo hay uno, cuando ni siquiera ese uno está ahí...

En Oriente lo hemos llamado el estado de no dualidad, y no el estado de unidad. Hemos tenido que inventar esta expresión –no dualidad- para describir, para indicar que no es dual, eso es todo.
Ya no hay dos, también han desaparecido los muchos. Y con ellos también el uno. El “uno” sólo puede existir entre los “muchos”.




El ser humano, por lo general, es una multitud, un gentío. El ser humano no es uno porque carece de integración. Es todo fragmentos, no está junto, no es de una pieza.
Meditar es ser de una pieza, y cuando eres de una pieza estás en paz.


Primero hay que alcanzar la armonía interior y luego también podrá lograrse externamente. Primero un ser humano debe convertirse en una armonía, y desde ahí debe empezar a palpitar con la mayor de las armonías de la existencia.

Así pues, en la meditación hay dos pasos. El primero es no estar en conflicto interno con uno mismo, no permitir que el combate interior continúe: la mente luchando contra el cuerpo, la razón contra el sentimiento, la sensación contra la sexualidad. En el interior tiene lugar un combate continuo, ¿te has dado cuenta? Hay una guerra continua; sin ningún respiro. ¡Así claro que es imposible ser feliz! A menos que esos elementos cambiantes de tu interior te abracen, dejen de luchar, se enamoren uno de otro o se disuelvan entre sí, no hay felicidad posible. La felicidad sólo es una esperanza.
La felicidad es una sombra de la armonía, sigue a la armonía. No hay otra manera de ser feliz. A menos que seas la armonía, ya puedes luchar lo que quieras, que sólo lograrás sentirte cada vez más frustrado y miserable. Al igual que una sombra, la felicidad te sigue cuando eres una totalidad armoniosa.
El primer paso tiene lugar en tu interior; y una vez que te hayas convertido en una única palpitación, sin divisiones, en una oleada de energía sin resistencias, sin inferior ni superior, sin elección, sin evaluación, sin juicio, cuando seas simplemente uno, entonces tiene lugar el segundo paso. Cuando eres uno puedes ver el uno; sólo puede verse entonces. Los ojos están despejados, se tiene claridad. Cuando eres uno inmediatamente ves el uno a tu alrededor. Ahora conoces el lenguaje del uno. El lenguaje múltiple ha desaparecido, ese ruido ya no está, el manicomio se ha ido, la pesadilla ha acabado. Estás en silencio. Y en ese silencio puedes disolverte inmediatamente en la existencia; ahora puedes sintonizarte con la palpitación del propio universo. Ése es el segundo paso de la meditación.


El primero es difícil, el segundo no lo es. El primero requiere esfuerzo, mucho esfuerzo; el segundo es muy simple, casi aparece de manera automática. El primero es como un ciego al que se opera para que pueda ver. El segundo es cuando ha finalizado la operación: los ojos están ahí, y el ciego los abre y puede ver la luz y el mundo de luz y los millones de alegrías de color, luz, belleza y forma que le rodean.

El primer paso requiere esfuerzo, el segundo llega inintencionado. El primero se parece al yoga, mientras que el segundo es más como el zen... o, para utilizar un paralelismo moderno, el primero se parece a Gurdjieff y el segundo es más como Krishnamurti. Por eso digo que el zen es el pináculo. El zen es la última palabra. El yoga es el principio del viaje, y el zen su fin.

Cuando eres uno, y de repente ves la unicidad fuera, se disuelven todas las barreras. Entonces deja de haber “yo” y “tú”; entonces sólo hay Dios, o verdad, o samadhi, o la palabra que sea... nirvana. La gente zen llama a este estado sonomama o konomama, el estado de pura talidad, tathata. Uno simplemente es. Uno no hace nada, no piensa nada, no siente nada, simplemente es. Esta talidad es la experiencia fundamental de beatitud. Más allá no hay
nada. Y ése es el objetivo, llegar a esa talidad es la búsqueda, la eterna búsqueda, de todo ser.

Antes de que podamos comprender cómo alcanza esa armonía interna, debemos fijarnos muy bien en cómo nos hemos llegado a convertir en una multitud. ¿Cómo nos ha caído esa calamidad encima? ¿Quién la ha creado? ¿Cómo ha sido creada? A menos que sepamos cómo se ha creado no habrá manera de deshacerla.


J.Krihsnamurti

Spirit Science 6 - Flower of Life

Matt Walters - I Would Die For You live at the Enmore theatre 31/10/2010




Tão longe, mas tão perto!!!
Beijinho grande para ti, Tomás :*
Que as pontes entre nós nunca se quebrem...

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Devendra Banhart - I Remember

Ben Harper - Waiting on an Angel (Legendado)




Waiting on an angel
One to carry me home
Hope you come to see me soon
Cause I don't want to go alone
I don' t want to go alone

Now angel won't you come by me
Angel hear my plea
Take my hand lift me up
So that I can fly with thee
So that I can fly with thee

And I'm waiting on an angel
And I know it won' t be long
To find myself a resting place
In my angel's arms
In my angel's arms

So speak kind to a stranger
Cause you'll never know
It just might be an angel come
Knockin' at your door
Knockin' at your door

And I'm waiting on an angel
And I know it won't be long
To find myself a resting place
In my angel's arms
In my angel's arms

Waiting on an angel
One to carry me home
Hope you come and see me soon
Cause I don' t want to go alone
I don't want to go alone
Don't want to go
I don't want to go alone



Tema final de um dos episódios da série House. O episodio foi "Lines in the Sand" aquele do menino autista.
Excelente Banda Sonora!!!

terça-feira, 22 de maio de 2012

Tempo Esgotado



Tempo Esgotado (Nick of Time)
1995

Directed by John Badham

Johnny Depp - Gene Watson


Às 12.07h, em Los Angeles, um homem (Johnny Depp) retorna para casa em companhia de sua filha de seis anos (Courtney Chase), após ir ao funeral de sua ex-mulher.
Até que, repentinamente, sua filha é sequestrada, sendo-lhe dada uma arma e uma fotografia.
Se a pessoa da fotografia não estiver morta às 13.30h, quem morrerá será sua filha.
Acontece que a pessoa da fotografia é a governadora da Califórnia (Marsha Mason), que tenta sua reeleição, e quanto mais o tempo passa ele descobre que um grande número de pessoas estão envolvidas nesta conspiração.

Oito Versos que Transformam a Mente




Quero compartilhar com vocês este texto maravilhoso.
Geralmente leio-o após a meditação e procuro aplicá-lo no meu dia a dia.
Vamos dizer que a vontade de praticar é maior do que a prática propriamente dita, pois sou cheia de defeitos,sou muito impulsiva, reajo a muitas situações sem pensar, fico nervosa, normalmente perco a paciência com coisas à toa,ainda me ofendo e deixo-me magoar por coisas que não valem a pena, e justamente por ter tantos defeitos é que leio estes versos.
Não é nada fácil seguir tudo o que está escrito, porém tentar praticar um pouco é fundamental se desejarmos mudar nossa mente.
Espero que isto possa de alguma maneira trazer algum benefício para vocês...

Oito Versos que Transformam a Mente

1- Com a determinação de alcançar
O bem supremo em benefício de todos os seres sencientes,
Mais preciosos do que uma jóia mágica que realiza desejos,
Vou aprender a prezá-los e estimá-los no mais alto grau.

2- Sempre que estiver na companhia de outras pessoas, vou aprender
A pensar em minha pessoa como a mais insignificante dentre elas,
E, com todo respeito, considerá-las supremas,
Do fundo do meu coração.

3- Em todos os meus atos, vou aprender a examinar a minha mente
E, sempre que surgir uma emoção negativa,
Pondo em risco a mim mesmo e aos outros,
Vou, com firmeza, enfrentá-la e evitá-la.

4- Vou prezar os seres que têm natureza perversa
E aqueles sobre os quais pesam fortes negatividades e sofrimentos,
Como se eu tivesse encontrado um tesouro precioso,
Muito difícil de achar.

5- Quando os outros, por inveja, maltratarem a minha pessoa,
Ou a insultarem e caluniarem,
Vou aprender a aceitar a derrota,
E a eles oferecer a vitória.

6- Quando alguém a quem ajudei com grande esperança
Magoar ou ferir a minha pessoa, mesmo sem motivo,
Vou aprender a ver essa outra pessoa
Como um excelente guia espiritual.

7- Em suma, vou aprender a oferecer a todos, sem exceção,
Toda a ajuda e felicidade, por meios diretos e indiretos,
E a tomar sobre mim, em sigilo,
Todos os males e sofrimentos daqueles que foram minhas mães.

8- Vou aprender a manter estas práticas
Isentas das máculas das oito preocupações mundanas*,
E, ao compreender todos os fenômenos como ilusórios,
Serei libertado da escravidão do apego.



*As oito preocupações mundanas são:

Gostar de ser elogiado / Não gostar de ser criticado

Gostar de ser feliz / Não gostar de ser infeliz

Gostar de ganhar / Não gostar de perder

Desejar ser famoso / Não gostar de ser ignorado



Por S.S. o Dalai Lama

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Miguel Araújo - Os Maridos Das Outras




Toda a gente sabe que os homens são brutos
Que deixam camas por fazer
E coisas por dizer.

São muito pouco astutos, muito pouco astutos.
Toda a gente sabe que os homens são brutos.

Toda a gente sabe que os homens são feios
Deixam conversas por acabar
E roupa por apanhar.

E vêm com rodeios, vêm com rodeios.
Toda a gente sabe que os homens são feios.

Mas os maridos das outras não
Porque os maridos das outras são
O arquétipo da perfeição
O pináculo da criação.

Amáveis criaturas, de outra espécie qualquer
Que servem para fazer felizes as amigas da mulher.
E tudo os que os homens não...
Tudo que os homens não...
Tudo que os homens não...

Os maridos das outras são
Os maridos das outras são.

Toda a gente sabe que os homens são lixo
Gostam de música que ninguém gosta
Nunca deixam a mesa posta.

Abaixo de bicho, abaixo de bicho.
Toda a gente sabe que os homens são lixo.

Toda a gente sabe que os homens são animais
Que cheiram muito a vinho
E nunca sabem o caminho.

Na na na na na na, na na na na na.
Toda a gente sabe que os homens são animais.

Mas os maridos das outras não
Porque os maridos das outras são
O arquétipo da perfeição
O pináculo da criação.

Dóceis criaturas, de outra espécie qualquer
Que servem para fazer felizes as amigas da mulher.
E tudo os que os homens não...
Tudo que os homens não...
Tudo que os homens não...

Os maridos das outras são
Os maridos das outras são
Os maridos das outras são.

Ricardo Araujo Pereira e a Questao de Deus (Parte 1)

Ricardo Araujo Pereira e a Questao de Deus (Parte 2)

Ricardo Araujo Pereira e a Questao de Deus (Parte 3)

O Livro Tibetano dos Mortos ( COMPLETO )





O Livro Tibetano dos Mortos afirma, não apenas que existe vida após a morte, mas que é possível morrer de forma consciente e de um modo que seja proveitoso para o despertar espiritual. O livro é geralmente lido em voz alta a uma pessoa que está bem próxima da morte e continua a ser recitado mesmo após a passagem do indivíduo. Isso é uma indicação de que os tibetanos acreditavam que, mesmo após a morte, a pessoa permanecia de alguma forma mantendo contato com o local onde morreu (ao menos por algum tempo) e assimilava aquilo que era proclamado com a leitura do livro. Dessa forma, uma pessoa que passa pela transição entre a vida e a morte com conhecimento de causa e sabendo com profundidade o que acontece "do outro lado da vida" pode aproveitar essas informações e saber como se conduzir nos diferentes estados e planos de consciência do pós-morte. Nesse sentido, o Livro Egípcio dos Mortos possui a mesma intenção: ajudar o moribundo na passagem do limiar da morte e ser um guia para esse momento de suma importância na vida da alma.

O Livro Tibetano dos Mortos foi trazido ao ocidente pelo Dr. graduado em Oxford T. W. Evans-Wentz, que escreveu um livro no início do século XX (1927) traduzindo e explicando o Livro Tibetano dos Mortos.
C. G. Jung escreveu um prefácio de uma das edições do livro analisando seu conteúdo do ponto de vista psicológico. Jung declarou ter sido um leitor assíduo do livro e que devia a ele muitas ideias fundamentais. Jung escreveu que "todo leitor sério forçosamente irá perguntar-se se estes antigos e sábios lamas, afinal de contas, não poderiam ter vislumbrado a quarta dimensão, arrancando assim o véu dos maiores mistérios da vida." Jung ressalta ainda que por se tratar de um livro aberto hoje em dia, isso não significa que todos consigam compreende-lo em sua essência.
Assim, se tornou aberto para o público, mas continua "fechado" ao entendimento de muitos.




domingo, 20 de maio de 2012

Angus & Julia Stone - Lonely Hands

Ingénuos que somos



"Não é por sermos ingénuos que pretendemos convencer o outro de uma ideia que para nós é de relevante significado, mas que para ele, não o tem. No nosso íntimo julgamos que não se trata de uma opinião pessoal. Acreditamos que ela transporta não só o sentido das coisas do mundo, como nos define. Mas o alheamento do outro não consente este ver o mundo de dentro para fora. Por isso insistimos.
Com o tempo, percebemos que mesmo com todas as razões, não merece a pena falar de coisas para as quais os outros ainda não tiveram uma experiencia que os ajudasse a compreender.
Pode ser desconcertante fazer um esforço para retirar o que não é partilhado e consagrar-se ao essencial, mas é bom que seja feito, para bem de todos."

Cristina Simões

A arte de espreitar


"A arte de espreitar é aprender todas as peculiaridades de teu disfarce, e aprende-las tão bem que ninguém saiba que estás disfarçado. 
Para consegui-lo, necessitas ser desapiedado, astuto, paciente e gentil . 
Ser implacável não significa aspereza, a astúcia não significa crueldade, ser paciente não significa negligência e ser gentil não significa ser estúpido. 
Os guerreiros actuam com um propósito ulterior, que não tem nada a ver com o interesse pessoal. 
O homem comum actua apenas se há possibilidade de ganância. 
Os guerreiros não actuam por ganância e sim pelo espírito." 

in,O Poder do Silêncio,
Carlos Castaneda


Da Servidão Moderna - Jean-François Brient

A dor do falso amor...




"Essa ânsia pelo amor, baseado numa insuficiência, traz consigo uma praga de outros problemas. Quando a nossa sensação de bem estar depender da aprovação e do amor dos outros, tornamo-nos naturalmente dependentes - ou mesmo viciados - nesses outros. 
Agarramo-nos a eles, exigimos a sua atenção e amamo-los condicionalmente, oferecendo-lhes amor quando eles se comportam como queremos e rejeitando-os quando não o fazem."

in " O ESSENCIAL DA ESPIRITUALIDADE" 
ROGER WALSH

A bondade é um capricho temperamental...




"Assim como, quer o saibamos quer não, temos todos uma metafísica, assim também, quer o queiramos quer não, temos todos uma moral.
Tenho uma moral muito simples - não fazer a ninguém nem mal nem bem. Não fazer a ninguém mal, porque não só reconheço nos outros o mesmo direito que julgo que me cabe, de que não me incomodem, mas acho que bastam os males naturais para mal que tenha de haver no mundo.
Vivemos todos, neste mundo, a bordo de um navio saído de um porto que desconhecemos para um porto que ignoramos; devemos ter uns para os outros uma amabilidade de viagem.
Não fazer bem, porque não sei o que é o bem, nem se o faço quando julgo que o faço.
Sei eu que males produzo se dou esmola?
Sei eu que males produzo se educo ou instruo?
Na dúvida, abstenho-me.
E acho, ainda, que auxiliar ou esclarecer é, em certo modo, fazer o mal de intervir na vida alheia.
A bondade é um capricho temperamental: não temos o direito de fazer os outros vítimas de nossos caprichos, ainda que de humanidade ou de ternura.
Os benefícios são coisas que se infligem; por isso os abomino friamente."

Fernando Pessoa
in,Livro do desassossego.

John Butler Trio - Peaches & Cream (Live@ Federation Square)

John Butler Trio - Ocean

sábado, 19 de maio de 2012

Soy como soy...así de simple...




No soy mujer que finja palabras y sentimientos...
no soy mujer cobarde, que huya del viento,
soy como soy, así, con muchos defectos...
pero sólida y firme como las rocas del mar en movimiento...
No soy mujer que se rinde...
no soy mujer que se tiende sumisa, soy como soy,
así, libre como todos, individual, única...hago lo que siento;
y no hay nadie que me doblegue a sus deseos derrotándome si yo no quiero...
No soy mujer con miedos... no soy mujer caprichosa, soy como soy, así, sencilla;
y prefiero la soledad que la hipocresía...
No soy mujer que no se considere una dama... no soy mujer con tabúes en la alcoba
soy como soy, así, seria y alocada; pero en cada lugar estoy a la altura y bien situada...
Soy como soy...así de simple...

AD

Asha Tyson




"Sua jornada moldou você para seu bem maior, e foi exactamente o que precisava ser. 
Não pense que você perdeu tempo. 
Não existem atalhos para a vida. 
Foi necessária cada e toda situação que você encontrou para trazê-lo para o agora. 
E agora é o momento certo."

Asha Tyson

Fecho os meus olhos




PENSAMENTOS INVADEM MINHA MENTE, MEU SER, MEUS DESEJOS....
DESEJOS DE LHE TER EM MIM, JUNTO DE MIM, DENTRO DE MIM, PULSANDO EM MIM, TOMANDO POSSE DE MIM, TOMANDO POSSE DE TODO MEU CORPO, DE TODOS OS MEUS DESEJOS, DE TODAS AS MINHAS LOUCURAS......
TODOS OS MEUS DESEJOS VÃO ATÉ VOCÊ MEU HOMEM , MEU MENINO, MEU ANJO, MEU AMOR
TODOS OS MEUS DESEJOS QUEREM TER VOCÊ SÓ MEU, TODO MEU , ENTREGUE, RENDIDO AOS MEU CAPRICHOS DE MULHER, DE FÊMEA NO CIO, DE MULHER INSACIÁVEL, DEVASSA, ABUSADA, ATREVIDA....
QUERO TUDO O QUE POSSAS ME OFERECER
TEUS BEIJOS
TUA BOCA
TEU CORPO
TEUS CARINHOS
TEUS TOQUES
TUAS CARÍCIAS
TEUS OLHARES ME DESPINDO
TUAS  PALAVRAS DOCES
PALAVRAS PROVOCANTES
EXCITANTES
EXTASIANTES
SÓ DE PENSAR EM TI MEU CORPO ARDE, QUEIMA , INFLAMA, INCENDEIA
QUERO POSSUÍ-LO DE TODAS AS FORMAS, DE TODAS A MANEIRAS
QUERO FAZER-TE MEU
QUERO DEIXAR MEU CHEIRO
MEU GOSTO
TATUADOS EM TI
DEIXAR MINHAS MARCAS EXPALHADAS EM TUA PELE
QUERO QUE SINTAS MINHA FOME , MINHA SEDE VORAZ POR TI

QUE OUÇA MEU SUSPIROS LIBIDINOSOS
MEUS SUSSURROS QUE ECOAM EM SEUS OUVIDOS
MINHA RESPIRAÇÃO OFEGANTE
MEU CORPO TRÊMULO DE TANTO PRAZER EM TE SENTIR
EM TE OUVIR GEMENDO
DE SENTIDOS ENTORPECIDOS
URRANDO DE TESÃO POR MIM
NUMA BUSCA INCESSANTE PELO GOZO
QUERO SENTIR NOSSA ENTREGA TOTAL, COMPLETA
UNÍSSONA
ENTREGA DE CORPO , ALMA E CORAÇÃO
QUERO SENTIR TEU CORPO ROÇANDO  O MEU,
SENTIR TUA BOCA ME MORDENDO
ME BEIJANDO
SENTIR TUA LÍNGUA ÁVIDA SE ENROSCANDO NA MINHA
SENTÍ-LA PASSEANDO
SERPENTEANDO PELO MEU CORPO
ESGUIO
CÁLIDO
ERIÇADO
ATIÇADO
SENTINDO MEU SEXO ÚMIDO, MOLHADO, ENXARCADO
SENTINDO MEU SEIOS CONTRA TEU PEITO

QUERO SENTIR NOSSOS CORPOS ENCAIXADOS
SUADOS
EXAUSTOS
MAS FELIZES POR ESSE ATO DE AMOR
POR ESSA CUMPLICIDADE QUE NOS ENVOLVE
QUE NOS ALUCINA
QUERO CAVALGAR EM TI FEITO AMAZONA
ME ENCAIXAR EM TI
ME FUNDIR EM TI
QUERO SENTIR TEU GOSTO EM MINHA BOCA
SACIANDO MINHA FOME COM TEU JORRAR
ME SACIANDO COM TEUS LÍQUIDOS
QUERO SENTIR TEU MEMBRO LATEJANTE
EM ESPASMOS INCONTROLÁVEIS
SENTIR NOSSOS CORPOS SE FUNDINDO EM MOVIMENTOS FRENÉTICOS
ALUCINADOS
CADENCIADOS
MISTURANDO -SE A NÓS GRITOS ABAFADOS
PALAVRAS DESCONEXAS
GEMIDOS
SENTIMENTOS QUE SE MISTURAM AO NOSSO ÊXTASE
A UMA EXPLOSÃO  DE GOZO
TESÃO MÚTUO


QUERO SENTIR VOCÊ AO  MEU LADO
CANSADO
SENTIR NOSSOS CORAÇÕES ACELERADOS
EM DESCOMPASSO
TEUS OLHOS A ME FITAR
OUVIR DE TI PALAVRAS DE CARINHO
ME FAZENDO ADORMECER EM TEUS BRAÇOS

Dádiva de Deus




Anjo ?
Mulher ?
Deusa ?
Quem realmente tu és ?
Obra prima da natureza
uma dádiva de Deus.
De olhos lindos e meigos...
lábios de pêssego,
pele delicada como uma pétala de rosa,
sua voz ora é um canto de sereia,
ora gorjear de canários na primavera.
De rosto angelical.
Corpo escultural como de uma Deusa...
Rainha da paixão.Sedutora.Maliciosa

Cheia de veneno
Perigosa
Menina e mulher.
Que faz qualquer um se apaixonar
e sonhar um dia te-la...
Adoro te escutar...
Me apaixono com teu olhar...
Sonho com tuas carícias...
Fantasio com teu amar....
Quem realmente tu és ?
Por que tanto mexes comigo?
Já me tiras da razão até no pensar...
És o apice do meu sonhar!
Meus desejos por ti . . .
bom nem falar.
Ao teu lado fico como criança
absorto em te admirar !
Me curvo a ti
Linda,pura
e tentadora mulher !
És um convite real ao pecar...
Sei que te amo!
Sei que te quero!
Como nunca quis outra mulher!
Ah... como preciso de ti
linda mulher...
Sonho contigo,
Todos momentos da minha vida,
com um eterno apaixonar...


Von Buchman

Inconsciente Ecológico




"No nível mais profundo da psique, continuamos vinculados com a Mãe-Terra, que nos trouxe à vida e nos alimenta. A conexão entre o eu profundo e o mundo natural foi denominado de inconsciente ecológico, que estaria um passo além do inconsciente colectivo junguiano. Um espaço/tempo onde Psique encontra Gaia.

Quando o movimento feminino e o movimento ecológico se encontram, surge o Ecofeminismo, que busca uma nova visão de mundo, com ênfase nas transformações dinâmicas, nos processos cíclicos e na interrelação de todos os seres. Intimamente ligado a uma espiritualidade feminina, recupera o mundo natural como sagrado - matéria imbuída de espírito - revalorizando o corpo e suas funções, incluindo a sexualidade, o nascimento, o envelhecimento, a morte.

A espiritualidade feminina recupera a concepção da Deusa, entendida como esta totalidade que nos engloba a todos: mulheres, homens, plantas, animais, minerais. Ela é o próprio mundo e o princípio de vida que pulsa em cada ser criado. Ela é o ecosistema.

O que se busca é uma nova identidade humana, uma inteireza que inclua além da racionalidade, da auto-confiança e do poder do intelecto, os aspectos intuitivos, compassivos e o poder de cura de cada pessoa. Uma identidade humana que nos inclua, de modo consciente, na natureza sagrada de todos os seres na Terra.

Precisamos nos consciencializar que somos feitos dos mesmos elementos que constituem toda manifestação: terra, água, ar e fogo.

Nós somos parte - e apenas uma - do ecosistema!"

AD



TERRA DEUSA - A Arte da Vida em Sociedades Sustentáveis -, conforme a simbologia do labirinto que o identifica, propõe um caminho de convergência para a transformação, integração, e cocriação.

A Sustentação da VIDA.

Jung




"A grande maioria dos homens no nível cultural presente nunca avança além do significado maternal da mulher e esta é a razão pela qual a alma raramente nele se desenvolve além do nível infantil, primitivo da prostituta. 
Como consequência, a prostituição é um dos principais produtos do casamento civilizado."

C. G. Jung

Sonhos Lúcidos




O feminismo tem destruído as capacidades e a oportunidade da mulher ser ela mesma intrinsecamente, de usar as suas capacidades inatas. E seja através do seu apego às religiões quer ao conhecimento científico, independentemente do lugar a que tenha chegado, a nível social político ou económico, ela é sempre marcada com um mesmo selo: a reprodução é a sua função principal na vida.
As mulheres me repetiam isto todas as noites, e quanto mais me recordava melhor entendia as suas palavras e maior era a minha tristeza; não só a título pessoal como por todas nós, nós como uma raça de seres esquizofrénicos aprisionados numa ordem social que nos amarra e gera as nossas próprias “incapacidades”.
Quando conseguimos libertar-nos e vimos essa claridade em nós ela é tão efémera que dura somente por uns momentos, e logo nos deixamos cair de forma involuntária ou deliberadamente, num poço de obscuridade.”


in, “Sonhos Lúcidos”
FLORINDA DONNER-GRAU

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Moral da história " O Falcão e a Águia"




Libere a pessoa que você ama para que ela possa voar com as próprias asas.
Essa é uma verdade no casamento e também nas relações familiares, de amizade e profissionais. Respeite o direito das pessoas de voar rumo ao sonho delas.

A lição principal é saber que somente livres as pessoas são capazes de amar.

Assim podemos constatar que não há uma fórmula especial para relacionamentos duradouros, o que é essencial é transformar as pequenas coisas quotidianas em grandes coisas.

É jamais se achar muito velho para dar-se as mãos.

É lembrar de dizer “te amo”, pelo menos uma vez ao dia.

É nunca ir dormir zangado. É ter valores e objectivos comuns.

É estar unidos ao enfrentar o mundo.

É formar um círculo de amor que una toda a família.

É proferir elogios e ter capacidade para perdoar e esquecer.

É proporcionar uma atmosfera onde cada qual possa crescer na busca recíproca do bem e do belo.

É não só casar-se com a pessoa certa, mas ser o companheiro perfeito.

E para ser o companheiro perfeito é preciso ter bom humor e optimismo.

Ser natural e saber agir com tacto.

É saber escutar com atenção, sem interromper a cada instante.

É mostrar admiração e confiança, interessando-se pelos problemas e actividades do outro.

Perguntar o que o atormenta, o que o deixa feliz, por que está aborrecido.

É ser discreto, sabendo o momento de deixar o companheiro a sós para que coloque em ordem seus pensamentos.

É distribuir carinho e compreensão, combinando amor e poesia, sem esquecer galanteios e cortesia.

É ter sabedoria para repetir os momentos do namoro.

Aqueles momentos mágicos em que a orquestra do mundo parecia tocar somente para os dois.

É ser o apoio diante dos demais. É ter cuidado no linguajar, é ser firme, leal.

É ter atenção além do trivial e conseguir descobrir quando um se tiver esmerado na apresentação para o outro.

É saber dar atenção para a família do outro, pois, ao se unir o casal, as duas famílias formam uma unidade.

É cultivar o desejo constante de superação.

É responder dignamente e de forma justa por todos os actos.

É ser grato por tudo o que um significa na vida do outro.

O amor real, por manter as suas raízes no equilíbrio, vai se firmando dia a dia, através da convivência estreita.

O amor, nascido de uma vivência progressiva e madura, não tende a acabar, mas amplia-se, uma vez que os envolvidos passam a conhecer vícios e virtudes, manias e costumes de um e de outro.

O equilíbrio do amor promove a prática da justiça e da bondade, da cooperação e do senso de dever, da afectividade e advertência amadurecida. O segredo dos relacionamentos está em regá-lo todos os dias, com liberdade …

Quem é livre é atencioso, sabe  cuidar sem sufocar ….

O Falcão e a Águia




Conta uma velha lenda dos índios Sioux, que uma vez, Touro Bravo, o mais valente e honrado de todos os jovens guerreiros, e Nuvem Azul, a filha do cacique, uma das mais formosas mulheres da tribo, chegaram de mãos dadas, até a tenda do velho feiticeiro da tribo:

- Nós nos amamos, e vamos nos casar - disse o jovem. E nos amamos tanto que queremos um feitiço, um conselho, ou um talismã, alguma coisa que nos garanta que poderemos ficar sempre juntos, que nos assegure que estaremos um ao lado do outro até encontrarmos a morte. Há algo que possamos fazer?

E o velho Pajé, emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:
- Tem uma coisa a ser feita, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada...
Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte dessa aldeia, e apenas com uma rede e tuas mãos, deves caçar o falcão mais vigoroso do monte e trazê-lo aqui com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia.
E tu, Touro Bravo - continuou o feiticeiro - deves escalar a montanha do trono, e lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias, e somente com as tuas mãos e uma rede, deverás apanhá-la trazendo-a para mim, viva!

Os jovens abraçaram-se com ternura, e logo partiram para cumprir a missão recomendada.
No dia estabelecido, à frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves dentro de um saco. O velho pediu, que com cuidado as tirassem dos sacos, e viu eram verdadeiramente formosos exemplares...

- Agora - disse o feiticeiro, apanhem as aves, e amarrem-nas entre si pelas patas com essas fitas de couro; quando as tiverem amarradas, soltem-nas, para que voem livres.
O guerreiro e a jovem fizeram o que lhes foi ordenado, e soltaram os pássaros.
A águia e o falcão tentaram voar, mas apenas conseguiram saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela incapacidade do vôo, as aves arremessavam-se entre si, bicando-se até se machucar.

E o velho disse:
- Jamais esqueçam o que estão vendo; este é o meu conselho:
Vocês são como a águia e o falcão;
se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se, como também, cedo ou tarde, começarão a machucar-se um ao outro.
Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Thomas Anahory - A Song To You (Versão Acústica) - www.thomasanahory.com






Oh you
Who went on a train for changin'
Oh you,
Who grabbed your life too late
It was not your fault, you see...
You just wanted to be free
But sometimes the elders can't let go

And for that, you always wore the best dress
Grabbed anything, anyone for you
You lied to yourself, just you, no one else
And now you're in misery

Look at me, I tried to tell you
That day, you were moving much to fast
Now your life is in the past

And for you, with all the painful doubts
Oh you,
Who cried along the day...
You cared for a new start
But all you did was faked
And your head is eating up your heart

Look at me, I tried to tell you
That day, you were doing it all wrong
And the worst is yet to come

Oh won't you come see me, sweet Mary
I'm waiting for you sweet Mary

Look at me, I tried to tell you
That day I knew where you were going
With the road you choose to take

.....................porque ninguém é humano sem o ser




(...)
"Mas daquela vez em que uma malícia da oportunidade me fez julgar que amava, e verificar deveras que era amado, fiquei, primeiro, estonteado e confuso, como se me saíra uma sorte grande em moeda inconvertível. Fiquei, depois, porque ninguém é humano sem o ser, levemente envaidecido; esta emoção, porém, que pareceria a mais natural, passou rapidamente. Sucedeu-se um sentimento difícil de definir, mas em que se salientavam incomodamente as sensações de tédio, de humilhação e de fadiga."(...)

in,livro do desassosssego  
Fernando Pessoa

Calar




...
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz,
e, conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.

Maiakowiski

domingo, 13 de maio de 2012

Temperamento




Um estudante de Zen foi ter com Bankei e queixou-se:
- Mestre, Tenho um temperamento ingovernável. Como posso curá-lo?
- Tens uma coisa muito estranha, replicou Bankei. Mostra-me lá então isso que tens.
- Neste preciso momento não lhe posso mostrar, respondeu o outro.
Acontece inesperadamente!…, respondeu o estudante.
- Então, concluiu Bankei, não deve ser a tua verdadeira natureza.
Se fosse, podias mostrar-me em qualquer altura.
Quando nasceste não o tinhas e não foram os teus pais que to deram.
Pensa nisso.

Conto Zen

Amor




“O amor precisa de duas coisas: 
ele tem que ser enraizado na liberdade 
e ele tem de conhecer a arte da confiança." 

Osho

Felicidade e Tristeza




Até a tristeza pode se tornar um florescimento 
Osho

Pergunta: Vejo-me muitas vezes mergulhado em tristeza ao pensar em deixar esta vida. O que posso fazer?

Osho: "A tristeza é triste porque você não gosta dela. Ela é triste porque você não gosta de senti-la. Ela é triste porque você a rejeita. Até a tristeza pode se tornar um florescimento de grande beleza, de silêncio e profundidade, se você gostar dela.

Nada é errado. É assim que tem de ser, ser capaz de gostar de tudo o que acontece, até da tristeza. Até a morte tem de ser amada; só assim você conseguirá transcendê-la. Se conseguir aceitar a morte, se conseguir amá-la e recebê-la bem, a morte não pode matar você; você a transcendeu.

Quando a tristeza vier, aceite-a. Ouça a sua canção. Ela tem algo para lhe dar. Trata-se de uma dádiva que felicidade nenhuma pode lhe oferecer; só a tristeza pode.

A felicidade é sempre superficial; a tristeza é sempre profunda. A felicidade é como uma onda; a tristeza é como as profundezas do oceano. Na tristeza, você fica consigo mesmo, sozinho. Na felicidade, você começa a acompanhar outras pessoas e começa a compartilhar. Na tristeza, você fecha os olhos e mergulha fundo dentro de si mesmo.

A tristeza tem uma canção... ela é um fenômeno extremamente profundo.

Aceite-a. Aproveite-a. Prove-a sem nenhuma rejeição e você verá que ela lhe traz muitas dádivas que nenhuma felicidade pode trazer.

Se você conseguir aceitar a tristeza, ela deixa de ser tristeza; você dá um novo caráter a ela. Você crescerá por meio dela. Ela não será mais uma pedra, uma rocha no caminho, bloqueando a passagem; ela será um passo.

E lembre-se sempre: aquele que nunca sentiu uma tristeza profunda é uma pessoa pobre. Ele nunca terá riqueza interior. A pessoa que sempre viveu feliz, sorrindo, com frivolidade, não entrou no templo interior do seu ser. Ela não conhece o santuário interior.

Seja sempre capaz de ir para todas as polaridades. Quando a tristeza vier, fique realmente triste. Não tente fugir dela – permita-a, coopere com ela. Deixe que ela se dissolva em você e você se dissolverá nela. Deixe que você e ela sejam uma coisa só. Fique realmente triste: sem resistência, sem conflito e sem luta.

Quando a felicidade vier, fique feliz: dance e fique extasiado. Quando a felicidade vier, não tente se agarrar a ela. Não diga que ela tem de durar para sempre; assim você a perderá. Quando a tristeza vier, não diga: "Não venha", ou "Se tem de vir, por favor venha logo". Assim você deixa de aproveitá-la.

Não rejeite a tristeza e não se apegue à felicidade.

Logo você entenderá que a felicidade e a tristeza são dois aspectos da mesma moeda. Então você verá que a felicidade também traz em si uma tristeza e a tristeza traz em si uma felicidade.

Então o seu interior fica mais rico. Você pode desfrutar de tudo: da manhã e do entardecer também, da luz do dia e da escuridão da noite, do dia e da noite, do verão e do inverno, da vida e da morte – você pode desfrutar de tudo."

Osho
in, "O Livro do Viver e do Morrer: Celebre a Vida e Também a Morte"

Alternativas




"Sempre que houver alternativas, tenha cuidado.
Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável,
pelo socialmente aceitável, pelo honroso.
Opte pelo que faz o seu coração vibrar.
Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências." 

Osho

Mulheres e Homens



Perguntaram a Osho: “As mulheres realmente pensam diferente dos homens? Ou isso é só uma superstição?”

Não é só superstição. E é muito bonito o fato de não ser superstição. O mundo precisa dessa variedade. Imagine – um mundo onde só os homens existissem ou um mundo onde só as mulheres existissem... seria um mundo pobre, muito pobre.

Os homens e as mulheres são polos e é entre eles que o mundo se torna colorido, belo. 

Mas sim, também existem problemas. As flores não vêm sozinhas, vêm com seus espinhos também. Os dias não vêm sozinhos, eles trazem suas noites com eles.

A existência acredita em polos. Funciona como o que Karl Marx chamou de dialética. O processo da evolução é dialético. É entre as polaridades que o mundo da existência se desenvolve.

A mulher é mais intuitiva, mais instintiva. Se ela não meditar, será apenas instintiva. Ela pensa com seu corpo. Ela é mais ligada ao corpo do que o homem, ela conhece mais seu corpo do que o homem; e no corpo encontramos toda a evolução ocorrida durante milhões de anos.

O homem está mais ligado à mente, é mais intelectual. Mas o intelecto é um desenvolvimento muito tardio. Enquanto o instinto é antigo e profundo, o intelecto é superficial e novo, muito infantil. Se o homem meditar, ele terá mais dificuldades para se livrar do intelecto, pois toda a sua educação e criação foram baseadas na mente, no intelecto. E, para meditar, ele precisa deixar de lado tudo o que sabe.

A mulher pode meditar com mais facilidade, porque o salto do instinto para a intuição é muito simples. O salto do intelecto para a intuição é mais difícil, só que, infelizmente, durante séculos, a mulher não teve permissão de participar do mundo da meditação.

Ela tem sido, na verdade, rejeitada por quase todas as religiões. A razão é simples: todas as religiões são contra o corpo, e a mulher é guiada por ele. Ao rejeitar a mulher, elas estão rejeitando a orientação corporal. Elas são contra o corpo. Todas as ideologias religiosas são intelectuais.

E, certamente, a mulher não consegue participar tão facilmente de atividades intelectuais. Ela se sente entediada, e pensa: “Por que os homens ficam discutindo tanta bobagem quando existem tantas coisas interessantes acontecendo?”

O homem acha que a mulher só serve por causa do corpo dela, só é boa para o sexo, e que ela não é boa para nenhuma conversa intelectual, ou filosófica. Os homens e as mulheres sabem que são um pouco estranhos. E ambos concordam com relação a isso.

Já ouvi dizer que o homem foi feito antes da mulher para que ele tivesse tempo de pensar o que responder à primeira pergunta que ela faria.
Mendel Kravitz está completamente nu em frente à janela aberta, fazendo seus exercícios matinais. Sua esposa entra no quarto e grita: “Mendel, seu idiota! Feche essas cortinas. Não quero que os vizinhos pensem que me casei com você por causa de seu dinheiro.”
Uma lógica absolutamente diferente – na qual os homens podem não ter pensado.
O padre, conhecido por seus sermões a respeito do fogo do inferno, estava deixando a paróquia. Uma senhora aproximou-se dele e disse: “Sinto muito que o senhor está indo embora, padre. Não sabíamos o que era pecado até a sua chegada.”

Um belo gato acabara de se mudar para aquela vizinhança, e todas as outras gatas ficaram muito interessadas. Uma delas saiu com ele. “Ai, ai” –, todas as outras disseram na manhã seguinte: “Como foi?”
“Uma perda de tempo” – respondeu a gata. – “Ele só falou sobre sua operação.”
Certamente existe uma grande diferença entre o modo de pensar do homem e da mulher, o modo de enxergar as coisas. Mas isso deixa a vida mais saborosa, mais temperada. O mundo precisa de todos os tipos de instrumentos musicais para formar uma orquestra. Apenas um tipo de instrumento musical fica muito tedioso.

A mulher não foi respeitada no passado. Isso deixou o mundo empobrecido sob muitos aspectos, por que a mulher não pôde expressar sua maneira de ver as coisas.

Ela foi forçada a pensar como homem, a se comportar como homem, a ser apenas uma sombra do homem, mas não permitiram que ela fosse ela mesma. Isso era algo muito feio e condenável. Eu condeno isso incondicionalmente.

A mulher deveria ter a permissão de ser quem ela é. Não precisa ser uma cópia do homem, não tem de pensar como o homem. Ela tem de pensar por si mesma, tem de ser ela mesma, e isso dará ao mundo uma polaridade mais ampla.

Quanto mais distantes estejam as individualidades do homem e da mulher, mais profunda será a atração entre eles. Eles deveriam ser estranhos um para o outro – só assim podem se apaixonar um pelo outro. Eles deveriam permanecer misteriosos um para o outro. Só então o amor deles poderia ser uma alegria, uma descoberta constante.

Mas a mulher tem sido massacrada. Seus mistérios têm sido massacrados. Ela tem sido usada somente como uma fábrica de produção – sem receber os direitos humanos básicos. E isso tem deixado o mundo chato, feio.

O homem tem dominado essa relação a tal ponto que a história toda está repleta de guerras. Se a mulher tivesse igualdade de oportunidades de crescimento, o mundo não teria visto tantas guerras. Porque, em todas as guerras, são os homens que morrem, mas as mulheres que sofrem.

Ser morto é fácil. Muito mais difícil é sofrer. A mãe sofre por seus filhos que são mortos. A esposa sofre quando seus entes queridos são mortos. As irmãs sofrem quando seus irmãos são mortos. E a agonia delas vai durar pelo resto de duas vidas. Para aqueles que são mortos, é algo muito pequeno. Acontece dentro de segundos – e você morreu. Mas a mulher tem sofrido há séculos.

Nenhuma mulher quer a guerra, porque ela é sempre a principal vítima, e não o homem. É o homem quem cria a guerra, é o homem quem luta na guerra, mas é a mulher quem sofre.

A mulher é metade do mundo – se essa metade do mundo tivesse a permissão de se expressar, a história teria sido diferente. Teria sido mais pacífica, mais amorosa, mais sensível, mais harmoniosa. Ainda há tempo para permitir que a mulher seja simplesmente quem ela é, pura, não influenciada pelo homem. E teremos um mundo e uma humanidade melhores.

Não é triste o fato de que as mulheres pensem de maneira diferente. É imensamente significativo e algo que deve ser profundamente comemorado. Mas a mulher precisa de sua liberdade completa. O mundo vive dominado pelo homem já há muito tempo. Já está na hora da mulher ter sua participação em tudo o que está acontecendo. Ela tem de contribuir com sua parte, que será diferente da parte do homem.

E criará um todo mais harmonioso do que fomos capazes de criar até agora. Tem sido um semicírculo. É preciso que se faça um círculo inteiro. A vida tem de ser total – o homem e a mulher juntos, contribuindo com as qualidades inatas de cada um: seus potenciais distintos, suas linguagens diferentes, suas maneiras diversas de pensar, ver e ser.

Osho
in,  "Além de Marte e Vênus"


sábado, 12 de maio de 2012

Miguel Gameiro - Dá-me um abraço

                                                             



Um abraço,
um gesto de carinho,
de respeito, 
de aconchego...
um gesto de ternura e partilha
amor ao próximo...



Dá-me um abraço que seja forte
E me conforte a cada canto
Não digas nada que o nada é tanto
E eu não me importo


Dá-me um abraço fica por perto
Neste aperto tão pouco espaço
Não quero mais nada, só o silêncio
Do teu abraço


Já me perdi sem rumo certo
Já me venci pelo cansaço
E estando longe, estive tão perto
Do teu abraço


Dá-me um abraço que me desperte
E me aperte sem me apertar
Que eu já estou perto abre os teus braços
Quando eu chegar


É nesse abraço que eu descanso
Esse espaço que me sossega
E quando possas dá-me outro abraço
Só um não chega


Um dia aprendes que, 
verdadeiras amizades continuam
a crescer mesmo a longas distâncias
e o que importa não é o que tu tens na vida...
mas quem tu tens na vida!
E que bons amigos
são a família que nós escolhemos!

PORTUGUÊS • Sê Livre Borboleta • TonySamara.org

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Jiddu Krishnamurti


O pensamento é tempo. Ele nasce da experiência e conhecimento, que são inseparáveis do tempo e do passado. O tempo é o inimigo psicológico do homem. Nossa ação é baseada no conhecimento e, portanto, o tempo, assim o homem é sempre um escravo do passado. O pensamento é sempre limitado e assim nós vivemos em constante conflito e luta. Não há evolução psicológica. Quando o homem se torna consciente do movimento de seus próprios pensamentos, ele verá a divisão entre o pensador e o pensamento, o observador e o observado, o experimentador e a experiência. Ele descobrirá que esta divisão é uma ilusão. Só então haverá observação pura, significando isso percepção sem qualquer sombra do passado ou do tempo. Este vislumbre atemporal traz uma mutação profunda e radical na mente.

(...)
A liberdade não é uma reação, nem tão pouco uma escolha. É pretensão do ser humano achar que, por ter escolha, ele é livre. A liberdade é pura observação sem direção, sem medo de punição e recompensa. A liberdade é sem nenhum motivo, a liberdade não está no fim da evolução humana, mas se encontra no primeiro passo da sua existência. Pela observação, a pessoa começa a descobrir a falta de liberdade. A liberdade é encontrada no estar atento, sem escolha, à nossa existência e atividades diárias.

(...)
O pensamento nasce da experiência e do conhecimento, que são inseparáveis do tempo e do passado. O tempo é o inimigo psicológico do ser humano. Nossa ação é baseada no conhecimento e, portanto, no tempo. Assim, o ser humano é sempre escravo do passado. O pensamento é sempre limitado e assim nós vivemos em conflito e luta constantes. Não há evolução psicológica.

(...)
Afinal de contas, que é mundanidade? Mundanidade, certamente, é estar satisfeito - estar satisfeito não somente com as coisas exteriores, com propriedade, riqueza, posição, poder, mas também com as coisas internas. A maioria de nós está satisfeita em um nível muito superficial. Obtemos satisfação em possuir coisas - um carro, uma casa, um jardim, um título. Possuir nos dá um extraordinário sentimento de gratificação. E quando estamos satisfeitos em possuir coisas, procuramos satisfação em um nível mais profundo; buscamos o que chamamos de verdade, Deus, a salvação. Mas ainda estamos movidos pela mesma compulsão - a exigência de sermos satisfeitos. Da mesma forma que você busca satisfação no sexo, em uma posição social, em ser dono das coisas, assim você também quer ser satisfeito por meios "espirituais".

Jiddu Krishnamurti

Sabrina Homebirth - Parto Sabrina, Nascimento Lucas - 29/nov/2011

As palavras que nunca te direi


Este livro é muito bom! Já o tinha lido há algum tempo mas senti necessidade de o ler novamente por aquilo que ele tenta transmitir... não sinto forças para largar um amor do passado! A verdade é que ainda não encontrei quem poderá fazer frente a esse amor, quem me tenha encantado de uma maneira que eu nunca mais o largaria, tal como a Theresa o fez!



Descrevi as cartas que Garret fez para Catherine, porque me identifico bastante com algumas coisas escritas por ele.




“Minha querida Catherine, sinto a tua falta meu amor, como a sinto sempre, mas hoje está a ser particularmente difícil para mim porque o oceano tem estado a cantar para mim, e a canção é a da nossa vida juntos...

Lamento ter estado tanto tempo sem falar contigo, sinto que andei perdido, sem rota nem bússola. Deixava-me ir ao encontro das coisas, sentia-me elouquecer. Nunca me tinha sentido perdido, tu eras o meu verdadeiro Norte. Quando tu eras o meu porto, eu sabia sempre voltar para casa. Perdoa ter ficado tão zangado quando partiste, continuo a achar que isto foi um erro e estou à espera que Deus o corrija. Mas já ando melhor, o trabalho ajuda-me, acima de tudo tu ajudas-me! Ontem à noite apareceste-me em sonhos com aquele sorriso que sempre me prendeu a ti e me consolou. Do sonho restou apenas uma sensação de paz... acordei com essa sensação e tentei conservá-la o mais possível. Escrevo para te dizer que estou a trabalhar para alcançar essa paz, e para te dizer que lamento tantas coisas. Lamento não ter tratado melhor de ti. Para que nunca sentisses frio, medo, para que nunca te sentisses doente. Lamento não me ter esforçado mais por te dizer o que sentia, Lamento todas as vezes que discuti contigo, lamento não te ter pedido mais vezes desculpa , era demasiado orgulhoso. Lamento não ter elogiado tudo aquilo que vestias e todos os teus penteados. Lamento não ter tido forças para te agarrar e impedir que Deus te afastasse de mim.

Não passa uma hora sem que te sinta comigo. Arranjo barcos, experimento-os, e enquanto isso, as memórias sobrevêem, como uma maré. Hoje Lembrei-me de quando éramos novos, e tu trocatse o nosso mundo por outro maior. Tive muito mais medo do que deixei transparecer, lutei contra ele dizendo para comigo que um dia voltarias e imaginando o que te diria quando voltasse a ver-te. Devo ter considerado uma centena de possibilidades. E o que acaba por dizer? Pouco! A minha boca recusou-se a trabalhar excepto para te beijar, e quando disseste: “Vim para ficar”, ficou tudo dito, voltei ao mesmo.
Não paro de pensar no que te diria, se tu arranjasses forma de voltar."

                                                     

Acabou por morrer quando ia entregar a ultima carta a Catherine, em alto mar...


"Comecei a viver quando te encontrei e dei-me por morto quando não consegui salvar-te. Julguei que podia manter-nos vivos se me agarrasse à tua memória, mas enganei-me. Uma mulher mostrou-me que se tivesse a coragem de sentir, poderia voltar a amar por muito profunda que fosse a minha vida. Ela fez-me compreender que eu estava apenas meio vivo. Isso assustou-me e fez-me sofrer. Só percebi quanto precisava dela quando a vi desaparecer. Quando o avião dela descolou, senti que algo dentro de mim se rasgava e percebi. Devia ter ido atrás dela. Amanhã vou até ao cabo ventoso e vou despedir-me de ti. E deopis vou ter com ela e vou tentar reconquistá-la. Se o conseguir sei que me abençoas e que nos abençoas a todos, se não conseguir, serei igualmente abençoado, pois tive o privilégio de amar duas vezes. Graças a ela! E se te disser que a amo tanto quanto te amei, ficas a saber tudo."



Será possível recomeçar e dar uma nova oportunidade ao amor quando perdemos alguém que amamos? Será que é possível baixar as barreiras que erguemos à nossa volta quando o amor acaba?

É exactamente isto que sinto... Parece que estas barreiras não se afastam de mim. Eu quero e luto contra isso mas está muito complicado... como Dogde, o pai de Garret no filme, diz: "tens de escolher entre o ontem e o amanha e sê coerente!" mas o amanha ainda não me apareceu, ainda não descobri o amor que me irá fazer frente ao passado para que eu possa escolher... assim limito-me a esquecê-lo diariamente!





Por fim fica a mensagem que Catherine deixou antes de morrer!
E que eu também gostava de acreditar... mas há amores que nos iludem e nos magoam tanto que depois se torna muito, mas muito dificil acreditar novamente que o amor é a coisa mais linda da vida de uma pessoa e que não nos vamos magoar outra vez!

A mensagem dizia:

"Para todos os navios no mar, e todos os portos de abastecimento. Para a minha família e para todos os amigos e desconhecidos. Isto é uma mensagem e uma oração...
A mensagem é que as minhas viagens me ensinaram uma grande verdade. Já tinha aquilo que muitos procuram e que poucos encontram: Aquela pessoa no mundo que nasci para amar para sempre. Uma pessoa como eu, da zona de Outer Banks do misterioso Atlântico azul. Uma pessoa rica em tesouros singelos que se fez aquilo que é. Um porto no qual estou sempre em casa. E não há vento nem sarilho, nem mesmo uma pequena morte, capaz de destruir esta fortaleza. 
A oração é a pedir que toda a gente encontre um amor assim e através dele seja curado! 
Se a minha oração for ouvida, toda a culpa será apagada, todos os remorsos, e no final toda a raiva será extinta... Por favor Deus, Amém."


Original: "Message in a Bottle"

....................a essência da vida




A vida da matéria ou é puro sonho, ou mero jogo atómico, que desconhece as conclusões da nossa inteligência e os motivos da nossa emoção.
Assim a essência da vida é um elo, ou aparência, e ou é só ser ou não ser, e a ilusão e aparência de nada ser, tem que ser não-ser, a vida é a morte.
Vão o esforço que construa com os olhos na ilusão de não morrer!

Bernardo Soares 
Um tipo particular dentre os heterónimos do poeta e escritor português Fernando Pessoa

Umoja, Amani Na Baraka (Honoring The Cradle of Mankind) 720HD

                   



Umoja, Amani Na Baraka: (Honoring The Cradle of Mankind)

Translation:
Umoja = Unity
Amani = Peace
Baraka = Blessings

Im just another you...
So look into the mirror and always love that person staring back at you. We are all connected, we are all making our journey back to innocence. I was inspired to share this video because it shows that we were all meant to get along on this planet... everyone and everything is just a reflection of who you really are, everyone is just reminding you that we came from the same divine Source and shall one day return home to this beautiful source.

Be good to yourself at all times and always be good to everyone around you.

I so appreciate all that you are, thank you for blessing me
In Love, Peace and Blessings,

All of Me (Jon Schmidt) ThePianoGuys

A Mulher na Bíblia




Com a proposta de reflexão sobre o papel da mulher na sociedade, seus avanços e as formas de desvalorização que ainda insistem em persistir.

A mulher na Bíblia

Para os que lêem a Bíblia, sem nenhum espírito pré-concebido e, principalmente, sem se apegar aos dogmas teológicos do passado, verá que nela a figura da mulher é sempre de inferioridade em relação ao homem. É óbvio que debitamos isso aos homens, portanto nada de ser a vontade de Deus.

Por ser, naquele tempo, uma sociedade extremamente machista, ou ao menos muito mais que a actual, a mulher está retratada, na Bíblia, sempre como uma personagem inexpressiva. Reflectindo, pois, a nosso ver, e até que nos provem o contrário, apenas a factores culturais de um povo, ou talvez até mesmo de toda uma época, onde o machismo era o factor que preponderava nas relações entre homens e mulheres.

A Bíblia é um livro no qual o machismo é colocado de forma bem evidente. 

Quem foi criado em primeiro lugar, o homem ou a mulher? A mulher sendo tirada da costela do homem não induz a pensarmos (ou, quem sabe, é o que querem que pensemos) que a mulher estaria em condições de inferioridade em relação ao homem?

A quem normalmente se atribui a “culpa” pelo pecado “original”, ao homem ou à mulher?

Todas as genealogias constantes da Bíblia são feitas em relação aos homens ou em relação às mulheres?

A maioria dos personagens em destaque na Bíblia são homens ou mulheres? Entre os 12 discípulos de Jesus tinha algum que não era homem?

Nas passagens bíblicas a seguir, alguns exemplos que nos comprovam o evidente machismo impregnado nela:

Deuteronomio 5, 21: Não cobice a mulher do próximo. (mandamento para os homens).

Deuteronomio 22, 13-15: Se um homem se casa com uma mulher e começa a detestá-la depois de ter tido relações com ela, acusando-a de actos vergonhosos e difamando-a publicamente, dizendo: ‘Casei-me com esta mulher mas, quando me aproximei dela, descobri que não era virgem, o pai e a mãe da jovem pegarão a prova da virgindade dela e levarão a prova aos anciãos da cidade para que julguem o caso.

Deuteronomio 24, 1: Quando um homem se casa com uma mulher e consuma o matrimónio, se depois ele não gostar mais dela, por ter visto nela alguma coisa inconveniente, escreva para ela um documento de divórcio e o entregue a ela, deixando-a sair de casa em liberdade.

Eclesiástico 7, 25: Arrume casamento para sua filha, e terá realizado uma grande tarefa, mas faça que ela se casa com homem sensato.

Eclesiástico 25, 24: Foi pela mulher que começou o pecado, e é por culpa dela que todos morremos.

Eclesiástico 42, 14: É melhor a maldade do homem do que a bondade da mulher: a mulher cobre de vergonha e chega a expor ao insulto.

E assim prossegue no Novo Testamento:

1 Coríntios 11, 7-9: O homem não deve cobrir a cabeça, porque ele é a imagem e o reflexo de Deus, a mulher, no entanto, é o reflexo do homem. Porque o homem não foi tirado da mulher, mas a mulher do homem. Nem o homem foi criado para a mulher, mas a mulher para o homem.

1 Coríntios 14, 34-35: Que as mulheres fiquem caladas nas assembleias, como se faz em todas as igrejas dos cristãos, pois não lhes é permitido tomar a palavra. Devem ficar submissas, como diz também a lei. Se desejam instruir-se sobre algum ponto, perguntem aos maridos em casa; não é conveniente que a mulher fale nas assembleias.

Colossenses 3, 18: Mulheres, sejam submissas a seus maridos, pois assim convém a mulheres cristãs.

1 Timóteo 2, 9-14: ... Durante a instrução, a mulher deve ficar em silêncio, com toda a submissão. Eu não permito que a mulher ensine ou domine o homem. Portanto, que ela conserve o silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E não foi Adão que foi seduzido, mas a mulher que, seduzida, pecou. Entretanto, ela será salva pela sua maternidade, desde que permaneça com modéstia na fé, no amor e na santidade.

Como não vemos, nos dias de hoje, ninguém matando homens ou mulheres que cometeram adultério, fica evidente não se tratar mesmo de uma Lei Divina.

Mas, ao que consta dessa Lei: estabelecia que tanto o adúltero quanto a adúltera deveriam ser punidos com a morte (Levítico 20, 10). Perguntamos, então, aonde foi parar o adúltero? Temos que convir que uma mulher não tem como adulterar sozinha já que, para isso, é necessário um homem. É a velha questão, numa sociedade machista em que também os homens é que julgavam, será que iriam condenar um homem adúltero? Achamos muito difícil. Assim, a pena cabia apenas às pobres mulheres que cometessem tal delito, contrariando, portanto, o que consta na Bíblia.

Visão do que a Doutrina Espírita diz sobre a mulher, questões de “O Livro dos Espíritos”

202 – Quando se é Espírito, prefere-se encarnar no corpo de um homem ou de uma mulher?

- Isso pouco importa ao Espírito; ele escolhe segundo as provas que deve suportar.

818 – De onde se origina a inferioridade moral da mulher em certos países?

- Do império injusto e cruel que o homem tomou sobre ela. É um resultado das instituições sociais e do abuso da força sobre a fraqueza. Entre os homens pouco avançados do ponto de vista moral, a força faz o direito.

819 – Com que objectivo a mulher é fisicamente mais fraca que o homem?

- Para lhe assinalar funções particulares. O homem é para os trabalhos rudes, por ser o mais forte; a mulher para os trabalhos suaves, e ambos para se entreajudarem nas provas de uma vida plena de amargura.

820 – A fraqueza física da mulher não a coloca naturalmente sob a dependência do homem?

- Deus deu a uns a força para proteger o fraco, e não para se servir dele.

Deus conformou a organização de cada ser às funções que deve cumprir. Se deu à mulher uma força física menor, dotou-a, ao mesmo tempo, de maior sensibilidade, relacionada com a delicadeza das funções maternais e a fraqueza dos seres confiados aos seus cuidados.

821 – As funções para as quais a mulher está destinada pela Natureza, têm uma importância tão grande quanto às dos homens?

- Sim, e maiores; é ela que lhe dá as primeiras noções da vida.

A lei humana, para ser equitativa, deve consagrar a igualdade dos direitos entre o homem e a mulher, pois todo privilégio concedido a um, ou a outro, é contrário à justiça. A emancipação da mulher segue o progresso da civilização, sua subjugação caminha com a barbárie. Os sexos, aliás, não existem senão pela organização física, visto que os Espíritos podem tomar um e outro, não havendo diferença entre eles sob esse aspecto, e, por conseguinte, devem gozar dos mesmos direitos.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

O Xamã




Um jovem estudante de Harvard se aproximou de um velho indio, e intentou confundi-lo com as perguntas mais difíceis. Porém o xamã esteve à altura da prova porque respondeu a todas as perguntas sem a menor vacilação e com a maior exatidão.

1 - Qual é a coisa mais antiga?
-- Deus, porque sempre tem existido.

2 - Qual é a coisa mais formosa?
-- O Universo, porque é obra de Deus.

3 - Qual é a maior de todas as coisas?
-- O Espaço, porque contém todo o Criador.

4 - Qual é a coisa mais constante?
-- A esperança, porque permanece no homem depois que haja perdido todo o mais.

5 - Qual é a melhor de todas as coisas?
-- A Virtude, porque sem ela não existe nada de bom.

6 - Qual é a mais rápida de todas as coisas?
-- O Pensamento, porque em menos de um minuto pode voar até o final do Universo.

7 - Qual é a mais forte de todas as coisas?
-- A Necessidade, porque faz com que o homem enfrente todos os perigos da vida.

8 - Qual é a mais fácil de todas as coisas?
-- Dar conselhos.

Porém, quando chegou à nona pergunta, o xamã disse um paradoxo. Deu uma resposta que, não foi jamais entendida pelo jovem doutor, e que, para a maioria das pessoas terá um sentido superficial. A pergunta foi esta:

9 - Qual é a mais difícil de todas as coisas?
E o xamã de replicou:
-- Conhecer a si mesmo...


FILOSOFIA NATIVA