segunda-feira, 31 de julho de 2017

.........................parar para pensar




É difícil parar para pensar, avaliar o que fizemos, o que nos aconteceu sem termos contribuído para isso e a forma como fomos lidando com as coisas.
É difícil porque exige avaliarmo-nos.

Para mim é difícil chegar ao fim do dia, cozinhar e tirar conclusões bolas, podia ter feito melhor nisto ou naquilo. E se eu não tivesse respondido mal ao meu irmão? E se eu tivesse ajudado aquela senhora com os sacos...
É muito mais fácil chegar a casa, enfiar o amuo no sofá e tapar-me no queixume:
Tive um dia horrível, Tenho uma vida de m$%&=, Sou infeliz porque... (fill in the blanks) e por aí adiante. Na maior parte das vezes preferimos esta posição de sermos agentes passivos da nossa vida porque é tão mais fácil culpar tudo o resto.

Quando a comida vem para a mesa temos sempre duas opções: ou comemos ou não comemos.
Se decidimos comer, ou saboreamos ou passamos o tempo a encontrar defeitos na comida.
Saborear nem sempre significa que a comida está óptima, muitas vezes significa que temos fome e essa é a única razão para nos saber bem.

Por muito que nos custe a acreditar, saborear a nossa comida é uma escolha.
Saborear a vida também.

Se escolhermos dizer mal do tempero cada vez que nos chega um prato à mesa, nunca vamos estar satisfeitos. E seremos sempre péssimas companhias de refeição para os outros.

E foi isto que, depois de comer um chocolate inteiro, eu agradeci na quinta-feira.
A capacidade de decidir, todos os dias, saborear a comida mesmo quando ela está salgada, e de saborear a vida mesmo quando ela parece azeda.
Agradecida.


Maria Midões


Quanto me queres?






Quanto, quanto me queres? – perguntaste
Olhando para mim mas distraída; 
E quando nos meus olhos te encontraste, 
Eu vi nos teus a luz da minha vida. 

Nas tuas mãos, as minhas, apertaste. 
Olhando para mim como vencida, 
"...quanto, quanto..." - de novo murmuraste 
E a tua boca deu-se-me rendida! 

Os nossos beijos longos e ansiosos,  
Trocavam-se frementes! - Ah! ninguém 
Sabe beijar melhor que os amorosos! 

Quanto te quero?! - Eu posso lá dizer!... 
- Um grande amor só se avalia bem 
Depois de se perder. 



António Botto
in, "Canções"






Dia da Morte do Meu Pai





A escritora Gertrude Stein insistia com os jovens escritores americanos de quem era protectora, Hemingway, Fitzgerald, tantos outros, da importância que teria para eles viverem em Paris. A sua explicação era simples:

Não é tanto o que Paris dá

(insistia ela)

é o que Paris não tira. Esta frase traz-me sempre à ideia a pergunta que Alexandre Dumas

(gosto de Alexandre Dumas)

faz no seu diário:

“Porque motivo há tantas crianças inteligentes e tantos adultos estúpidos?”

Fica a reflectir acerca disto durante uns parágrafos e acaba por concluir que só pode ser um problema de educação. Por exemplo os desenhos das crianças em geral são magníficos, os dos adultos, excepto no caso de serem artistas de talento, uma bodega. Claro que é um problema de educação: uma criança criativa é herética e subversiva

(até rima, olha)

e claro que isso assusta os professores que exigem dos alunos uma normalização que conduz inevitavelmente à mediocridade que tanto tranquiliza os pais. Queremos que os filhos tenham vidinhas, sejam tristemente independentes, consigam um bom casamento, uma, tanto quanto possível, boa casa, um ordenado simpático, filhos bem educados. Claro que admitimos Gauguin ou Mozart desde que não façam parte da família. Em geral as famílias defendem-se criando um maluquinho. Todas têm aquilo que consideram o maluco da família e, quando o maluco, por qualquer motivo, deixa de o ser, apressam-se a arranjar outro antes que a estrutura se desagregue. Não há nada que assuste mais as pessoas do que a criatividade, nada que as apavore mais do que a diferença. A sociedade necessita de medíocres que não ponham em questão os princípios fundamentais e eles aí estão: dirigem os países, as grandes empresas, os ministérios, etc. Eu oiço-os falar e pasmo não haver praticamente um único líder que não seja pateta, um único discurso que não seja um rol de lugares comuns. Mas os que giram em torno deles não são melhores. Desconhecemos até os nossos grandes homens: quem leu Camões por exemplo? Quase ninguém. Quem sabe alguma coisa sobre Afonso de Albuquerque? Mas todos os dias há paleios cretinos acerca de futebol em quase todos os canais. Porque não é perigoso. Porque tranquiliza. Os programas de televisão são quase sempre miseráveis mas é vital que sejam miseráveis. E queremos que as nossas crianças se tornem adultos miseráveis também, o que para as pessoas em geral significa responsáveis. Reparem, por exemplo, em Churchill. Quando tudo estava normal, pacífico, calmo, não o queriam como governante. Nas situações extremas, quando era necessário um homem corajoso, lúcido, clarividente, imaginativo, iam a correr buscá-lo. Os homens excepcionais servem apenas para situações excepcionais, pois são os únicos capazes de as resolverem. Desaparece a situação excepcional e prescindimos deles. Gostamos dos idiotas porque não nos colocam em causa. Quanto às pessoas de alto nível a sociedade descobriu uma forma espantosa de as neutralizar: adoptou-as. Fez de Garrett e Camilo viscondes, como a Inglaterra adoptou Dickens. E pronto, ei-los na ordem, com alguns desvios que a gente perdoa porque são assim meio esquisitos, sabes como ele é, coitado, mas, apesar disso, tem qualidades. Temos medo do novo, do diferente, do que incomoda o sossego. A criatividade foi sempre uma ameaça tremenda: e então entronizamos meios-artistas, meios-cientistas, meios-escritores. Claro que há aqueles malucos como Picasso ou Miró e necessitamos de os ter no Zoológico do nosso espírito embora entreguemos o nosso dinheiro a imbecis oportunistas a que chamamos gestores. E, claro, os gestores gastam mais do que gerem, com o seu português horrível e a sua habilidade de vendedores ambulantes: Porquê? Porque nos sossegam. Salazar sossegava. De Gaulle, goste-se dele ou não, inquietava. Eu faria um único teste aos políticos, aos administradores, a essa gentinha. Um teste ao seu sentido de humor. Apontem-me um que o tenha. Um só. Uma criatura sem humor é um ser horrível. Os judeus dizem: os homens falam, Deus ri. E, lendo o que as pessoas dizem, ri-se de certeza às gargalhadas. E daí não sei. Voltando à pergunta de Dumas

– Porque é que há tantas crianças inteligentes e tantos adultos estúpidos?

não tenho a certeza de ser um problema de educação que mais não seja porque os educadores, coitados, não sabem distinguir entre ensino, aprendizagem e educação.
A minha resposta a esta questão é outra.
Há muitas crianças inteligentes e muitos adultos estúpidos porque matámos o máximo de crianças que perdemos quando elas começaram a crescer. Por inveja, claro. Mas, sobretudo, por medo.



ANTÓNIO LOBO ANTUNES





domingo, 30 de julho de 2017

A Defesa da Liberdade Humana





O problema da liberdade foi o que sempre mais me preocupou.
Tento pôr ordem nas minhas ideias, mas não é fácil.

Fui da esquerda e mesmo da sua direita (porque a direita da esquerda é a mais esquerda, como a direita da direita, a mais direita). Fui-o porque ela era a favor da liberdade humana e se parecia que era contra a liberdade humana, era só por defender a liberdade humana.
Hoje sou contra a defesa da liberdade humana, porque sou a favor da liberdade humana.

Esquerdas e direitas dizem-me que se eu sou contra a defesa da liberdade humana, por ser a favor da liberdade humana, sou realmente contra a liberdade humana e estou por isso fazendo o jogo de uns ou de outros, consoante aqueles que me acusam.

Ah, por favor, não me peçam explicações - sou homem, não sou político.
Defendo a liberdade porque sou pela liberdade e por isso não devo defender a liberdade, porque para defender a liberdade teria de atacar a liberdade, o que me obrigaria então a defendê-la por ser a favor dela - merda!

Sou pela liberdade, sou contra a opressão, e isto é simples, é humano, é evidente - disse!
E não me chateiem mais.


Vergílio Ferreira
in, Estrela Polar




Diz Toda a Verdade





Diz toda a Verdade mas di-la tendenciosamente - 
O êxito está no Circuito 
É demasiado brilhante para o nosso enfermo Prazer 
A esplêndida surpresa da Verdade 

Como o Relâmpago se torna mais fácil para as Crianças 
Com uma amável explicação 
A Verdade deve ofuscar gradualmente 
Ou cada homem ficará cego - 



Emily Dickinson
in, "Poemas e Cartas" 






Edward Joseph Snowden




"No Place to Hide: Edward Snowden, the NSA, and the U.S. Surveillance State" is a 2014 non-fiction book by American investigative journalist Glenn Greenwald. It was first published on May 13, 2014 through Metropolitan Books and details Greenwald's role in the global surveillance disclosures as revealed by the former National Security Agency contractor Edward Snowden.

The documents from the Snowden archive cited in the book are freely available online.          
AQUI http://www.glenngreenwald.net/#BookDocuments



Snowden downloaded up to 1.5 million files, according to national intelligence officials, before jetting from Hawaii to Hong Kong to meet with journalists Glenn Greenwald and Laura Poitras.


The book consists of five chapters: Contact, Ten Days in Hong Kong, Collect It All, The Harm of Surveillance, and the Fourth Estate, plus an introduction and an epilogue.
In the introduction Greenwald explains how his background as a blogger on surveillance practices of the American government attracted Edward Snowden's attention, and he summarizes the nature, legality, and evolution of such practices. Greenwald concludes by discussing how a global surveillance network has been created with the assistance of technology companies and the unique role of the internet in human history as a facilitator of such surveillance.

In the body of the book, Greenwald discusses how he became involved with the 2013 global surveillance disclosures. He began by traveling to Hong Kong to meet Edward Snowden, who had contacted Greenwald as an anonymous source purporting to have evidence of government surveillance. As Greenwald continued to investigate he uncovered more information that he later published, to much controversy.
In the book Greenwald also discusses establishment media, which he states will traditionally avoid publishing anything that would put them at odds with the government and as such, are less helpful when it comes to the interests of the general public.





Edward Joseph Snowden (born June 21, 1983) is an American computer professional, former Central Intelligence Agency (CIA) employee, and former contractor for the United States government who copied and leaked classified information from the National Security Agency (NSA) in 2013 without authorization.
His disclosures revealed numerous global surveillance programs, many run by the NSA and the Five Eyes Intelligence Alliance with the cooperation of telecommunication companies and European governments.
A subject of controversy, Snowden has been variously called a hero, a whistleblower, a dissident, a traitor and a patriot. His disclosures have fueled debates over mass surveillance, government secrecy, and the balance between national security and information privacy.

Snowden left the Moscow airport on August 1 2013, after 39 days in the transit section, coming from Hong Kong. He was granted temporary asylum in Russia for one year, with extensions possible.
In the waning days of the Obama administration, former CIA Director Michael Morell suggested that Russia should extradite Snowden to the United States as a "gift" to Donald Trump. The comment drew harsh criticism by the Russian Foreign Ministry and was described as an “ideology of betrayal” by Russian Ministry spokeswoman Maria Zakharova.
Zakharova added that Snowden had been granted an extension of his stay until 2020.





On October 10, 2014, "Citizenfour", a documentary about Snowden, received its world premiere at the New York Film Festival. Earlier that year, director Laura Poitras told Associated Press she was editing the film in Berlin because she feared her source material would be seized by the government inside the U.S. The two-hour film was shot in various countries, tracing Snowden's time in Hong Kong and Moscow.
The film was released in the U.S. and Europe to wide acclaim from critics, and won the 2015 Academy Award for Best Documentary Feature.
Snowden declared in a February 2015 Reddit "AMA" (Ask Me Anything) that he had no commercial interest in the film.

Citizenfour is a 2014 documentary film directed by Laura Poitras, concerning Edward Snowden and the NSA spying scandal. The film had its US premiere on October 10, 2014, at the New York Film Festival and its UK premiere on October 17, 2014, at the BFI London Film Festival. The film features Snowden and Glenn Greenwald, and was co-produced by Poitras, Mathilde Bonnefoy, and Dirk Wilutzky, with Steven Soderbergh and others serving as executive producers. Citizenfour received critical acclaim upon release, and was the recipient of numerous accolades, including the Academy Award for Best Documentary Feature at the 2015 Oscars.





On Friday, September 16, Skyhorse Publishing celebrated the launch of "SNOWDEN: Official Motion Picture Edition", the official movie-tie book by Oliver Stone.




In March 2016, National Security Agency whistleblower Edward Snowden, has made a new controversial claim during an interview with the Moscow Tribune, saying that he possesses some classified information proving that the CIA is behind the “theory of Global Warming”.
Mr. Snowden says the CIA first orchestrated the spread of the “Global Warming scare” in the 1950s, in order to divert the attention of the scientific community, from the dangers of the weapons race and reinforce its control over research institutes.

 “I have documents showing that the CIA invented the whole thing,” claims Edward Snowden. “Global Warming was invented to both scare people, and divert their attention from other human-made dangers like nuclear weapons. The CIA gave millions of dollars to any scientist who would confirm the theory, so many unscrupulous scientists did what they were told in order to get the money. Now, there is so much fake data to confirm that Global Warming “exists”, that they actually convinced everyone that it was real.”

He is talking of “High Frequency Active Auroral Research Program”, which is known as HAARP, most dangerous and Self Destructing weather control measure.
Mr. Snowden says that the documents proving that the CIA invented the whole thing will be integrally reproduced in his new book.



Margaret Thatcher can also get part of the global warming scare credit.
She was having trouble with unionized coal mines in the UK and decided to threaten them with replacement by nuclear, supposedly to decrease CO2 emissions that were just then be demonized as a “greenhouse gas.”

The average volcanic eruption puts more than 10,000 times more CO2 into the atmosphere than mankind has done in our entire time on earth. This is used by the UN to gain greater control on countries, fleece them of billions of dollars and pave the way for a one world government socialist dictatorship.




The Biggest Revelations From Edward Snowden's Leaks:


  1. Secret court orders allow NSA to sweep up Americans' phone records.
  2. PRISM The existence of PRISM was the second NSA bombshell, coming less than 24 hours after the first one. Initially, reports described PRISM as the NSA's program to directly access the servers of U.S tech giants like Google, Facebook, Microsoft and Apple, among others.
  3. Britain's version of the NSA taps fiber optic cables around the world
  4. The British spy agency, the Government Communications Headquarters (GCHQ), taps fiber optic cables all over the world to intercept data flowing through the global Internet, we learned. The GCHQ works closely with the NSA, sharing data and intelligence in a program that's codenamed Tempora. Tempora is one of the key NSA/GCHQ programs, allowing the spy agencies to collect vasts troves of data, but for some reason, it has sometimes been overlooked. After a couple of months from the Tempora revelation, a German newspaper revealed the names of the companies that collaborate with the GCHQ in the Tempora program: Verizon Business, British Telecommunications, Vodafone Cable, Global Crossing, Level 3, Viatel and Interoute.
  5.  NSA spies on foreign countries and world leaders
  6. XKeyscore, the program that sees everything XKeyscore is a tool the NSA uses to search "nearly everything a user does on the Internet" through data it intercepts across the world. In leaked documents, the NSA describes it as the "widest-reaching" system to search through Internet data.
  7. NSA efforts to crack encryption and undermine Internet security
  8. Even as the NSA demands more powers to invade our privacy in the name of cybersecurity, it is making the Internet less secure and exposing us to criminal hacking, foreign espionage, and unlawful surveillance. The NSA's efforts to secretly defeat encryption are recklessly shortsighted and will further erode not only the United States' reputation as a global champion of civil liberties and privacy but the economic competitiveness of its largest companies.
  9. NSA elite hacking team techniques revealed
  10. The NSA has at its disposal an elite hacker team codenamed "Tailored Access Operations" (TAO) that hacks into computers worldwide, infects them with malware and does the dirty job when other surveillance tactics fail.
  11. NSA cracks Google and Yahoo data center links When bulk collection or PRISM fails, the NSA had other tricks up its sleeve: It could infiltrate links connecting Yahoo and Google data centers, behind the companies' backs.
  12. NSA collects text messages
  13. It's not just about Internet data though. The NSA, following its unofficial motto of "collecting it all," intercepts 200 million text messages every day worldwide through a program called Dishfire. In leaked documents, the agency described the collected messages as a "goldmine to exploit" for all kinds of personal data. NSA can "easily" crack cellphone encryption, allowing the agency to more easily decode and access the content of intercepted calls and text messages.
  14. NSA intercepts all phone calls in two countries
  15. The NSA intercepts and stores all phone calls made in the Bahamas and Afghanistan through a program called MYSTIC, which has its own snazzy logo. The NSA also collects all phone calls' metadata in Mexico, Kenya and the Philippines.
  16. An 18-page presidential memo shows Obama ordering intelligence officials to draw up a list of overseas targets for cyberattacks.
  17. The NSA was hacking computers in Hong Kong and mainland China, few of which were military systems.
  18. Britain's GCHQ (its intelligence agency) intercepted phone and internet communications of foreign politicians attending two G-20 meetings in London in 2009. Britain's GCHQ taps fiber-optic cables to collect and store global email messages, Facebook posts, internet histories, and calls, and then shares the data with the NSA.
  19. Until 2011, the Obama administration permitted the NSA's continued collection of vast amounts of Americans' email and internet metadata under a Bush-era program called Stellar Wind.
  20. The US government bugged the offices of the European Union in New York, Washington, and Brussels.
  21. The US government spies on at least 38 foreign embassies and missions, using a variety of electronic surveillance methods.
  22. The NSA spies on millions of phone calls, emails, and text messages of ordinary German citizens.Using a program called Fairview, the NSA intercepts internet and phone-call data of Brazilian citizens.Monitoring stations set up in Australia and New Zealand help feed data back to NSA's XKeyscore program. The NSA conducts surveillance on citizens in a number of Latin American countries, including Venezuela, Colombia, Argentina, Panama, Ecuador, Peru, and others. The agency also sought information on oil, energy, and trade.
  23. Germany's Federal Intelligence Service, BND, helps contribute data to the NSA's XKeyscore program.
  24. The US government paid Britain's GCHQ roughly $155 million over three years to gain access and influence over its spying programs.
  25. Seven of the world's leading telecommunications companies provide GCHQ with secret, unlimited access to their network of undersea cables.
  26. Internal NSA document reveals an agency "loophole" that allows a secret backdoor for the agency to search its databases for US citizens' emails and phone calls without a warrant.
  27. The top-secret US intelligence "black budget" is revealed for 2013, with 16 spy agencies having a budget of $52.6 billion.
  28. The US carried out 231 offensive cyberattacks in 2011.
  29. The NSA hacked into Qatar-based media network Al Jazeera's internal communications system.
  30. Using a "man in the middle" attack, NSA spied on Google, the French Ministry of Foreign Affairs, the Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunications, and the Brazilian oil company Petrobras.
  31. A joint investigation by ProPublica, The New York Times, and The Guardian finds the NSA is winning its war against internet encryption with supercomputers, technical know-how, and court orders.
  32. The NSA has the ability to access user data for most major smartphones on the market, including Apple iPhones, BlackBerrys, and Google Android phones.
  33. The NSA shares raw intelligence data (with information about American citizens) to Israel with an information-sharing agreement.
  34. The NSA monitors banks and credit institutions for a comprehensive database that can track the global flow of money.
  35. Britain's GCHQ launched a cyberattack against Belgacom, a partly state-owned Belgian telecommunications company.
  36. The NSA spies on Indian diplomats and other officials in an effort to gain insight into the country's nuclear and space programs.
  37. The NSA stores a massive amount of internet metadata from internet users, regardless of whether they are being targeted, for up to one year in a database called Marina.
  38. Canada's signals intelligence agency, CSEC, spied on phone and computer networks of Brazil's Ministry of Mines and Energy and shared the information with the "Five Eyes" intelligence services of the US, Canada, Britain, Australia, and New Zealand.
  39. The NSA spied on French citizens, companies, and diplomats, and monitored communications at France's embassy in Washington and its UN office in New York.
  40. The NSA tapped the mobile phone of German Chancellor Angela Merkel.
  41. The NSA spied on Italian citizens, companies, and government officials. Spied Spanish leaders and citizens.
  42. The NSA stations surveillance teams at 80 locations around the world.
  43. A joint program between the NSA and Britain's GCHQ called Muscular infiltrates and copies data flowing out of Yahoo and Google's overseas data centers. One slide boasted of "SSL added and removed here!" with a smiley face.
  44. The NSA spied on the Vatican.
  45. Strategic missions of the NSA are revealed, which include combatting terrorism and nuclear proliferation, as well as pursuing US diplomatic and economic advantage.
  46. Australia's Defense Signals Directorate and the NSA worked together to spy on Indonesia during a UN climate change conference in 2007.Australia's DSD spied on the cellphones of top Indonesian officials, including the president, first lady, and several cabinet ministers.
  47. A NSA strategy document reveals the agency's goal to acquire data from "anyone, anytime, anywhere" and expand its already broad legal powers.
  48. The NSA infected more than 50,000 computer networks worldwide with malware designed to steal sensitive information.
  49. Swedish intelligence was revealed to be spying on Russian leaders, then passing it on to the NSA.  
  50. The NSA has the ability to decrypt the common A5/1 cellphone encryption cipher.
  51. A document reveals how Britain's GCHQ spied on Germany, Israel, the European Union, and several nongovernmental organizations.
  52. With a $79.7 million research program, the NSA is working on a quantum computer that would be able to crack most types of encryption.
  53. Using radio transmitters on tiny circuit boards or USB drives, the NSA can gain access to computers not connected to the internet.
  54. A GCHQ program called Squeaky Dolphin monitors YouTube, Facebook, and Blogger for "broad real-time monitoring of online activity."
  55. The NSA spied on negotiators during the 2009 UN climate change conference in Copenhagen, Denmark.
  56. NSA developed sophisticated malware "implants" to infect millions of computers worldwide. In one example, the NSA posed as a fake Facebook server to infect a target's computer and steal files.
  57. The NSA closely monitored the Chinese technology firm Huawei in attempt to reveal ties between the company and the Chinese military. The agency also spied on Chinese banks and other companies, as well as former President Hu Jintao.
  58. Malaysia's political leadership is a high-priority intelligence target for the US and Australia in 2014.
  59. There are hundreds of leaks that have come to light thus far.






Fontes:  World News Daily Report
                Skyhorse Publishing
                Wikipedia
                Biography
                The Guardian
                BBC News
                Business Insider




sábado, 29 de julho de 2017

A Great Wagon





When I see your face, the stones start spinning!
You appear; all studying wanders.
I lose my place.

Water turns pearly.
Fire dies down and doesn’t destroy.

In your presence I don’t want what I thought
I wanted, those three little hanging lamps.

Inside your face the ancient manuscripts
Seem like rusty mirrors.

You breathe; new shapes appear,
and the music of a desire as widespread
as Spring begins to move
like a great wagon.
Drive slowly.
Some of us walking alongside
are lame!

~

Today, like every other day, we wake up empty
and frightened. Don’t open the door to the study
and begin reading. Take down a musical instrument.

Let the beauty we love be what we do.
There are hundreds of ways to kneel and kiss the ground.

~

Out beyond ideas of wrongdoing and rightdoing,
there is a field. I’ll meet you there.

When the soul lies down in that grass,
the world is too full to talk about.
Ideas, language, even the phrase each other
doesn’t make any sense.

~

The breeze at dawn has secrets to tell you.
Don’t go back to sleep.
You must ask for what you really want.
Don’t go back to sleep.
People are going back and forth across the doorsill
where the two worlds touch.
The door is round and open.
Don’t go back to sleep.

I would love to kiss you.
The price of kissing is your life.

Now my loving is running toward my life shouting,
What a bargain, let’s buy it.

~

Daylight, full of small dancing particles
and the one great turning, our souls
are dancing with you, without feet, they dance.
Can you see them when I whisper in your ear?

~

They try to say what you are, spiritual or sexual?
They wonder about Solomon and all his wives.

In the body of the world, they say, there is a soul
and you are that.

But we have ways within each other
that will never be said by anyone.

~

Come to the orchard in Spring.
There is light and wine, and sweethearts
in the pomegranate flowers.

If you do not come, these do not matter.
If you do come, these do not matter.



RUMI





Os projectos entretêm





Os projectos entretêm.
Construí uma casa onde pudesse morrer, casei convencida de que era a última vez.
Acreditei nisto como acredito na minha mão direita.
Já não tenho a casa nem a última vez, e a todo o momento - é verdade - posso perder a mão direita.

Quando digo «amo-te» não amo ainda a pessoa, mas a possibilidade que oferece.
Nem todos entenderam isto.
Quando deixo de dizer, não é por deixar de amar, mas porque a ideia de morrer ao lado de alguém, que é um belo argumento, morreu também.
O amor é o mais fácil, somos capazes de amar tudo: uma pessoa, uma casa, um vestido, um banho de praia, um pato com laranja. O difícil é encontrar uma hipótese tão boa que confirme a expectativa e desminta a descrença.

O sexo, em si, também é monótono.
São três ou quatro as coisas que se fazem na cama.
Tem algum drama, reconheço, quando a intimidade não é imediata, e pede inteligência, imaginação, perversão; mas quando cumpre é como beber água. Um cálice de esquecimento para um recomeço intacto, depois de um banho. Penso que habilita e reabilita, que fortalece. Todavia, não prevalece. Sei do que falo. Quando invoco um amor antigo, nunca é essa a primeira memória que surge ou de que sinto a falta. Foi aquele gesto ou aquele dia, era aquele sorriso, aquele jeito de fumar ou de afastar a franja - passados uns anos, todas as recordações são metafísicas.

Com a distância também se aprende a estimar, mais do que as pessoas que amámos, as que nos amaram bem, e por isso há quem não me saia do coração.
Um dia, fui com ele até ao Algarve e dormi todo o tempo. No fim, reparei que a viagem demorara. Agreste, atirei:
- Tanto tempo, caramba! Vieste a pisar ovos?
- Foi para não te acordar.
Casei-me com ele.

A duração de um amor depende do que viemos aqui fazer.
Uns, querem ser felizes, outros, aprender.
Os primeiros raramente conseguem, desesperam.
Os segundos não se ralam com a infelicidade, desde que instrua.

O problema é quando a infelicidade nada traz.
Aconteceu-me algumas vezes e a resposta é uma.
Podemos partir para uma infelicidade maior, mas a expectativa de uma nova oportunidade devolve-nos a esperança. Ilusória ou não, ainda não se inventou melhor combustível.



Rita Ferro
in, Veneza Pode Esperar




O PASSADO FICA, NÓS PASSAMOS





O passado é sempre um destroço fumegante, uma sombra que nos persegue, uma pele da nossa pele que não aceita compromissos ou rupturas.
Irá connosco até ao fim, como as tatuagens e as cicatrizes, como ferida incurável na voz.
O passado desagua no delta das nossas incertezas, fantasma omnipotente do que deixámos por cumprir.
Lembras-te de mim neste retrato, tapando o rosto com medo do vento e com vergonha de ter medo?
Lembras-te de nós tão longe de casa a passearmos pelas ruas íngremes de uma cidade sem nome mas de perfume intenso?
Lembras-te de ti a morrer aos poucos dentro de mim com a serena indiferença de quem imagina que tudo é imutável só porque o queremos imutável?
É isso o passado: o sentimento por trás da imagem, a recordação colada à fotografia, o aroma de uma despedida que ficou para sempre inconfessada.
Nós passamos, mas o passado fica, teimosamente, a lembrar-nos que ainda temos muito que passar,
sorriso asfixiado contra um vidro fosco onde os pássaros embatem e morrem, arquejantes, vitimados pela armadilha do fulgor do sol.


JOSÉ JORGE LETRIA 
in, PRODUTO INTERNO LÍRICO




sexta-feira, 28 de julho de 2017

O Principezinho



Um dos livros que mais me marcou, foi "O Principezinho", uma obra do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, publicada em 1943.

Já o li tarde, por volta dos meus 25 anos...


Eis algumas das frases do livro, por Nara Rúbia Ribeiro:


1 – “Os baobás, antes de crescer, são pequenos.”
Nunca deixar para amanhã a minha limpeza interior.

2 – “É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas.”
Preciso ter paciência com as minhas próprias limitações até as minhas asas ficarem prontas.

3 – “É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar – replicou o rei. A autoridade baseia-se na razão.”
É desumano exigir do outro a entrega de algo que não lhe pertence. Não posso administrar a posse do outro, muito menos poderia administrar as suas lacunas. Assim, que eu cuide, então, das minha carências!

4 – “Tu julgarás a ti mesmo – respondeu-lhe o rei. – É o mais difícil. É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros. Se consegues fazer um bom julgamento de ti, és um verdadeiro sábio.”
Pensar na vida alheia, nas qualidades alheias é uma distracção medíocre. Mais vale o autoconhecimento do que ter decorado a biografia de centenas de outros.

5 – “As estrelas são todas iluminadas... Será que elas brilham para que cada um possa um dia encontrar a sua?”
O universo colabora, dando-nos a luz de inúmeras estrelas. Resta-nos treinar a própria visão para que as saibamos ver.

6 – “Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu também não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás, para mim, único no mundo. E eu serei para ti única no mundo.”
As pessoas se permitem cativar por vontade. Talvez inconscientemente, mas por vontade própria. Quando existe um laço assim, de encantamento construído, nenhum silêncio e nenhuma distância pode vencer.

7 – “A gente só conhece bem as coisas que cativou – disse a raposa. – Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma.”
O homem, na pressa quotidiana, habituou-se à superfície das coisas, dos relacionamentos. Habituou-se à superfície de si. Por isso estamos tão distantes da verdadeira saúde mental. É essa pressa que faz adoecer os homens.

8 – “O essencial é invisível aos olhos.”
Tudo o que vemos é provisório, parcial. Distorcida é a realidade que nos cerca. Aquilo que de facto é real ressoa no abstracto, tem vigas invisíveis na alma e não cabe na palma de nenhuma mão.

9 – “Foi o tempo que perdeste com tua rosa que a fez tão importante.”
A importância do outro não reside no outro. Reside em nossa aptidão interior de dispensar a ele o melhor de nós mesmos. É o nosso coração que faz com que o outro se torne tão especial.

10 – “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”
Talvez a frase mais famosa do livro. É uma assertiva que dispensa explicação. Toda e qualquer fala seria inútil. Se quiseres compreender, exercita-te. Cativa! E cativa-te primeiro a ti. Só assim dimensionarás a responsabilidade de tudo aquilo que é eterno.









....................................searching for freedom


Michal Karcz



You say you are searching for freedom
and something is becoming worse inside you. Why?
Because a power, a force that has not been serving you
is being exposed. And it is as though there is another entity
inside your being that is pretending it is you, or with you.
But now you are discovering it is not in service to Truth,
and being exposed, it begins to retaliate against you.
Are you aware of this or not?
Everyone who searches for the Truth or freedom
experiences what you are experiencing now.
So I am asking you all these questions, what will you do?
Will you say, ‘Okay, Mr. Mind, I will be nice and obey you.
I will be a good person. I will stay with you, just don't beat me.’
Or will you say, ‘Whatever it takes, I will be free of this’?
Then, you turn yourself over to the Supreme and the divine energies.
You surrender to them, or you follow this process
and guidance of self-inquiry which I am showing you.
Trust it. Work with it until you are free of this molestation.
Because in this life, you must transcend the voice of the serpent.
And you have all the advantage
because what you are searching for is already inside you—complete.
It cannot be destroyed. It cannot be lost.
It can only be hidden and it has been hidden for a very long time,
and replaced by the devious play of the psychological mind.
Is it time for a change?
Yes. And so change has come.
Grace has come. Also fire has come.
Don't be in despair. Don't be discouraged. Don't be afraid.
Greater is the power that has come for you
than the power that fights against you.
Trust and apply what I say.


~ Mooji


Caiu que nem uma luva...estou nesta luta agora...
Estava tudo a ficar mais calmo na minha mente, e nesta última semana a coisa complicou bastante.
Mas, ‘Whatever it takes, I will be free of this’!!!!!!!
Porque a verdadeira liberdade, está no regressar à Fonte!!!!


Ode ao Amor






Tão lentamente, como alheio, o excesso de desejo, 
atento o olhar a outros movimentos, 
de contacto a contacto, em sereno anseio, leve toque, 
obscuro sexo á flor da pele sob o entreaberto 
de roupas soerguidas, vibração ligeira, sinal puro 
e vago ainda, e súbito contrai-se, 
mais não é excesso, ondeia em síncopes e golpes 
no interior da carne, as pernas se distendem, 
dobram-se, o nariz se afila, adeja, as mãos, 
dedos esguios escorrendo trémulos 
e um sorriso irónico, violentos gestos, 
amor... 
             ah tu, senhor da sombra e da ilusão sombria, 
vida sem gosto, corpo sem rosto, amor sem fruto, 
imagem sempre morta ao dealbar da aurora 
e do abrir dos olhos, do sentir memória, do pensar na vida, 
fuga perpétua, demorado espasmo, distração no auge, 
cansaço e caridade pelo desejo alheio, 
raiva contida, ódio sem sexo, unhas e dentes, 
despedaçar, rasgar, tocar na dor ignota, 
hesitação, vertigem, pressa arrependida, 
insuportável triturar, deslize amargo, 
tremor, ranger, arcos, soluços, palpitar e queda. 

Distantemente uma alegria foi, 
imensa, já tranquila, apascentando orvalhos, 
de contacto a contacto, ansiosamente serenando, 
obscuro sexo à flor da pele... amor... amor... 
ah tu senhor da sombra e da ilusão sombria... 
rei destronado, deus lembrado, homem cumprido. 

Distantemente, irónico, esquecido. 




Jorge de Sena
in, "Pedra Filosofal"





quinta-feira, 27 de julho de 2017

Erótica é a Alma que...





Todos vamos envelhecer...
Querendo ou não, iremos todos envelhecer.

As pernas irão pesar, a coluna doer, o colesterol aumentar.
A imagem no espelho irá se alterar gradativamente e perderemos estatura, lábios e cabelos.
A boa notícia é que a alma pode permanecer com o humor dos dez, o viço dos vinte e o erotismo dos trinta anos.
O segredo não é reformar por fora.
É, acima de tudo, renovar a mobília interior: tirar o pó, dar brilho, trocar o estofado, abrir as janelas, arejar o ambiente.
Porque o tempo, invariavelmente, irá corroer o exterior.
E, quando ocorrer, o alicerce precisa estar forte para suportar.

Erótica é a alma que se diverte, que se perdoa, que ri de si mesma e faz as pazes com a sua história.
Que usa a espontaneidade para ser sensual, que se despe de preconceitos, intolerâncias, desafectos.
Erótica é a alma que aceita a passagem do tempo com leveza e conserva o bom humor apesar dos vincos em torno dos olhos e o código de barras acima dos lábios.
Erótica é a alma que não esconde os seus defeitos, que não se culpa pela passagem do tempo.
Erótica é a alma que aceita as suas dores, atravessa o seu deserto e ama sem pudores.

Aprenda: bisturi algum vai dar conta do buraco de uma alma negligenciada anos a fio.



Adélia Prado





POR VEZES, NÃO RARO





Por vezes, não raro,
basta um gesto, sua borracha,
um quase nada de alvaiade,
um rasgo e só.

No entanto, o carvão
de certas palavras,
de alguns nomes,
não se apaga fácil.

Afogá-lo, inútil:
o maralto traz
de volta cada sílaba
em sal fortalecida.

Enterrá-lo? Logo renascerá:
árvore alta, trigo, praga.
No fogo, irrompe a letra,
inda mais sólida liga.

Há que esperar do esquecimento
o dente miúdo
e lento roer a nódoa na língua,
o travo no peito.



Eucanaã Ferraz 
in, Dessassombro




OS TRÊS GOVERNOS DA NOVA ORDEM MUNDIAL

                               





terça-feira, 25 de julho de 2017

A Armadilha da Identidade





A mais perigosa armadilha é aquela que possui a aparência de uma ferramenta de emancipação. 
Uma dessas ciladas é a ideia de que nós, seres humanos, possuímos uma identidade essencial: somos o que somos porque estamos geneticamente programados. Ser-se mulher, homem, branco, negro, velho ou criança, ser-se doente ou infeliz, tudo isso surge como condição inscrita no ADN. Essas categorias parecem provir apenas da Natureza. A nossa existência resultaria, assim, apenas de uma leitura de um código de bases e nucleótidos.

Esta biologização da identidade é uma capciosa armadilha. 
Simone de Beauvoir disse: a verdadeira natureza humana é não ter natureza nenhuma.
Com isso ela combatia a ideia estereotipada da identidade.

Aquilo que somos não é o simples cumprir de um destino programado nos cromossomas, mas a realização de um ser que se constrói em trocas com os outros e com a realidade envolvente.

A imensa felicidade que a escrita me deu foi a de poder viajar por entre categorias existenciais. Na realidade, de pouco vale a leitura se ela não nos fizer transitar de vidas. De pouco vale escrever ou ler se não nos deixarmos dissolver por outras identidades e não reacordarmos em outros corpos, outras vozes.

A questão não é apenas do domínio de técnicas de decifração do alfabeto.
Trata-se, sim, de possuirmos instrumentos para sermos felizes.
E o segredo é estar disponível para que outras lógicas nos habitem, é visitarmos e sermos visitados por outras sensibilidades. É fácil sermos tolerantes com os que são diferentes. É um pouco mais difícil sermos solidários com os outros. Difícil é sermos outros, difícil mesmo é sermos os outros.



Mia Couto
in, E Se Obama Fosse Africano?





Quem não Ama não Vive





Já na minha alma se apagam 
As alegrias que eu tive; 
Só quem ama tem tristezas, 
Mas quem não ama não vive. 

Andam pétalas e folhas 
Bailando no ar sombrio; 
E as lágrimas, dos meus olhos, 
Vão correndo ao desafio. 

Em tudo vejo Saudades! 
A terra parece morta. 
- Ó vento que tudo levas, 
Não venhas à minha porta! 

E as minhas rosas vermelhas, 
As rosas, no meu jardim, 
Parecem, assim caídas, 
Restos de um grande festim! 

Meu coração desgraçado, 
Bebe ainda mais licor! 
- Que importa morrer amando, 
Que importa morrer d'amor! 

E vem ouvir bem-amado 
Senhor que eu nunca mais vi: 
- Morro mas levo comigo 
Alguma coisa de ti. 



António Botto
in, "Canções"






A vida num tabuleiro de xadrez





Na maior parte das vezes, quando alguém nos provoca ou testa de alguma maneira, a nossa tendência é reagir, seja atacando seja fugindo.
Num jogo de xadrez fazemos o mesmo mas através das peças, certo?
Se o outro faz um cheque ao nosso Rei, respondemos a esse ataque à pessoa directamente ou fazêmo-lo através do jogo?
Obviamente que o jogo ficaria suspenso e a violência física surgiria caso levássemos as investidas do outro directamente.

Claro que é no tabuleiro que teremos que responder ao ataque.
Ou seja, os dois Reis e os seus reinos no jogo são uma Micro representação da Macro realidade de cada jogador.

O mesmo se passa nas nossas vidas. 
Estamos permanentemente a jogar com um jogador invisível chamado Deus que usa a nossa realidade e as pessoas para fazer as suas jogadas. Jogadas essas que estão estudadas de acordo com a nossa história Karmica e que pretendem através dos movimentos estudados, criar respostas positivas da nossa parte e levar-nos em última análise à vitória.

Infelizmente fazemos na vida o que seria ridículo no jogo; esquecemos que é um jogo, que o outro é apenas um peão e que apenas nos é pedido que respondamos ao seu movimento com um movimento nosso mais inteligente e estratégicamente preparado para nos salvaguardar.

Tenta então olhar para a tua realidade imaginando cavalos, bispos, rainha e rei, torres e peões em todas as pessoas à tua volta.
Imagina mesmo os quadradinhos pretos e brancos no chão.
Observa os movimentos dos outros como altamente estratégicos preparados pelo outro adversário (não propriamente por eles próprios!). A cada jogada foca-te apenas no tabuleiro e percebe que jogada inteligente, que te proteja e até favoreça pretendes fazer?

Obviamente num jogo de xadrez a vitimização, os ataques directos, cobranças são inúteis.
Não é por acaso que o xadrez é um jogo silencioso.

  • Onde e com quem consegues já manter este foco?
  • Onde e com quem esqueceste que afinal tudo é um jogo?
  • A quem andas a exigir jogadas que te favoreçam apenas a ti? 
  • Ou a quem andas a facilitar o jogo na ilusão de que te irá ajudar a ganhar o teu?


Entre a jogada de ataque, de defesa ou de não mexer em certas peças esperando simplesmente um movimento do outro, importante é que mantenham sempre o foco no tabuleiro sentindo a peça e o movimento do outro pois é a partir daí que poderás responder no teu melhor.



Vera Luz





segunda-feira, 24 de julho de 2017

Quando se gosta, gosta-se e pronto.





"Quando se gosta, gosta-se e pronto.
Sente-se saudades, estando longe ou mesmo 5 minutos depois de estarmos juntos.
O coração bate mais forte, o estômago encolhe, o sorriso congela.
Quando se gosta, gosta-se e apetece parar o tempo naqueles momentos que não queremos que acabem. Os abraços nunca são demasiado apertados e os beijos sabem sempre a pouco.
Tudo é sempre pouco.
Quando se gosta, as mãos encaixam na perfeição e o ombro tem a forma exacta para deitar a cabeça. As palavras são sempre meigas, cheias de carinho e acompanhadas de gestos sinceros que demonstram isso mesmo, que se gosta.
Quando se gosta, o único medo que existe é o de falhar e perder, por muito que seja tudo perfeito."




Bendito Sejas





Bendito sejas, 
Meu verdadeiro conforto 
E meu verdadeiro amigo! 

Quando a sombra, quando a noite 
Dos altos céus vem descendo, 
A minha dor, 
Estremecendo, acorda... 

A minha dor é um leão 
Que lentamente mordendo 
Me devora o coração. 

Canto e choro amargamente; 
Mas a dor, indiferente, 
Continua... 

Então, 
Febril, quase louco, 
Corro a ti, vinho louvado! 
- E a minha dor adormece, 
E o leão é sossegado. 

Quanto mais bebo mais dorme: 
Vinho adorado, 
O teu poder é enorme! 

E eu vos digo, almas em chaga, 
Ó almas tristes sangrando: 
Andarei sempre 
Em constante bebedeira! 

Grande vida! 

- Ter o vinho por amante 
E a morte por companheira! 



António Botto 
in, "Canções"