sábado, 30 de dezembro de 2017

Epifania





Me gustaría que el nuevo año me trajera una epifanía,
una manifestación de otra dimensión que trascienda las pérdidas,
los dolores cotidianos, los aburrimientos y obligaciones

O si no puede ser una epifanía,
estaría bien -me conformaría-
con el brote de ese bambú japonés
que lleva años gestándose en tierra oscura y sombría;
el alumbramiento tras la gestación

O el punto de inflexión donde la vida,
como en una función de matemáticas vitales,
cambia de signo y se manifieste ese amor,
que descubrí en un punto oscuro del corazón,
y que surja, por fin, como el manantial
que da nacimiento a un río

Y me gustaría poder navegar por él,
conocer sus corrientes,
saltar sus saltos y beber sus aguas,
antes de llegar al mar del que todos procedemos

Sí, me gustaría conocer aquello oculto a lo cotidiano,
trascender y trascenderme
antes de que la muerte me impida la conciencia



Ana Cortiñas Payeras






................................. desejos para 2018





Há mais de 10 anos que escrevo os meus desejos num papel, dobro em 6 pedaços e guardo na minha carteira até à última noite do ano (não convém trocar de carteira).
Na última noite do ano, já terei escrito os desejos para 2018 e lido os de 2017.

Confesso que não me recordo exactamente de tudo o que pedi.
Mas tenho agradável sensação, de ter colhido muito acima do que sonhei.
Aproveito que estou no Alentejo, que hoje já andei de enxada na mão, para comprovar que raramente se colhe acima do que se semeia.

Há algumas regras concretas na definição dos desejos:
– Devem ser concretizáveis no prazo de 12 meses
– Devem ser mensuráveis
– Devem ser específicos e objectivos
– Devem depender essencialmente de nós para a sua concretização
– Se soubermos muito bem o que queremos, podemos dar-nos ao luxo de ter dois extras:)
– Não vale pedir genéricos: Amor, Saúde e todo aquele vernáculo zodíaco generalista que nos iliba de tudo, porque não se pode pedir tudo.

Não é assim tão fácil, como parece, pedir.
Enfim, pedir até é fácil, mas na tarefa de definição dos desejos é um pressuposto que se vá ao fundo de nós mesmos, que procuremos aqueles vazios, os nossos buracos por preencher, os sonhos adiados, os desejos inconfessos, os confessos, os desmedidos e os impedidos.

Nem tudo o que desejamos muito nos preenche. 
Esse é logo o primeiro erro, o mais fácil e o mais comum.
Até podemos arrastar desejos de ano para ano, mas convém perceber se funcionam como uma cenoura, ou se são vontades de outros, mascaradas de desejos nossos. 

  • Porque é que se pede insistentemente algo, se nada se faz para que realmente se concretize? 
  • E não serão os sonhos gigantes uma forma legitimada de se tornarem inalcançáveis?

Nem sempre foi assim.
Fui aprimorando a minha lista, como acredito ter feito com o meu carácter e com a minha vida. Assim, cada ano que passa, sinto uma responsabilidade acrescida no balanço das minhas concretizações.
Mesmo antes de desdobrar o papel, posso dizer, sem pedir licença, que sou muito feliz.
E que a Sorte, que alguns dizem que tenho, também depende deste exercício tão pequeno, nesta data tão sem importância em que se vira o ano.

E os sonhos não se adiam.
E a vida há só uma.


Isabel Saldanha



quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Polarity




Polarity, 
or action and reaction, 
we meet in every part of nature; 
in darkness and light, 
in heat and cold, 
in the ebb and flow of waters, 
in male and female, 
in the inspiration and expiration of plants and animals; 
in the equation of quantity and quality 
in the fluids of the animal body; 
in the systole and diasystole of the human heart; 
in the centrifugal and centripetal gravity; 
in electricity, 
galvanism 
and 
chemical affinity.  


– Ralph Waldo Emerson




2018





Tendências, desafios e oportunidades evolutivas do novo ano, em termos coletivos e aos signos:
2018 é marcado por posicionamentos astrológicos muito significativos: Saturno transita o signo de sua morada, Capricórnio, demandando mais responsabilidade, maturidade, consciência, percepção dos limites e do que está cristalizado. Saturno, Cronos, senhor do Tempo, da lei de ação e reação, do plantio e da colheita.

Quando se fala em Saturno, percebo uma reticência, possivelmente porque as pessoas têm medo de assumir a responsabilidade pela sua vida. Sempre que um planeta passa no signo da sua regência, o seu simbolismo fica mais evidenciado.
A passagem de Saturno pelos diferentes signos ao longo do tempo sinaliza os temas que estão evidenciados na sociedade. Maturidade, resiliência e persistência são atributos saturninos. Trata-se de uma realização que não está no status e sim em abraçar o sentido de propósito, de colocar em prática os nossos talentos e de nos responsabilizarmos na criação de uma nova realidade pessoal e coletiva. Perceberemos uma maior preocupação com temas voltados para a carreira, as estruturas, as instituições, a velhice, o que representa solidez e o que necessita de pés bem firmes plantados no chão. Saturno/Capricórnio é realidade.

Os anéis de Saturno representam os compromissos que precisamos assumir para a nossa evolução. Excelência, maestria, disciplina e profissionalismo são palavras-chave de 2018. Saturno em Capricórnio significa em que medida somos capazes de colocar em prática o que estivemos aprendendo ao longo dos últimos anos, quando ele esteve em Sagitário. Estamos comprometidos com a verdade pessoal que nos foi revelada? 
De que valem teorias, conhecimentos e conceitos se eles não são vivenciados na prática quotidiana? Realizações ocorrem com atitudes responsáveis e maduras e não com conceitos. 
É nisso que estaremos sendo desafiados em 2018.

Saturno vivenciado de forma primitiva significa a rigidez, inclusive física, já que o planeta rege ossos, coluna, simbolizando a retidão - ou a ausência dela - mas também a necessidade de sermos flexíveis e de não “endurecer”. Pode ocorrer a cronificação de problemas que estão relacionados com a negligência física, emocional e psíquica ao longo dos anos. A preocupação excessiva com o status, com a realização profissional e material, com o nosso lugar na sociedade, com a segurança e a estabilidade também podem representar o lado “b” de Saturno.

Vivenciamos ainda um forte período de limpeza de velhas estruturas e padrões (e esta limpeza continuará até 2020). Plutão segue sua faxina em Capricórnio. Primeiro precisamos limpar o terreno, para então criarmos uma nova realidade, uma nova ordem. Saturno nos mostra que acabou o “oba oba”; não podemos mais negligenciar nossas responsabilidades pessoais e coletivas. A infância da humanidade acabou. Isso é positivo, pois é o chamado à responsabilidade. Mas, por outro lado, temos que ter cuidado com o enrijecimento, as cobranças excessivas, o dever, o superego. Necessitaremos também de leveza para atravessarmos esse período. Saturno é um princípio constritor, que, se aplicado positivamente, significa foco, estrutura (e como estamos estruturados na vida), mas negativamente significa limitações, medos, insegurança.
Saturno é a foice que ceifa o que não faz mais sentido. O velho sábio que mostra o valor da experiência e da maturidade. A solidão que permite a conexão com a nossa essência. Quem tem medo de ficar só terá dificuldades em 2018.
Tempo, Saturno. Como utilizamos o nosso tempo?

O que 2018 nos reserva?
O que fizermos efetivamente para criar um novo ano, um novo tempo.
É o esforço pessoal, o compromisso e a responsabilidade que determinarão as situações do ano. Sermos nossa própria autoridade. Estamos sujeitos às leis do Tempo e não podemos mais adiar indefinidamente o que nos cabe fazer no agora. É disso também que o ano fala.
Um dos questionamentos mais fortes de 2018 é qual o nosso verdadeiro propósito em termos de trabalho.
Como podemos contribuir para a transformação da sociedade, utilizando nossas capacidades profissionais. 
Para aqueles que trabalham em consonância com o seu propósito, o ano pode ser muito promissor, embora exija bastante. Uma reflexão interessante é o que estivemos construindo ao longo do tempo, que nos capacita aos desafios do ano. Perceberemos uma retração no mercado de trabalho, com a remodelação do significado de carreira.

Urano ingressará Touro, em maio, marcando também o início de um grande processo de desmonte económico, no sistema financeiro (os próximos 8 anos serão de imensas mudanças materiais, afetando moedas, bancos, investimentos, formas de pagamento de serviços e de valorização de trabalhos).

O que viemos fazer aqui na Terra?
Uma pergunta que começa a ser respondida em 2018 dentro de cada um de nós. E se nossa carreira não representa quem somos de fato, começam a aparecer imensas barreiras.

Em outros momentos da história em que Saturno esteve em Capricórnio tivemos acontecimentos marcantes, que bem simbolizam as características deste planeta.
O muro de Berlim foi construído (e também destruído) quando Saturno estava em seu domicilio astrológico. Tivemos a queda de muitos governos e impérios. Houve retração, limitação. Mas também concretização.
Saturno/Capricórnio é montanha e ela envolve o passo a passo, determinação, paciência. No topo, conseguimos enxergar as coisas de cima, sob um ângulo mais elevado. Mas topo não se constrói da noite para o dia.

Em 2018 também teremos Júpiter em Escorpião, chamando a uma nova mentalidade sobre sexualidade, emoções, motivações psicológicas, intimidade, investimentos, autoconhecimento, percepção da finitude e dos mistérios da vida e do que em nós precisa morrer. Ou (re)nascer. Escorpião é mergulho profundo, terapêutico, é o inconsciente, o reprimido, o oculto, os fantasmas internos, os padrões, compulsões, instintos, a necessidade de controle. Mas Escorpião também são os nossos tesouros internos, riquezas até então intocadas, bem como a capacidade de eliminar, deixar ir, transformar, curar. Um definitivo adeus, necessário. Muitas coisas que varremos para baixo do tapete ao longo dos anos, agora aparecerão, mas é para olharmos, transformarmos, curarmos.

É interessante observar que, quando Júpiter ingressou em Escorpião, ainda em 2017, começaram a ser revelados muitos casos de abuso sexual. 2018 é o ano de olharmos para onde fomos (e nos sentimos) violados, em qualquer plano (físico, emocional, psicológico). Curar essas feridas. E só podemos curar se jogarmos luz nos nossos escuros, isto é, se nos conscientizarmos. Será importante em 2018 nos conscientizarmos das energias psíquicas, emocionais e espirituais que envolvem o sexo. Novas abordagens sobre a sexualidade e sobre o que compartilhamos intimamente com as pessoas (energias, emoções, talentos, recursos materiais).

O planeta Júpiter expande tudo o que toca. Então, veremos uma expansão nos temas escorpianos em todos nós. Aumento da instintividade e compulsões, de comportamentos que provêm das entranhas, mas também da vontade de nos trabalharmos internamente e elevarmos desejos e aspirações. Sairmos do instinto bruto para objetivos mais elevados. Entretanto, não podemos reprimir essas questões, pois então se tornariam mais brutais. Temos que compreender que sexo não é somente físico. Que energias estamos dispostos a compartilhar intimamente e de que forma? Excessos e negligências neste sentido podem levar a consequências desagradáveis. Não se trata de moralismo, mas da necessidade de realmente nos conscientizarmos do tipo de energia que está envolvida nisso.

Um dos instigantes ensinamentos de Júpiter em Escorpião é que não temos controle sobre tudo, precisamos aprender a nos entregarmos, a confiar na sabedoria da vida. E ter a coragem de morrer para o que dentro de nós já morreu. Então poderemos (re)nascer, (re)ssurgir. O que vai morrer e o que vai nascer? O medo de perder pode acentuar a tendência a atitudes defensivas e controladoras. Positivamente, este posicionamento astrológico, presente até novembro de 2018, indica a oportunidade de nos trabalharmos interiormente, de acessarmos recursos psicológicos, emocionais e mesmo materiais para a realização do nosso propósito (Júpiter em Escorpião em consonância com Saturno em Capricórnio). Também indica uma abordagem diferente para investimentos e questões envolvendo impostos, taxas, heranças, legados.

Enquanto Saturno em Capricórnio nos instiga ao questionamento do que viemos fazer aqui na Terra, Júpiter em Escorpião questiona o que deixaremos em nossa passagem pelo Planeta. O que é imortal em nós se revela em nossos atos e obras.

O eixo astrológico que simboliza os aspectos materiais (Touro/Escorpião) estará acentuado em 2018, pois além da passagem de Júpiter em Escorpião teremos o ingresso de Urano em Touro, em maio, onde permanecerá até novembro, mês em que Urano retornará para uma última e breve passagem por Carneiro.
O que é ganhar? O que é perder?
Reflexões necessárias neste ano.

Reformulação económica, nos valores e recursos pessoais, em como utilizamos nossas habilidades e talentos. Uma nova economia começa a surgir (e se desenvolverá ao longo dos próximos 8 anos); até mesmo pela falência dos modelos atuais.
Ênfase na economia colaborativa, “verde”, em novas formas de valorar o trabalho e as habilidades pessoais. Em moedas alternativas e questões tecnológicas. Percepção de que devemos modificar a relação que temos com o consumo, devido ao esgotamento dos recursos naturais, que levará, inclusive, à necessidade de fontes alternativas de energia. Aumento nos escambos e em novas formas de compreender a energia material. Necessidade de soluções diferenciadas para problemas económicos mundiais. Quanto às moedas digitais, tendem a estender a sua amplitude, amparadas pela tecnologia. Porém, segundo o simbolismo de Urano, é uma energia errática, de altos e baixos, que pode levar a grandes ganhos e perdas. Empresas e marcas que não possuem um comprometimento social, coletivo começarão sua decadência. O comércio eletrónico ganhará cada vez mais espaço, bem como as transações online, fora de agências físicas (que podem sumir ao longo dos próximos 8 anos). Também ganhará força o que for relevante para mudanças na sociedade. Mas, inicialmente, isso pode ocorrer sob fortes rupturas, impactos e crises.
É que todo um sistema precisa ser reinventado, dando claros sinais de sua falência.

Neptuno segue seu longo movimento pelo signo de Peixes, retratando questões coletivas de grande impacto emocional e espiritual, com a reinvenção necessária do modo como se lidam com problemas psíquicos, sociais, com vícios, com os excluídos e marginalizados. As questões sociais demandam mais empatia e solidariedade. Na dor os humanos se unem…
Segue a tendência de elevação dos oceanos, que ao longo dos próximos anos se intensificará e trará consigo a necessidade de uma reorganização coletiva. Netuno em Peixes, sob o seu aspecto primitivo, representa a glamourização da imagem e do imaginário, com essa ilusória exposição das pessoas (internet, facebook, instagram), que em nada corresponde as suas verdadeiras vidas. Fantasia idealizada, para esconder o vazio… Também o culto às celebridades instantâneas, que captam o imaginário coletivo. Podemos utilizar de um modo muito mais evoluído essas energias, como por exemplo, investindo no autoconhecimento, em mais silêncio, introspecção, na contribuição de cada pessoa para a evolução do Planeta e numa conexão mais profunda com a arte e a espiritualidade. A escolha é nossa. As consequências também.

O que 2018 nos pede é mais Alma, maturidade, responsabilidade e a coragem de dizermos adeus a padrões repetitivos. Para isso, precisamos olhar mais para dentro, buscar o autoconhecimento e contar com auxílios preciosos nas travessias que necessitamos fazer. Um apoio psicológico, terapêutico e a força interna para transformarmos porões escuros em tesouros. Luz para iluminar a escuridão. Escolhemos estar aqui nesse momento de transição. Que não sejamos apenas os que sofrem esses desafiadores processos, mas os agentes de transformação coletiva, por meio de nossas atitudes, pensamentos, emoções, trabalho.


2018 & os signos. 
Leia seu signo solar & ascendente.



CARNEIRO Excelência profissional, disciplina para atingir seus objetivos, consciência de suas limitações, colheita de anos anteriores e plantio de novas possibilidades profissionais é o que 2018 pede a você. Percepção clara do que está lhe faltando e da perseverança e tempo necessários para atingir seus objetivos. Saturno estará transitando o setor de carreira e realizações, solicitando comprometimento e responsabilidade. Poderá ter que fazer cortes em relação a como lida com o trabalho. Deve ser realista e ter o pé no chão. O reconhecimento vem do trabalho duro e da perseverança. Mas saiba diferenciar isso da teimosia em seguir um caminho que talvez já não seja mais o seu rumo. Ser a sua própria autoridade no campo profissional requer consciência, preparo, esforço e avaliação realista das situações. Pode ser necessário dizer não, colocar limites em situações que estejam se revelando limitantes. Pode até mesmo ser necessário uma recolocação profissional. Também terá que reinventar a forma como utiliza os seus talentos, inclusive havendo a possibilidade de descoberta de outras habilidades, seja porque deseja inovar, ou porque as situações assim exigem. Mudanças importantes na esfera material. Ganhos por meio de outras pessoas, de parcerias, mas também com a finalização de determinadas situações. Possibilidade de heranças, legados ou administração de bens e recursos de terceiros. Pode haver instabilidade no setor material. Entretanto, é na instabilidade que poderá gerar novas situações que serão importantes nos anos seguintes. Novos conceitos e vivências em relação à sexualidade, às emoções, à espiritualidade. Intensidade emocional. Tendência ao extremismo, manipulação e controle. Cuidado com exageros, compulsões e com repetição de comportamentos anteriores que são desgastantes emocionalmente. Perceba os padrões inconscientes e o que está reprimido e oculto e tem muita importância sobre o seu comportamento. Terapias e auxilio psicológico podem ser preciosos na superação de antigos problemas e numa espécie de libertação que abre novas possibilidades.

TOURO
Invista em conhecimento, estudo, aprimoramento de capacidades, viagens com foco profissional e tudo o que possa servir de esteio a futuras realizações. Reveja seus conceitos, verdades, crenças, filosofia de vida. Viva na prática o que anseia na teoria. Cuidado com a estreiteza de pensamento, o dogmatismo e a inflexibilidade. Publicações, viagens, cursos e justiça podem ser temas presentes ao longo do ano. Contatos com o estrangeiro também podem ocorrer. Nos relacionamentos é o momento de se abrir a novas abordagens, agir de forma diferente do que sempre fez, conhecer novas pessoas e reinventar relações existentes. Relações e contatos promissores. Se está insatisfeito em um casamento, relacionamento ou parceria, a insatisfação tende a aumentar e instigar você a tomar uma atitude. O contato com pessoas de outras culturas e com conceitos muito diferentes dos seus é interessante, pois ampliará os seus horizontes. Em viagens e em situações educacionais isso pode ocorrer. Você gosta de segurança e de certezas, mas com o ingresso de Urano em seu signo em maio, espere o inesperado, abra-se ao inusitado, ao diferente, ao inconvencional, às mudanças. Muitas surpresas podem ocorrer e embora você não costume apreciar surpresas e mudanças, elas serão importantes para a sua libertação. Amizades, grupos, renovação e reinvenção são características importantes do ano. Mudanças nos rumos de vida, em aspectos profissionais e na perceção do seu lugar na humanidade. Não estará mais tão atrelado a antigos condicionamentos. É hora de experimentar coisas diferentes, sem esquecer da excelência em conhecimentos e atitudes. Mas não se cobre tanto.

GÉMEOS
Ano de resolver dívidas emocionais ou materiais, que podem significar uma falta de perdão a si mesmo ou a outras pessoas. Terá que lidar com situações que estão cristalizadas, enrijecidas e necessitará força interior para superar suas limitações. Terá que utilizar com sabedoria os seus recursos materiais (e os que compartilha com outras pessoas) e os recursos psicológicos, emocionais e espirituais, para transformar situações. Melhor pensar a longo prazo, tendo cuidado com gastos e investimentos. O foco está em substituir prazeres imediatos por algo mais sólido e duradouro. Um parceiro poderá estar atravessando um momento difícil, material ou emocionalmente. Perceberá o que está estagnado, e que, em nome da segurança e do medo de mudar, vem tentando manter. Só que isso tem um preço muito alto e vale a pena repensar. Deixe ir o que precisa ir embora de sua vida. Finais de situações, que independem de seu controle. Poder, dinheiro, sexualidade, morte e renascimento são aspectos presentes ao longo do ano e exigirão maturidade emocional. Pode ser interessante contar com um auxílio terapêutico para compreender a verdadeira origem de suas dificuldades. Fase positiva para o trabalho, que poderá apresentar novos horizontes e para cuidados com a saúde. Evite excessos que prejudiquem o organismo. Novas oportunidades no cotidiano e resignificação dos métodos, técnicas e instrumentos utilizados na profissão. Será importante utilizar a sensibilidade e as emoções no trabalho. Conhecimentos e viagens poderão ser essenciais aos seus propósitos profissionais. Intuição também, assim como momentos de introspecção e solidão. Neles poderá recompor as suas energias. Evite atitudes radicais.

CARANGUEJO 
Amor e relacionamentos ganham outra dimensão em sua vida. Valorizará relações sólidas, com pessoas maduras e buscará o aprimoramento e a excelência em suas relações. Tende a se tornar mais seletivo e amadurecido em suas escolhas. Saturno “cobra” compromisso e responsabilidade, em suas próprias atitudes e também nas relações que estabelece. O amor próprio é fundamental e as relações serão um espelho do seu compromisso em evoluir. Se não se responsabilizar por esta maturidade, poderá atrair a repetição de antigos dramas emocionais e limitações. Mas tudo é uma questão de consciência. É importante que esteja muito bem consigo, pois somente assim estará bem com outras pessoas. Relações que iniciam durante o ano tendem a durar, mas podem envolver grandes responsabilidades. Por outro lado, a solidão não será má companheira, pois pode ser necessário ficar sozinho durante um tempo para ter clara consciência do que realmente busca em um relacionamento. Nova percepção de seus sentimentos, prazer, sexualidade, criatividade, relação com filhos, crianças e conexão com sua criança interna. Fertilidade. Obras. Legados. 2018 pede um equilíbrio entre prazer e dever. Este é o grande desafio do ano. Parcerias, relações, contratos e alianças profissionais ganham força. Se trabalha com público ou com clientela, tende a ser muito respeitado, dependendo, obviamente, do que plantou nos anos anteriores. Novas conexões com amigos, grupos, instituições e uma nova percepção do seu papel na sociedade, sendo mais revolucionário, mas tendo os pés no chão. Redes. Comunidade. Novas alternativas e soluções. A união de talentos com outras pessoas está favorecida e pode gerar benefícios coletivos. Mudanças súbitas nas amizades, nos grupos e na vida social. Viagens e conhecimentos atrelados ao desenvolvimento espiritual e à abolição de antigas fronteiras.

LEÃO
2018 pede atenção à saúde, à qualidade de vida e ao trabalho. Questione seus hábitos, reflita se está tendo uma vida saudável e o que necessita fazer para que, na prática, seja mais produtivo e atinja a excelência profissional, mas que isso não comprometa a saúde. Atenção com ossos, coluna, joelhos, articulações, que representam como se sente ou não “firme” na vida e o quanto é capaz de ser flexível nas situações cotidianas. Respeite o seu corpo e as mensagens que ele lhe trará. Profissionalmente, poderá haver o corte de um trabalho, seja porque você conscientemente assim decide, ou pela força das circunstâncias. Em ambos os casos, o que está em jogo é a percepção de que não se sente mais em conexão com esta atividade, se ela não refletir o seu propósito. Poderá também começar a estruturar um novo trabalho, que exigirá muito foco, disciplina, concentração e excelência. Época de plantio profissional e também de colheita do que foi feito (ou deixou de ser feito) no passado. Início de uma reinvenção na carreira e nos rumos de vida. Utilização de novas habilidades e potenciais, que estavam adormecidos. Interessante é fazer uma ponte entre habilidades que já domina e novas possibilidades. Ano positivo para cuidar mais de si, de interesses domésticos, de questões relacionadas à imóveis e a bens familiares. O maior crescimento do ano é interno. Sua relação com casa e família poderá abarcar novos horizontes. Atenção com ilusões no plano emocional e material, que podem levar ao desgaste. Tenha mais clareza sobre o que realmente significa ser íntimo de alguém e compartilhar energias emocionais e sexuais.

VIRGEM
Chegou a hora de amadurecer emocionalmente e você será muito cobrado em relação a isso. Amor passa a ter um significado mais sério para você. Inclusive em relação ao amor-próprio e à capacidade de estar bem sozinho, que é condição essencial para ser amado. Se uma relação afetiva tende a iniciar neste ano, poderá ser duradoura. Mas, seja muito sincero consigo em relação aos verdadeiros motivos pelos quais busca ou estabelece um relacionamento: é para aplacar a solidão? É porque se sente pressionado? Se não for por sentimentos reais e um reflexo do coração, trará responsabilidades e problemas que você, naturalmente, não deseja. Honestidade, consigo e com os outros é fundamental. Desafio de equilibrar uma atitude séria e madura com a empatia e a sensibilidade. Importantes demandas e responsabilidades envolvendo filhos. Projetos criativos e hobbies podem ser profissionalizados. Por que não tornar algo que você gosta de fazer, um trabalho? O ano favorece isso. Mas, terá que se esforçar e colocar em prática o que deseja. Excelente período para investir em conhecimento e em interesses apaixonantes, que auxiliam a evoluir. Psicologia, mistérios da vida, tabus, espiritualidade e emoções tendem a ser foco de reflexões. Saiba observar as entrelinhas, ler os sinais, perceber o que se passa por detrás das aparências. Mudanças na forma como você percebe a realidade e no tipo de informações que busca para o seu aprimoramento. Viagens ou estudos podem revelar questões inusitadas, inconvencionais e trazer surpresas. Hora de se desprender de conceitos arraigados, abrindo-se a novas percepções. Modificações no contato que tem com instituições de ensino, como universidades. Interesse maior em cultura, filosofia, justiça, espiritualidade, línguas estrangeiras e viagens. Rompimento com antigas convenções.

BALANÇA
Hora de olhar para dentro, cuidar das bases e estruturas pessoais, ser maduro e responsável no trato com familiares e questões domésticas e imobiliárias. Mas também saber dizer não e se amar o suficiente para colocar limites no que lhe limita. Ceifar o inútil e permanecer com a essência. Estar bem fundamentado sobre os próprios pés, sem carências e dependências externas é o desafio do ano. Construção de novas bases para o futuro, que estão atreladas a questões íntimas e mesmo a imóveis e à percepção do seu lugar no mundo. Com quem se sente em casa? Consigo… O que pode levá-lo a querer morar sozinho ou realizar uma mudança doméstica. O que fará em 2018 terá consequências à longo prazo; portanto, seja consciente em suas decisões. Pode ser um ano próspero, desde que não gaste em excesso e que priorize o essencial. Para isso, será necessário investir em conhecimento (a fonte de recursos do ano) e reciclar o modo como expressa os seus talentos e potenciais. Oportunidades de crescimento, que dependem de confiança em suas habilidades e de um gerenciamento positivo de seus recursos, sejam eles materiais, ou internos, psicológicos, que ajudam na superação de dificuldades. Excessos trarão problemas. Mudanças na percepção e na expressão da sexualidade e da intimidade, sendo fundamental se conscientizar das energias emocionais e espirituais que isso envolve. Novas experiências, surpresas, reviravoltas. Uma nova forma de lidar com o dinheiro e com tudo o que você compartilha com as pessoas. também é necessária Perceba como as emoções interferem na prosperidade e os significados psicológicos de abundância, escassez, dívidas. É uma mudança de consciência, que talvez nunca tenha vivenciado anteriormente. Chegou a hora. Profissionalmente, é importante que se sinta emocional e psiquicamente vinculado com o que faz. Caso contrário, pode faltar energia para as atividades. O desinteresse pode ser um sinal de que não há Alma no que você faz. Se o trabalho inspirar ou ajudar outras pessoas, poderá se sentir realizado. A saúde é amplamente influenciada pelas emoções e por fatores psíquicos. Cuidando da Alma estará também cuidando do corpo. Perceba esta conexão.

ESCORPIÃO 
A presença de Júpiter em seu signo, até novembro de 2018, significa que estará ampliando os seus horizontes emocionais, mentais e culturais. É um ano positivo para se abrir a novas possibilidades, mas evitando exageros e imprudências, que poderiam cobrar o seu preço posteriormente. Cuidado cm compulsões e comportamento instintivo, controlador, manipulador. Bom ano para viagens, estudos, para ir mais longe, dentro e fora. Para se conhecer mais, para compreender suas motivações emocionais e psicológicas. Ano de se reinventar, especialmente em termos emocionais e nos relacionamentos, que poderão apresentar surpresas e mudanças. Excelência em conhecimentos, estudos e na forma como se comunica e se expressa é fundamental. Estudos atrelados ao trabalho exigirão bastante e é, justamente, um ano importante para levar mais a sério a necessidade de aprimorar conhecimentos e de filtrar informações, concentrando-se apenas no essencial. Contatos comerciais e profissionais estarão enfatizados. Pessoas próximas poderão passar por um ano de grandes ensinamentos. Tudo o que envolve conhecimento terá um tom mais sério, maduro e responsável. Hora de ter mais realismo, sem deixar que isso signifique pessimismo ou estreiteza de visão. Amorosamente, é importante não se deixar levar por ilusões, expectativas idealizadas e situações nebulosas. Vem aprendendo muito nos últimos anos sobre isso e essa lição continua em 2018. Mudanças na forma como se relaciona, nos conceitos que têm sobre casamento, parceria e alianças. Mudanças, inclusive, no tipo de pessoa pelo qual tende a se sentir atraído. Possibilidade de rupturas de relações e de inicio súbito de novos relacionamentos. Mas atravesse esse processo com consciência, para não ser negativamente surpreendido.

SAGITÁRIO
Hora de colocar o pé no chão e a mão na massa. Chega de teorizar. A questão é colocar em prática. Talentos, habilidades, finanças e valores pessoais passam a exigir mais responsabilidade, seriedade e comprometimento. Novas prioridades, que primam pela excelência e pela percepção da consequência à longo prazo das escolhas que fará em 2018. Menos é mais. Enxugue gastos. Saiba trocar um prazer imediato por uma conquista posterior. Tudo envolve tempo, esforço, excelência. Perceba os medos e bloqueios que possui em relação à prosperidade e trabalhe duro na realização de seus objetivos. O medo cria limitações. Será testado em relação à autonomia e independência material. Excelente ano para investir no autoconhecimento, em terapias e numa visão mais profunda da vida. Isso para que não repita compulsões e condicionamentos anteriores, que tanto desgaste já geraram em sua vida. É hora de deixar ir e esse desapego abre espaço a coisas novas. Início de uma importante revolução na vida profissional e na forma como lida com a saúde. Mudanças e surpresas nestas áreas, que podem significar a necessidade de se libertar de antigos comportamentos e situações. Anseio de se expressar de forma mais original e autêntica no trabalho, utilizando capacidades que ainda não eram percebidas. A saúde se beneficia de tratamentos alternativos e de uma visão holística, percebendo a interrelação entre corpo, mente e emoções. Um bom ano para estabelecer um equilíbrio entre a perseverança e a inovação. Os resultados podem ser surpreendentes. 2018 pede seriedade, mas também leveza. Questões familiares e domésticas requerem sensibilidade, compaixão, mas também a habilidade de dizer não, ao se sentir muito vulnerável ou fragilizado. Mais do que uma casa, o que você necessita é um lar, que tenha o caráter de aconchego e que lhe faça restaurar suas energias psíquicas, emocionais e físicas.

CAPRICÓRNIO Saturno chegou ao seu signo, onde está à vontade, simbolizando a necessidade de comprometimento, amadurecimento, responsabilidade e maturidade. Há uma longa montanha (objetivos) a escalar e o primeiro passo pode ser dado em 2018. Ano também de colheita de esforços empreendidos anteriormente. Concretude, seriedade, objetividade. Percepção da importância da passagem do tempo e os ensinamentos que somente ele traz. Poderá, inclusive, se sentir mais “velho”, e esta é uma percepção que decorre deste processo de amadurecimento. O tempo sempre deve ser amigo dos capricornianos, que sabem que nada se conquista da noite para o dia. Tudo envolve esforço, foco, persistência, resiliência. Entretanto, cuidado com o excesso de seriedade, que pode trazer dificuldades no âmbito pessoal. Leveza, sensibilidade e atenção às emoções são fundamentais. Caso contrário, as coisas ficam pesadas. O que fizer em 2018 terá fortes repercussões nos anos seguintes. É como se estivesse preparando o terreno para o futuro. E você bem sabe que o futuro se constrói no presente. Estará construindo uma nova identidade e terá uma nova relação com o corpo e com as demandas pessoais. Excelente ano para projetos coletivos, grupais, institucionais, para ampliar a relação com amigos, grupos, para se unir em propósitos que beneficiem a coletividade. Mudanças importantíssimas na forma como vivencia o amor, o erotismo, com o que lhe dá prazer na vida (não somente físico). Mudanças e surpresas afetivas, em questões envolvendo filhos, crianças e projetos criativos. Interesse em temas espirituais, vinculados ao autoconhecimento, à Psicologia e a uma percepção mais profunda de seus sentimentos e pensamentos.

AQUÁRIO
Cuide da saúde, da espiritualidade, do que não é visível aos olhos, mas fala à Alma. Afaste-se do que é prejudicial à saúde e a sua evolução. Poderá ter que se reestabelecer energeticamente, fisicamente, psiquicamente. Passar por uma espécie de período sabático, onde percebe a colheita de suas escolhas e atos passados. Mas não deve se “punir” por isso, e sim, aprender com esses ensinamentos e se comprometer a não mais repetir erros anteriores. O contato com grandes instituições estará em evidência, seja por questões de saúde ou de trabalho. É, sem dúvida, uma fase de colheita, mas também pode começar a semear os anos futuros. O apoio psicológico e terapêutico poderá ser fundamental para atravessar os desafios do período, já que você perceberá tudo o que está cronificado, engessado, numa zona de conforto que lhe será muito desconfortável em 2018. Perceberá também que não tem controle sobre as situações e o melhor a fazer é se entregar e aprender a fluir. O foco do ano está no desenvolvimento interno, subjetivo, emocional, espiritual. Olhe mais para isso e menos para questões externas. Oportunidades de expansão profissional, que podem estar vinculadas a viagens, conhecimentos e a avançar em territórios anteriormente desconhecidos. Poderá utilizar antigas habilidades com uma nova finalidade. Quer mais de si na carreira. Quer mais vida. Mas isso pode significar que tenha que colocar pontos finais em determinadas situações. Mudanças familiares, domésticas e emocionais tendem a ocorrer. Haverá um forte anseio por independência e liberdade, mas, naturalmente, isso deverá vir acompanhado de responsabilidade. Poderá se surpreender com as suas próprias atitudes e as de pessoas próximas, especialmente da família. Percepção da importância de valores emocionais e espirituais, coisas que o dinheiro não compra, mas que representam um tesouro.

PEIXES
Ano que enfatiza projetos que envolvem outras pessoas, onde você poderá assumir importantes responsabilidades, que demandarão esforço, comprometimento e excelência. Não se trata mais tanto de sonhar ou idealizar, mas de colocar em prática. Colheita de esforços anteriores empreendidos na carreira. Amizades, grupos e contatos com instituições serão fundamentais para a realização de seus objetivos. Mas não trate tudo como se fosse um “negócio”. Tenha flexibilidade e não deixe de dar atenção a questões pessoais. Questionamento de qual a melhor forma de você contribuir para a evolução da sociedade, qual o seu papel nisso e com quem. Busca mais intensa de sentido, de significado, de aprimoramento emocional e espiritual. Oportunidade de expandir horizontes, seja por meio de viagens ou de informações que levarão ao autoconhecimento. Seja ético e sábio no uso que faz de conhecimentos. Publicações, cursos e questões jurídicas poderão estar evidenciadas. Mudança de consciência, de percepção dos fatos. Interesses autodidatas ou centrados em coisas revolucionárias, vanguardistas, tecnológicas, em novos usos de habilidades pessoais e de novos processos na coletividade. Revolução na vida de irmãos e de pessoas próximas. Possibilidade de mudanças de ambiente e de viagens, que trarão um sentido de renovação. Formas não habituais de comunicação, de negociação, do uso da mente. Equilíbrio emocional e centramento serão fundamentais em 2018.



Isabel Mueller 





O ano que passou foi regido por Saturno ( tanto pelo ciclo de 36 anos que teve início em 2017, quanto pela regência planetária do ano). Eu particularmente senti que foi mesmo mais pesado. Mas não vamos nos esquecer: quem se esforça no plantio, sempre colhe depois.

Júpiter será o regente de 2018, que promete mais entusiasmo, progresso e expansividade. Tenho fé (aliás, fé é uma palavra-chave pra este planeta) que seguiremos mais inspirados para atrair boas oportunidades. Júpiter abre portas e facilita o fluxo da vida. Os sagitarianos, principalmente, podem respirar mais aliviados, depois de 3 anos sob  a influência de Saturno em seu signo.

Mas é claro que não devemos ficar parados, esperando que as bênçãos prometidas caiam do céu. Saturno segue agora em Capricórnio para nos ensinar sobre foco, determinação, comprometimento e profissionalismo. As metas devem ser realizáveis. É hora de estabelecermos as estratégias para alcnaçar sonhos e objetivos.

Na via negativa, Júpiter fala de excessos, exageros, euforia e desperdícios. Portanto, é muito bom esse contraponto de Saturno em Capricórnio, que serve como equilíbrio e nos pede para economizar recursos, dimensionar as expetativas e estabelecer prioridades, sem contar com o ovo antes da galinha. Podemos seguir com fé, porém devemos manter nossos pés bem firmes no chão. O comércio exterior, o contato com pessoas e empresas estrangeiras e as viagens internacionais ficam favorecidos

É preciso atenção para excesso de trabalho, o fanatismo, as posturas rígidas e dogmáticas. Como Júpiter rege as leis e a justiça e Saturno em Capricórnio pede responsabilidade, torço para que vejamos avanços no que se refere às injustiças sociais.


JÚPITER EM ESCORPIÃO
Júpiter seguirá em Escorpião por todo o ano até 9/11/18, quando ingressará em Sagitário.  Saneamento, reutilização, transformação, reciclagem e reaproveitamento são temas destaque. Recuperação do solo, reflorestamento, reconstrução, reformas, limpeza de águas poluídas e restaurações em geral ficam favorecidos pela passagem de Júpiter por Escorpião.

Neste signo, Júpiter também favorece uma abordagem mais profunda dos fatos, investigações, terapias, análises e diagnósticos. Os estudiosos do Ocultismo e dos assuntos ligados à vida após a morte também poderão contar com as benesses do planeta. No mapa de ingresso do Sol em Áries (início do ano astrológico) Júpiter estará em harmonia com Plutão (regente de Escorpião). Mais um indício de que renovações, curas, desintoxicações e mudanças estarão favorecidas.

Como bem disse a colega Isabel Mueller: "O que 2018 nos pede é mais Alma, maturidade, responsabilidade e a coragem de dizermos adeus a padrões repetitivos."


SATURNO EM CAPRICÓRNIO
Saturno e Plutão estarão o tempo todo em Capricórnio, como já disse, pedindo mais responsabilidade. É importante planejar antes de agir, respeitar o tempo certo das coisas com paciência, prudência e cautela. Importante também respeitar nossos limites, com menos promessas em vão e mais integridade, sinceridade, verdade e honestidade.

Não podemos mais negligenciar nossas responsabilidades pessoais e coletivas. Saturno pede atitudes concretas pra que possamos construir um futuro melhor. O que viemos fazer aqui? Se nosso trabalho, nossa carreira, não representa quem somos de fato, surgem crises, barreiras e questionamentos.

Pra quem está disposto a arregaçar as mangas e colocar a mão na massa, excelente! Mas Saturno traz também as consequências para quem não cultiva essas qualidades. Quem busca o lucro fácil ou quer só ficar sentado sem nada produzir, pode esperar por dificuldades. Mais detalhes sobre Saturno em Capricórnio aqui.


URANO EM TOURO
Um movimento importante no céu: Urano ingressará em Touro no dia 18/05 e ficará por lá nos próximos 8 anos. Com Urano em Áries, vivemos uma aceleração frenética das inovações, com rupturas, inquietações, impulsos de mudança sem muito tempo para que tudo fosse assimilado. Com Urano em Touro as invenções, revoluções e mudanças podem acontecer em intervalos mais longos, com mais tempo para serem assimiladas.

As inovações mais criativas podem acontecer no setor na agricultura, no uso da terra, no aproveitamento do que foi cultivado, nas formas de pagamento, do uso do dinheiro (como por exemplo na nova moeda virtual) e nas práticas econômicas.

O eixo Touro/Escorpião fala sobre os valores: apego, desapego, ganhar e perder. É tempo de importantes formulações econômica, reflexões sobre recursos coletivos e pessoais, sobre como utilizamos nossos donos, nossas capacidades e talentos. Uma nova economia começa a surgir: o compartilhamento dos bens, negócios baseados em uso temporário de peças, bens e objetos, economia colaborativa, novas formas de valorizar o trabalho.


MERCÚRIO RETRÓGRADO
Deixo também as datas de Mercúrio retrógrado pra nos programarmos. O planeta da comunicação fica retrógrado em média 3 vezes por ano e durante 3 semanas. A comunicação fica truncada, assuntos burocráticos tendem a apresentar problemas. Melhor evitar assinar contratos, grandes compras, eventos e viagens importantes nessas datas, pois a chance de repensar e mudar de ideia fica maior no período.

De 23/03 a 15/04
De 27/07 a 20/08
De 17/11 a 07/12


ECLIPSES
Os eclipses nos empurram para mudanças e libertações.
Estejamos preparados para essas datas:
ECLIPSE LUNAR – 31/01 em Leão
ECLIPSE SOLAR – 15/02 em Aquário
ECLIPSE SOLAR – 13/07 em Câncer
ECLIPSE LUNAR – 27/07 em Aquário
ECLIPSE SOLAR  – 11/08 em Leão



Marcelo Dalla





quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Ladainha dos Póstumos Natais





Há-de vir um Natal e será o primeiro 
em que se veja à mesa o meu lugar vazio 

Há-de vir um Natal e será o primeiro 
em que hão-de me lembrar de modo menos nítido 

Há-de vir um Natal e será o primeiro 
em que só uma voz me evoque a sós consigo 

Há-de vir um Natal e será o primeiro 
em que não viva já ninguém meu conhecido 

Há-de vir um Natal e será o primeiro 
em que nem vivo esteja um verso deste livro 

Há-de vir um Natal e será o primeiro 
em que terei de novo o Nada a sós comigo 

Há-de vir um Natal e será o primeiro 
em que nem o Natal terá qualquer sentido 

Há-de vir um Natal e será o primeiro 
em que o Nada retome a cor do Infinito 



David Mourão-Ferreira
in, 'Cancioneiro de Natal' 







............................ deixar de lado a obrigatoriedade do “para sempre”





Diante de tantas transformações, 
o que faz uma relação 
entre homem e mulher 
dar certo nos dias de hoje? 



Essa preocupação pelo dar certo sempre me faz pensar nos Beatles.
Foi uma banda que deu certo?
Durou 10 anos.
Será que eles deram errado se comparados aos Rolling Stones, que estão juntos há 50?
Deram certo igual, concorda?

Então a primeira coisa é deixar de lado a obrigatoriedade do “para sempre”.
Um amor que dá certo é aquele em que a parceria é fácil, divertida, produtiva.
Mas ninguém pode garantir que ela não se tornará difícil mais adiante.

Enquanto estiver fazendo os seus integrantes felizes, está dando certo.


Martha Medeiros





segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

MAMÃE NOEL




Sabe por que Papai Noel não existe? 
Porque é homem. 



Dá para acreditar que um homem vai se preocupar em escolher o presente de cada pessoa da família, ele que nem compra as próprias meias?
Que vai carregar nas costas um saco pesadíssimo, ele que reclama até para colocar o lixo no corredor?
Que toparia usar vermelho dos pés à cabeça, ele que só abandonou o castanho depois que conheceu o azul-marinho?
Que andaria num trenó puxado por renas, sem ar-condicionado, direção hidráulica e air bag?
Que pagaria o mico de descer por uma chaminé para receber em troca o sorriso das criancinhas? 

Ele não faria isso nem pelo sorriso da Luana Piovani!
Mamãe Noel, sim, existe.

Quem coloca guirlandas nas portas, velas perfumadas nos castiçais, arranjos e flores vermelhas pela casa?
Quem monta a árvore de Natal, harmonizando bolas, anjos, fitas e luzinhas, e deixando tudo combinando com o sofá e os tapetes?
E quem desmonta essa parafernália toda no dia 6 de janeiro?
Papai Noel ainda está de ressaca no Dia de Reis.

Quem enche a geladeira de cerveja, Coca-Cola e champanhe?
Quem providencia o peru, o arroz à grega, o sarrabulho, as castanhas, o musse de atum, as lentilhas, os guardanapinhos decorados, os cálices lavadinhos, a toalha bem passada e ainda lembra de deixar algum disco meloso à mão?
Quem lembra de dar uma lembrancinha para o zelador, o porteiro, o carteiro, o entregador de jornal, o cabeleireiro, a diarista?
Quem compra o presente do amigo-secreto do escritório do Papai Noel?

Deveria ser o próprio, tão magnânimo, mas ele não tem tempo para essas coisas.
Anda muito requisitado como garoto-propaganda.

Enquanto Papai Noel distribui beijos e pirulitos, bem acomodado em seu trono no shopping, quem entra em todas as lojas, pesquisa todos os preços, carrega sacolas, confere listas, lembra da sogra, do sogro, dos cunhados, dos irmãos, entra no cheque especial, deixa o carro no sol e chega em casa sofrendo porque comprou os mesmos presentes do ano passado?
Por trás do protagonista desse megaevento chamado Natal existe alguém em quem todos deveriam acreditar mais.


Martha Medeiros





Frank Sinatra, Seal - Santa Claus Is Coming To Town

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

CALMARIA





Um barco atravessa as constelações, 
deixando um sulco de asa na superfície celeste. Viajante 
clandestino, oculto o meu sonho
na mala do porão. Ouço um choro de astros
amarrados ao mastro de fogo, e sinto uma queda 
de cometa no abismo do horizonte.

Desenho o seu rumo no mapa
da alma. Evito naufrágios; rodeio arquipélagos 
e recifes; procuro o centro do céu, onde
se esconde a visão de um último porto, com
o seu cais de cinza e uma erupção de lava
nos bolsos do nada. 

Então, acendo um cigarro na falésia
da memória. Os deuses seguem-me, apanhando 
as beatas que deixo pelo caminho. Correm, 
e ouço o bater dos corações num eco
de cansaço. Mas não me apanham, e
dobro a esquina do ocaso, vendo-os tossir
com o fumo da noite

De volta ao convés, reabro
o diário de bordo. E o barco continua parado
no oceano sem porto.


Nuno Júdice
in, Geometria Variável







Law Of Attraction - How To Make It Work For You

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Escuto


Alessandra Favetto





Escuto mas não sei
Se o que ouço é silêncio
Ou Deus

Escuto sem saber se estou ouvindo
O ressoar das planícies do vazio
Ou a consciência atenta
Que nos confins do universo
Me decifra e fita

Apenas sei que caminho como quem
É olhado amado e conhecido
E por isso em cada gesto ponho
Solenidade e risco


Sophia de Mello Breyner Andresen





................................... saber deixar partir





Treine a si mesmo 
a deixar partir 
tudo o que teme perder.


Mestre Yoda






Solstício de Inverno 2017





Maio de 2026

Todos os Planetas Lentos, os que cartografam a evolução colectiva da Humanidade, entraram - depois de um ano de arranques e retrogradações, avanços e recuos - finalmente em signos novos e yang: signos ligados com a projecção da energia para o futuro. Signos de Fogo e Ar, ligados com novos ideais e visões, ideias, e formas de relação, comunicação e sociabilidade.

Urano entrou em Gémeos ao fim de oitenta anos, 
Neptuno voltou ao primeiro signo do Zodíaco, 
Carneiro, depois de cento e sessenta anos, 
Plutão entrou em Aquário em fim de duzentos e cinquenta. 
São números aproximados, apenas para nos recordar que Urano precisa de oitenta e quatro anos para dar uma volta ao Zodíaco, Neptuno cento e sessenta e cinco, Plutão duzentos e cinquenta.

Não é algo que aconteça todos os dias, Neptuno (misticismo e transcendência) ingressar no primeiro signo do Zodíaco, dar início a uma qualidade absolutamenta nova, e assim começar uma nova jornada de século e meio; não é algo que aconteça todos os dias, Plutão (transformação colectiva e individual) ingressar em Aquário, signo de ideais sociais e visões de futuro, para só lá regressar um quarto de milénio depois; e não é algo que aconteça todos os dias, Urano regressar a Gémeos, depois lá ter passado pela última vez em meados da década de 1940, a propiciar saltos quânticos na mentalidade colectiva e nas formas pelas quais comunicamos e nos transportamos. As cidades futurísticas dos anos 90 do século passado são, agora e cada vez mais, a realidade.


Até Saturno - principalmente Saturno - que cartografa, juntamente com Júpiter, a maneira como as culturas e as sociedades “filtram” as energias cósmicas mais impessoais e "universais" representadas pelos planetas mais lentos, e procuram - tantas vezes sem consciência disso, é evidente - dar-lhes forma e expressão - através dos paradigmas (paradigma, na acepção que lhe deu Thomas Kuhn) e das instituições sociais a quem cumpre exercer, dentro da consciência colectiva, o papel que lhes cumpre para que se cumpra o “zeitgeist” de cada tempo histórico; até Saturno, dizia, que representa o filtro social das energias universais ingressou num novo signo, num novo ciclo, e está pronto para mais uma viagem de trinta anos: acabou de ingressar (também ele) em Carneiro.

Estamos em Maio de 2026, e o início de uma nova Humanidade e de uma nova consciência colectiva desponta, como aurora, no nosso horizonte comum.

Até lá, ter-se-á cumprido largamente o inevitável, mas também: a consequência de todas as escolhas que, individual ou colectivamente, tenhamos feito até lá.


Janeiro de 2020

Saturno encontrou Plutão em Capricórnio - uma combinação difícil e pesada, marco na evolução/transformação social: das últimas décadas, dos próximos anos, das próximas décadas. O poder começou a apertar ainda mais, com regras ainda mais rígidas e o controlo social cada vez mais descarado: era o velho mundo, aquele nascido com a revolução industrial e capitalista, a estrebuchar - enquanto a inevitabilidade da evolução quer passar o testemunho ao futuro que aí virá, e o futuro é de fraternidade: não é de controlo das massas por um número restrito de indivíduos e corporações.

Os plutocratas começaram a sentir o poder a escapar-lhes das mãos, como quem percebe que o cavalo que selou afinal não é assim tão dócil, e começa a segurar as rédeas cada vez mais curtas, com força e violência, fazendo estalidos com a boca, ameaçando com castigos  - mas cagados de medo perante a possibilidade de caírem do cavalo abaixo.

O cavalo já não vai em cantigas (nem em filmes de hollywood, nem em fake news, nem em futebóis), e por todo o lado começa a ouvir outros cavalos a relinchar, com dor, e em protesto.

O cavalo nem se importa de pôr a sua força ao serviço da fazenda, mas quer ser respeitado, porque ao fim de muitos anos de escravidão e de sofrer com a sua própria negligência percebeu às suas próprias custas que cada um tem o seu lugar, a sua função, e a sua dignidade. Os capatazes e os seus patrões não sabem o que isso é, porque não conhecem nada além do seu próprio desejo de poder - que é como quem diz, da sua ambição cega e do seu medo.O ano seguinte, de 2021, é um ano de grande tensão social. Mas a evolução é inevitável.

2020 foi um ano marcante, marcado pela conjunção de Saturno a Plutão: assinatura astrológica clássica de períodos difíceis, de guerra, exercício de poder, controlo apertado, cristalização do poder, conflitos, assassinatos, dificuldades para as massas, fomes, pragas, guerras, extermínios. Sempre com a sociedade civil, e as massas, a serem dizimadas e sacrificadas como peões do jogo do poder.

Não é novidade nenhuma na nossa história colectiva - a nossa história escreveu-se, tantas e tantas vezes, disso: a primeira guerra mundial começou e foi despoletada por um assassinato, durante uma conjunção de Saturno-Plutão. O período do pós-guerra da 2ª guerra mundial coincidiu com uma conjunção Saturno-Plutão. A guerra das Malvinas ocorreu durante a mais recente conjunção de Saturno-Plutão, assim como os conflitos entre a Índia e o Paquistão - e tantos outros, no mundo e ao longo da história - coincidem com as conjunções de Saturno com Plutão, que acontecem sensivelmente de trinta e muitos em trinta e muitos anos.

E estamos em Janeiro de 2020, e Júpiter vai a caminho de encontrar Plutão - até Novembro desse ano tê-lo-á encontrado três vezes, devido aos movimentos de retrogradação, antes ainda de encontrar Saturno, já no início de Aquário, para a sua conjunção (algo que ocorre de 20 em 20 anos, mas invariavelmente em diferentes signos) a 21 de Dezembro de 2020, no grau 0 (zero) do signo do aguadeiro.

Talvez a presença e a passagem de Júpiter por Capricórnio tenha ajudado a suavizar a combinação Saturno-Plutão, e trazido para essa rara conjunção em Capricórnio (só acontece uma destas conjunções em Capricórnio, digamos, de quinhentos em quinhentos anos - aproximadamente, e em média: o que sabemos é que a anterior a esta de 2020 terá sido em Janeiro de 1518, e a próxima será em 2754) uma oportunidade.

Foi, foi.

É que foi assim, pela graça de Júpiter, que no ano de 2020 uma nova ordem social começou a surgir, e uma nova qualidade de poder a ser exercido, mas não só pelos plutocratas, políticos e corporações do costume - os montados do costume: começaram a surgir, com a conjunção Saturno-Plutão, poderes mais conscientes, líderes mais conscientes, e novas formas de participação social por cidadãos e organizações mais conscientes, responsáveis, e colectivamente mobilizadas.

O poder deixou de estar exclusivamente nas mãos dos tradicionais senhores do mundo, embora este o tentem exercer com cada vez mais controlo. Meios de comunicação, leis, “saúde”, “educação”, instituições económicas, os lobbies, tudo conspirando ainda mais forte - e de forma ainda mais descarada - para que uns poucos não percam privilégios e continuem a dominar o mundo.

Mas o poder começa a entrar em crise, que é como quem diz, num momento de rara oportunidade.

Não só porque a conjunção de Júpiter e Saturno a 21 de Dezembro de 2020 aconteceu no grau 0º de Aquário, prenunciando a “nova era” de que se vinha falando há décadas e décadas, mas acima de tudo - porque os Homens haviam decidido, uns anos antes, acordar.

E começar a assumir responsabilidade pelo destino colectivo da Humanidade, da Terra, do planeta, e dos recursos (naturais, financeiros, etc.). Pela sua saúde. Pela sua dignidade. Pela sua humanidade. Pela sua auto-determinação. Pelo uso consciente, responsável e livre das suas próprias vidas, recursos, e poder produtivo. Pelo uso livre da internet. Por alternativas melhores aos sistemas tradicionais. Pela justiça, pela paz, e pela cooperação em vez da competição e da alienação que tinham vindo, insidiosamente, a fragmentar todo o tecido social e humano.
A revolução começou a sair dos comentários no Facebook, e começou a traduzir-se em movimentos cívicos concretos e numa inaudita capacidade de contribuir para a revolução: de consciências e estruturas.

Enquanto outra parte do mundo cristalizava, paralisava, e se deixava obedecer docilmente à tirania, às estratégias da velha ordem, e deixava que lhe apertassem as rédeas, defendendo a importância dos cavalos serem controlados para não lhes acontecer nenhuma desgraça: o medo de sermos livres provoca orgulho em sermos escravos - e para não perder benefícios, a ilusão de segurança, e o direito a viver sem se incomodar, refugiou-se do desconforto e da miséria irreparável em que as suas vidas se tornara ainda mais decididamente no entretenimento, na alienação e na fuga escapista que a tecnologia, cada vez mais avançada, proporcionava, e nas novas drogas, frutos da engenharia, e nos chips de identificação, e nas vacinas para se proteger contra as doenças - reais, prováveis, improváveis ou inventadas, e no seu direito ao consumo (de carne, de leite, de medicamentos, de políticas conservadoras, de álcool, sal, açucar, anti-depressivos, flúor, etc.), e nos avanços promissores da ciência, cada vez mais inspirada na genética, na engenharia, na informática e na robótica - de tal maneira que a fronteira entre humano e tecnológico estava cada vez mais esbatida, e a tecnologia dava às pessoas esperança, vidas mais “boas” ou longas, mas não necessariamente melhores nem mais preenchidas do essencial.

E o mundo foi assim palco de uma clarificação de como há diferentes maneiras de viver, ou sobreviver, consoante os valores e os horizontes que as consciências individuais privilegiam - e que a “sociedade”, afinal, é o resultado de todas estas forças, movimentos, interacções, e inter-influências, com o poder exercido por aqueles a quem é entregue, e como dizia o Nietzsche, “quem não obedece a si próprio será comandado”.

Uns quiseram e puderam assumir o poder de mudar o mundo, e outros escolheram não o fazer, deixando que o poder continuasse nas mãos de uns quantos, trocando assim a responsabilidade pela conveniência, e optando - aparentemente - por existências com menos "ondas".

E o mundo dividiu-se, ou melhor, revelou claramente, à medida que as opções individuais e colectivas se cristalizavam, a diferença entre quem luta por obedecer a si próprio e à sua própria consciência, e quem simplesmente não luta, só obedece. Ou melhor, luta: mas apenas por aquilo que reforça e mantém a sua própria obediência.

Assim, a principal boa notícia desse ano de 2020 nem foi que a Astrologia estava novamente em alta, e a recomeçar a fazer parte da educação de um número crescente de indivíduos em toda a parte, que lhe reconheceram o poder de ser uma linguagem extraordinária para o auto-conhecimento, a compreensão da vida a uma escala maior do que o umbigo, a ignorância e a amnésia cósmica,

a boa notícia foi que o Homem, ou melhor, um número finalmente significativo de homens e mulheres de boa-vontade decidiu assumir responsabilidade integral pela sua própria vida, e assim, começaram a tornar-se em Autoridades que viriam a contrapôr os tiranos exploradores, manipuladores e reptilianos de outrora - uma alternativa ao poder tradicional estava nascida,

os cavalos já podiam sonhar com outros horizontes,

e tudo começara uns anos anos,

no Solstício de Inverno de 2017.





Foram dias extraordinários, aqueles. Na madrugada do dia 20 de Dezembro desse ano, três horas antes de nascer o Sol, Saturno regressava a Capricórnio, depois de haver abandonado o principal signo sob sua regência 26 anos atrás (Saturno rege os dois Signos do Inverno no nosso hemisfério: Capricórnio e Aquário; se bem que Aquário, para ser original, acabou por descobrir para si próprio um novo regente quando se avistou o excêntrico planeta Urano no século XVIII, e lá foi encontrando maneira de dividir o mal pelas aldeias, ou melhor, de se dividir, o Aquário, pelos dois. Enfim, modernices!)

Há vinte e seis anos atrás, depois do pôr-do-sol (na verdade o Sol já se tinha posto, e quem se estava a pôr, a essa hora exacta, era Vénus; e Marte tinha acabado de culminar), Saturno deixou o seu domicílio, Capricórnio, para uma longa jornada pelo Zodíaco que só viria a cumprir-se agora, hoje, no dia 20 de Dezembro de 2017, com o regresso ao seu domicílio de famoso fiscal do Zodíaco (Saturno fiscaliza, enquanto se desloca, distribuindo recompensas e castigos consoante o que encontra pelo caminho; e como simboliza o reconhecimento e sucesso, e tem má fama, é o famoso fiscal do Zodíaco): até é caso para dizer, quando Saturno regressa ao domicílio, e se Saturno fiscaliza, que isto é que se chama domicílio fiscal. Ou então, fiscal ao domicílio.

Eram dez para as oito da noite do dia 6 de Fevereiro de 1991 quando Saturno deixou esse seu domicílio da última vez – a Guerra do Golfo tinha acabado de começar, três semanas antes, e tanta vida (e tanta morte), tanta oportunidade, e tanto, tanto puro tempo em branco por desvirginar e escrever em pedra com o cinzel das nossas escolhas, viriam aí pela frente; e se soubéssemos o que sabemos hoje, garanto (Saturno adora garantias) que as teríamos aproveitado, às vidas e às mortes, de outra maneira, e quem sabe – deus sabe – o nosso escopro teria esculpido, com a sua arte, uma obra diferente para o museu da nossa própria eternidade.

Há quem diga que não se arrependa de nada, mas esses – não são bons da cabeça. E muito menos se sentem bem do coração, na verdade: ou suportariam a dor inevitável do confronto com o próprio arrependimento, teriam a humildade de reconhecer os seus erros passados, e grandeza de se abrirem à sabedoria com que nos tenta ensinar, a todos, a nossa consciência – a consciência psicológica -; principalmente quando nos pesa (Saturno simboliza o que é pesado), e nos faz lamentar, sofrer, chorar, arrepender – e até deprimir – perante a inevitabilidade e a evidência de não termos feito diferente – imaginando que o teríamos podido, sabido, e querido – e perante as consequências irreversíveis ou pelo menos inevitáveis que viriam a ser as futuras, e portanto o nosso destino, e que não teríamos como saber, ter a certeza, ou sequer imaginar, tantas vezes, enquanto escolhíamos e esculpíamos assim o nosso próprio devir e futuro.

Eram dez para as oito da noite, a Guerra do Golfo tinha acabado de começar há três semanas, tantos de nós ainda nem sequer tínhamos nascido, outros tantos de nós ainda não haviam morrido, outros ainda não se tinham ainda deixado abater pelo peso das contrariedades e da vida, tornando-se assim a pouco e pouco uma espécie de mortos-vivos: embora vivos – aparentemente – tenham começado a morrer enquanto continuavam a viver: mas não propriamente.

Porque isto de uma pessoa se levantar, comer, respirar, fazer xixi, defecar, ir enganando o passar do tempo, opinar, gemer, arrastar-se, cumprir, repetir gestos mecânicos, fornicar, anuir, não quer dizer que esteja viva: quer dizer simplesmente que existe, e que até ver, vai sobrevivendo. Não quer dizer que haja alegria, esperança, vitalidade, emoção, comoção, entusiasmo, projectos de futuro e de sonho, força para batalhar, amar, e servir. Quer dizer simplesmente que apesar de não estar morta, não se pode considerar propriamente viva: foi Saturno (não o planeta, mas a sua própria rigidez) quem lhe arrefeceu o calor no centro do peito, por não ter sido capaz ou escolhido aproveitar as oportunidades da vida, por difíceis que fossem, para fazer de Si Amor. Resistiu aos embates como se de contrariedades se tratassem, e assim, em vez de fazer Amor com a Vida, e de deixar que a Vida fizesse Amor dela, passou a sentir-se assim: sistematica e irremediavelmente fornicada pela vida. Sem gozo. Sem prazer. E sem sentido.

Abrutalhou-se-lhe a sensibilidade, amarfanhou-se-lhe a esperança, encurtaram-se-lhe os horizontes, arrefeceu-se-lhe o espírito inocente e esperançoso com que nasceu, porque assim nascemos todos: e decidiu que esta Vida não era para ela, quando no fundo – era ela quem não se dispôs a servir para esta Vida.

E como uma flor, começou a murchar muito antes do tempo. Porque enquanto há Vida, há desabrochar, há movimento, crescimento, e mudança: enquanto há Vida, e Amor, não há murchar – há florança.

Eram dez para as oito da noite do dia 6 de Fevereiro de 1991, e Saturno avançava para Aquário, deixando para trás, no seu signo de Capricórnio (já lhe podemos chamar: no seu domicílio fiscal) o revolucionário Urano e o sonhador Neptuno - que se encarregariam entre si, nos anos seguintes, de nos puxar muitas vezes o tapete debaixo das estruturas pessoais seguras que haveríamos de querer construir, e que andámos a tentar construir, apenas para nos despertar para a evidência de que o Grande Arquitecto há-de ter (e tem!) para a morada de cada inquilino um plano provavelmente diferente daqueles de quem lá mora - e que a única maneira que um inquilino tem de adaptar a sua existência à morada que lhe foi atribuída, e pela qual é responsável como locatário e usufrutuário, é estar em contacto com o Arquitecto Divino, deixando que este lhe transmita as suas impressões e planos, para não estar – o inquilino – a perder tempo a edificar paredes onde se planeia um espaço aberto, nem a deixar ao abandono e ao léu as divisórias que precisam vir a servir de arrumo, nem a demitir-se de fazer as obras necessárias de manutenção, nem a deixar-se ficar a dormir – ou fora de casa, alheado do que lá se passe - quando chega a hora de uma renovação completa, de uma mudança, de um despejo, ou de obras de fundo.

E por falar em obras de fundo, renovações, e remodelações – a mais recente começou quando chegou Plutão a Capricórnio, em Novembro de 2008, e não se acabam as obras de renovação antes de 2025. Mas isso... já o inquilino percebeu há muito tempo. Que as obras começaram e estão para durar, digo.

Mas agora estamos em Dezembro de 2017, são quatro da tarde, e há doze horas (meio dia) que Saturno ingressou novamente em Capricórnio (já não o fazia desde Fevereiro de 1988) e se prepara para aí passar os próximos dois anos e meio.

Não é que venha só fiscalizar o decurso das obras que mandou fazer ao serviço do Grande Arquitecto, e a maneira como o inquilino compreendeu e executou o que lhe era, por sua parte, exigido

(não há nada melhor do que um inquilino respons_ábil, e Saturno adora que se conformem às suas directrizes: há quem sinta que são ordens, mas Saturno sabe – pese embora a ignorância, a indolência, a rebeldia ou a estupidez d’alguns inquilinos – que não são ordens, propriamente, se bem que sejam ordens, sim; são mais bem instruções para o sucesso. Se queres viver bem nesta casa, diz Saturno, tens de cumprir com uma série de tarefas – afinal, quem boa ou má cama fizer, nela se deitará; faz o que te digo, e vais adorar a experiência; se não obedeceres às instruções, vais ter uma experiência muito frustrante de viver nesta casa, porque o Arquitecto tem planos para o condomínio Gaia e não é por causa de um inquilino - ainda por cima é um aluguer de curta duração - que vamos mudar os planos. Compreenda, senhor inquilino, não vamos mudar as paredes de sítio só porque a si lhe apetece passar por ali, mas vamos estar cá sempre para o recordar das regras de convivência, urbanidade e educação para vivermos todos com sucesso neste condomínio, mesmo enquanto decorrem as obras: e está sempre qualquer coisa em obras. A seguir às casas, vamos tratar das antenas. E eu passarei aqui de trinta em trinta anos, um pouco menos, para me certificar de que está tudo em ordem, e que inquilinos merecem um louvor, que inquilinos merecem uma reprimenda, aliás, se me permite, corrijo – passo a vida a fazer isto, quero dizer, a pedir permissão e a corrigir: o que quero dizer é que mix de louvores e reprimendas merece cada inquilino dos que cá vivem. Quais estão para fazer check-in, para lhes começar a explicar as regras, e quais estão para fazer check-out, para lhes escrever a carta de recomendação para as suas moradas futuras. E agora se me permite, senhor inquilino... e Saturno continua.)

Mas não é só para fiscalizar o decurso das obras, nem o comportamento de cada inquilino, que Saturno cá vem desta vez.

Desta vez traz uma oferta de trabalho.

E no dia 21 de Dezembro, entre as dez para as nove e nove e dez da noite (Saturno é muito rigoroso e orgulhoso da sua invenção, o relógio; outras das suas invenções são o cronómetro – Saturno é o deus Cronos da mitologia -, a agenda, o calendário, e todas as outras formas de medir, quantificar e dividir o decurso inevitável e irreversível do tempo; é a sua maneira de garantir que todos os inquilinos têm um referencial comum, embora cada um o viva à sua própria maneira, para se organizarem nas suas vidas colectivas, e para irem medindo o tempo que já permaneceram no condomínio Gaia, de modo que assim podem ir tendo noção de que o tempo vai passando, porque afinal, tudo passa. Até Saturno passa, no mesmo signo, de trinta em trinta anos, e quando o faz, já encontra tudo diferente),

Entre as dez para as nove e nove e dez da noite de dia 21, dizia, Saturno aproveita a visita do Sol, que todos os anos passa lá naquela data para descansar durante três dias, durante as noites mais longas do ano, e antes de recomeçar a sua ascenção novamente até culminar no Solstício de Verão, onde estará novamente no seu auge, para aproveitar – Saturno não gosta de desperdiçar oportunidades - um raro momento de encontro, esta feliz coincidência de se encontrarem Saturno e o Sol no grau 0º de Capricórnio, o momento do Solstício: um encontro raro que já não se via há muitos anos e que levará muitos anos a dar-se outra vez, para fazer aos inquilinos todos, em simultâneo, uma proposta de trabalho que lhes dará o que fazer durante muitos e longos anos:

Uns de nós, como nos ensina o Sol, cumprem-se fazendo poesia, outros ciência, outros ensinando, outros dançando, outros cuidando de jardins, fazendo obras, caridade, falando, escrevendo, investigando, carregando pedra, moendo trigo, fazendo pão, distribuindo pão, ordenhando ovelhas, fazendo queijo, fazendo café, fazendo consultas, criando beleza, competindo, treinando, ensaiando, repetindo,

Cada um de nós, como nos ensina o Sol, é absolutamente único: e há uma qualidade específica, diferente para cada um, que lhe faz o Coração leve, aberto, expandir-se, e traz alegria, e prazer, e brilho, e graça, e permite assim que o Mundo (o condomínio Gaia) se enriqueça recebendo do Dom único de cada Espírito encarnado

(emprestamos e gerimos casas a espíritos, podia Saturno ter escrito no seu cartão de visita, mas não chegou a fazê-lo; também não precisava, era o seu negócio e toda a gente sabia, e quem não sabia, havia de perceber – era só, porque era tudo, uma questão de Tempo, e do Tempo, Saturno é que sabia)

E esta é uma altura absolutamente única para cada Um de nós, inquilinos, iluminar – graças à presença do Sol no grau 0º de Capricórnio enquanto Saturno também acabara de aí chegar – o que é que o faz realmente feliz como Espírito - embora tenha de aprender a funcionar de acordo com as regras do condomínio, e sempre com a consciência do bem-comum no Coração e em mente -; e esta é uma oportunidade rara que eu, Saturno, ofereço a todos os inquilinos de decidirem e escolherem que Trabalho querem ter aqui na comunidade:

É verdade que todos temos, mais ou menos, tarefas atribuídas e circunstâncias criadas pelas nossas – pelas vossas – escolhas passadas; e também é verdade que nem sempre, ou raramente, as estruturas (Saturno) das vossas vidas coincide com a verdade mais autêntica do vosso Coração (Sol): a não ser hoje, que é dia 21 de Dezembro de 2017, e são nove da noite, e estamos todos alinhados:

eu, Saturno, acabado de regressar a casa, para fiscalizar, distribuir recompensas e recompensas, e trazer a oferta de um trabalho futuro; vou a caminho de Plutão (encontro-me com ele em 2020, e tudo o que seja estrutura correcta ao serviço do Arquitecto há-de encontrar Poder, e o poder de transformar o sítio onde todos nós vivemos), e além disso – não há nada de mais importante, como sabes, do que assumir neste condomínio uma função, um papel e uma responsabilidade que sirva o colectivo enquanto te serve a Ti também,

o Sol, repousando e poisado durante três dias e ganhando ímpeto para voltar a subir nos céus, ganhando no momento de recolhimento a oportunidade de recordar, isto é, de se trazer de volta ao Coração (sabias que “saber de cor”, em inglês, é “to know by heart”? saber de cor é saber no Coração, é aquilo que é impossível esquecer – é aquilo que é sempre possível lembrar); o Sol, agora, está na zona menos elevada do seu percurso anual, como um menino deitado, um menino sem estatuto ou condições acabado de nascer no meio da palha – um menino que virá a ser o rei dos homens, note-se, mas apenas porque se descobrirá como espírito encarnado e filho do Grande Arquitecto, nascido para servir e cuidar de cada um dos seus irmãos;

e tu, que és inquilino e por esta altura já compreendeste que há um Arquitecto que tem os seus próprios planos e projectos para isto tudo - e que passam por proporcionar a melhor experiência possível a todos os inquilinos do condomínio, para o bem maior e comum, e que conta contigo para colaborares com os seus planos,


  • como é que te propões colaborar com o nosso Arquitecto?
  • Como é que queres ser lembrado, quando fizeres o check-out?
  • O que é que queres ter deixado aqui, de autêntico, de teu, de único, legado do teu próprio, inconfundível, irrepetível, delicado Coração?
  • Que obra queres deixar?
  • A que queres dedicar os teus próximos anos aqui, na comunidade condómina?
  • Qual é o teu sonho, agora que já percebeste que há planos de inquilinos, e há planos do Arquitecto, e como é maravilhoso quando coincidem? E sabes por quê, não sabes? Porque o que escutas no Coração, é o Arquitecto que te fala. É essa a tua via de comunicação e contacto com ele.


Alguma vez te tinha ocorrido que não é na cabeça que o encontras,

Mas no centro do teu peito?

Anda lá. Estou Aqui, sou Saturno, trago-te prendas e aprendizagens de trinta natais passados, e quem sabe até alguma tristeza, nostalgia, arrependimento, saudade, oh tempo volta para trás, não posso, nem tu, mas
Trago-te a prenda maior para os natais futuros.

Não podes voltar atrás, a não ser na memória e na imaginação:

Mas podes virar-te para a frente, definir uma intenção, assumir um compromisso, e incluir no teu compromisso o respeito e o reconhecimento por tudo o que experienciaste, viveste, recebeste, descobriste, aprendeste, até hoje: por tudo o que te foi dado a viver. Por tudo o que te foi dado. Por tudo.

(eu sou Saturno e gosto de simplificar ao essencial).

Então diz-me lá, como é que vais honrar toda a tua história, a riqueza de tudo o que sentes, a riqueza de tudo o que és, e de tudo o que podes vir a ser,

E como é que vais pôr-te, e ao resto da tua Encarnação, ao Serviço,

Fazer disso uma Empresa,

E de cada passo dado nessa direcção,

A tua noção de Sucesso?

A tua noção de Responsabilidade?

A tua noção de Destino?

A tua noção de Realização?

A tua noção de Propósito?

A tua consciência de que só porque tu viveste,

Alguém mais viveu melhor,

E porque tu te fizeste,

Se fez mais, o Amor *

... são quase nove da noite de dia 21 de Dezembro. Este ano há prenda de Natal antecipada. E Saturno, pacientemente, mas sem mais tempo a perder,

Quer ouvir a tua resposta -

Para te dar a listinha dos encargos para os próximos anos.

E não é para te angustiares, porque não é obrigatório que "lá" chegues:

É só para saberes ao que andas,

(o que aqui vieste realmente Ser, e como consequência disso, fazer)

e para que quando o Grande Arquitecto espreitar, a ver o que andas a fazer, e assim a tornares-te

Tu estejas mesmo, e sempre, a Caminho *

de ti. Do teu passado. Do teu futuro. Da tua própria etern_idade. Transportando para o futuro, como um Presente, o presente o futuro e o passado: todo o Tempo num só, e com esta breve passagem: tudo recebido e oferecido como um único Legado.



Nuno Michaels
in, Tao en Choice