sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Inacreditável!!!!!!

Dada - Dizz Knee Land

Energia cosmica



“Pára de ficar rezando e batendo o peito!
O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.
Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.
Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.
Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.
O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro!
Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?
Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.
Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez?
Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?
Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.
Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.
Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.
Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.
Eu te fiz absolutamente livre. Não há prémios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar.
Ninguém leva um registo.
Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse.
Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.
E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais gostaste? O que aprendeste?
Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti.
Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.
Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?
Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam.
Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.
Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.
Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres?
Para quê tantas explicações?
Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro... aí é que estou."

Baruch Spinoza

(As palavras são de Baruch Spinoza - nascido em 1632 em Amsterdão, falecido em Haia em 21 de Fevereiro de 1677, foi um dos grandes racionalistas do século 17 dentro da chamada Filosofia Moderna, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz.
Era de família judaica portuguesa e é considerado o fundador do criticismo bíblico moderno. Acreditem, estas palavras foram ditas em pleno Século 17.)

Lilith



"Lilith não corresponde a nenhum conceito, idéia ou projeção que se possa fazer dela...e o que as pessoas que usam o seu nome fazem hoje em dia é usar os preconceitos seculares que difamaram Lilith, que, transformando-a num demônio e comedora de criancinhas, uma serpente maldita ou um dragão ameaçador - é sempre a mesma ameaça para assustar as crianças e os homens que não passam de crianças e a imaginam terrível – para criar medo dela e da Mulher livre e capaz de ser Mulher por si só.

Ela não é nada disso...nada. Sinto-o e sei-o no meu coração.
Ela é puro fogo, fogo ardente e potente de um amor único e singular, chama terrível sim, que nós ainda não conseguimos suportar:
Ela está para lá de toda a dualidade bem mal e nunca foi homem nem...mulher, porque ELA É A ESSÊNCIA DA MULHER FUTURA, DA MULHER QUE ERA PARA SER E NÃO FOI...mas o que ela será e o que ela foi está em germe na mulher, é o seu matrimônio secreto, a sua completude, e o homem que a quiser conhecer terá de ser através da MULHER, da Mãe e da Amante...não há hipótese alguma de o transgredir nem de a transformar num demônio, nem na transexualidade, nem por qualquer processo seja por meios químicos e outros como operações ou sucedâneos, como fazer seios de silicone ou injetar-se de hormônios..."

Anónimo


"Lilth é incorruptível, Ela é a origem ,Ela é a Grande Mãe…o Grande Útero que dá vida ao universo. Ela é a grande Serpente, o Uroborus…

Quem quiser conhecer Lilith, tem de nascer mulher e escolhe-o...mas pode sempre traí-la de uma ou outra maneira - nem todas ou raras são as mulheres dignas dela e que lhe são fiéis...porque as mulheres de hoje e daí todas as aberrações deste mundo, todas as loucuras, não se conhecem em essência, não cumprem o seu destino, estão desnaturadas, estão vendidas, escravizadas ao patriarcado e ao Sistema que, este sim, é “diabólico”.

Elas não respiram a Mulher, elas não são A Mulher. E por isso os homens não sabem nem sonham quem seja a Mulher nem muito menos quem É LILITH!

Lilith é uma experiência no âmago da mulher no seu centro nuclear que implica o seu corpo, o seu sexo a sua alma e o seu espírito em fusão e só essa experiência dá a dimensão do Ser Mulher ou da Deusa na mulher.

As mulheres não sonham nem compreendem o que possa ser essa totalidade nelas.
Não sonham que isso lhes pode trazer de si uma experiência tão profunda que podem cessar a busca do prazer obsessivo pelo macho...eu não nego as relações entre os humanos (entre homem e mulher ou entre seres do mesmo sexo); eu apenas quero enfatizar que a experiência da deusa na mulher é tão forte e tão extensa como intensa e auto-suficiente...tira-nos dessa dependência do outro e do homem e esse é o segredo milenar que as mulheres têm guardado e esquecido.

Dizer isto às mulheres parecerá loucura eu sei disso: elas estão tão dominadas pelo homem que não concebem a sua existência sem um...e não conseguem desviar o foco do homem para si mesmas...
(...)"

Rosa Leonor Pedro

Uma rameira de verdade



ESTÁS PRONTA PARA SER UMA RAMEIRA DE VERDADE?

Quem ama é uma rameira de alma. Uma prostituta da pior espécie. Uma vadia que só quer amar. Quem ama tem de ser fácil para quem ama. Verdadeiramente fácil. Absolutamente fácil. Uma meretriz que nem sequer cobra para ser meretriz. E tu: quanto cobras para amares quem amas?

Manda um mosquete valente no orgulho. Manda um breque bem forte nas conversas de chacha que te dizem que deves ser difícil, que deves jogar o jogo do avança e recua com quem amas. Manda uma cabeçada à Mike Tyson nas lérias que te ensinam a não seres fácil perante quem amas. Se amas: sê fácil. Abre os braços, abre as pernas, abre a boca: abre-te para quem amas. Se amas: não compliques. Se queres um beijo, beija; se queres um abraço, abraça; se queres um orgasmo, despe e salta e dança e sua e geme. Se queres amar: ama. Não olhes a convenções. Prefere as pulsões. Prefere os corações, as animações – até mesmo os neutrões. Liga-te à electricidade, liga-te à corrente: sê a tua corrente. Esquece as correntes de pensamento que te fecham as portas, esquece as correntes de preconceitos que te ofuscam o desejo, esquece as correntes de medos que te castram o sentir. Se amas: sê fácil. E ser fácil é bem fácil: se queres dizer “não” dizes “não”; se queres dizer “sim” dizes “sim”. Simplifica: não obrigues quem amas a perceber o que está por detrás do que dizes, não obrigues quem amas a adivinhar que queres dizer exactamente o contrário do que acabaste de dizer. Diz o que pensas exactamente assim: como o pensas. Não te faças de difícil: fazer de conta vai, por vezes, além da conta. E depois podes até acabar tu por não entrar nas contas. Ainda não te contei? Conto-te agora então. Lê com atenção.

Jogar com quem amas só é interessante sobre os lençóis e entre as quatro paredes de um quarto. Jogar com quem amas só é interessante quando se trocam fluidos e lambidelas mais ou menos demoradas. Jogar com quem amas só para fazer de conta que és muito forte e que é quem amas que tem de te perseguir e seduzir e essas balelas todas não tem interesse nenhum. E torna-te, se insistires nessa alarvidade intelectual e emocional, em desinteressante. Em entediante. Numa valente pessegada de seca. Porque nada é mais secante do que quem sabe o que quer e aparenta – por uma questão de orgulho ou de racionalização doentia – não querer exactamente aquilo que quer. Mais uma vez: simplifica. Mais uma vez: descomplica. Sê e diz e faz o que queres ser e dizer e fazer. Se te apetece abrir os braços a quem te magoou: abre; se te apetece abrir as pernas a quem te fez sofrer: abre; se te apetece enfiar a língua na boca de quem devias odiar: enfia. Despreza as desprezíveis leis do amor-próprio. O amor-próprio é uma treta. Só te amas se te sentires bem contigo. E só te sentes bem contigo se estiveres bem com tudo aquilo que és. E se amas quem amas só te sentes bem com tudo aquilo que és se te sentires bem com aquilo que amas. E quando se ama quase tudo (ou tudo) aquilo que és é aquilo que amas. Por isso: ama-te amando (ou deixando-te amar por) quem amas. Por isso: não tenhas receio de fazer de Deus. Por isso: não tenhas receio de perdoar. Plenamente perdoar: sem saber porquê, sem entender de onde vem perdoar vem. Perdoar. Abrir. Não tenhas receio de esquecer o que tem de ser esquecido, de sepultar o que já foi. Enterra o passado. Sim: enterra o passado. Antes de que te enterres, definitivamente, a ti. Antes de que te enterres, definitivamente, em ti.

Sê uma rameira, uma prostituta, uma vadia, uma meretriz. Sê fácil para quem amas. Perdoa quem amas. Dá uma trancada no orgulho e dá uma trancada – ou várias – em quem amas. Não evites viver. Não evites, também, sofrer e fazer sofrer de novo, magoar e ser magoada de novo, chorar e ser chorada de novo. Não evites arriscar, não evites temer estar a ir longe demais. Não evites: não te evites. Porque é viver, e mais nada, que é inevitável.

Pedro Chagas Freitas
in "EU SOU DEUS"

Peter Pan

Peter Pan has always been my favourite tale (gemini girl allllll the way).
The message it brings is, probably, the most essential FACT of LIFE and the way it´s worth to live it. Highly Intelligent, brave, openly smiling towards a cliff:
the cliff that is LIFE, always on the edge, centre, in and out - whatever you wish it to: BE.





Peter Pan...a Minha história infantil preferida!

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Jesse Ventura's Conspiracy Theory - s03e02 - Death Ray



Ventura investigates the government's use of energy technology as a
terminal weapon. Jesse also tries to link death rays to the disaster of 9/11.

uma das testemunhas apareceu morta no dia seguinte à entrevista para este mesmo episódio...

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Força de vontade



"A força de vontade é vista como uma grande qualidade.
Todas as crianças são educadas para desenvolverem uma sólida força de vontade.
Mas a força de vontade contraria a espontaneidade.
O rio limita-se a fluir, sem competir com outros rios, despreocupado – a acção inerte. A força de vontade foi utilizada para impor uma falsa personalidade...
Todos os problemas do homem derivam da força de vontade.
Todos querem ser alguém, ser especiais, chegar mais longe…
Quanto mais lutar e mais bem sucedido, mais se afasta do próprio ser.
A tensão e as preocupações crescem.
Há agonia constante – o receio de falhar.
Quem vive para alcançar algo, nunca viverá em paz.
Não temos consciência da nossa riqueza interior."

Osho

Que...



"Que nunca as costas se abdiquem de ceder, pois é apenas assim que me aprendo a erguer.
Que todos percebam que vale a pena ouvir, que todos entendam que não há mal em cair.
Mas que ninguém se vergue ao tem de ser, que não haja conforto em nenhum perder.
Mas que ninguém pare antes de chegar, que não haja um desistir antes de um tentar.
E que as pessoas se queiram todos os dias, e que exijas hoje o que ontem querias.
E que as crianças sejam abraços a crescer, e que os velhos sejam os bebés que ensinam a viver.
E que exista um amo-te a cada esquina, e que se diga um adoro-te que a sorrir se ensina – e que o império do dinheiro seja a suja latrina.
E que não haja mandados nem mandadores, e que não haja humilhados nem humilhadores – e que os cabrões que roubam sejam simples actores.
Mas que toda a justiça tenha costas de aço, que todo o meu destino venha daquilo que faço.
Mas que nunca o orgasmo seja uma raridade, que o som dos gemidos ecoe por toda a cidade.
Que para cada Adeus haja mil olás, que para cada desculpa-me haja o amor que se faz.
Que para cada saudade haja mil exaltações, que para cada frieza haja um milhão de vulcões.
Que nunca as costas se abdiquem de ceder, pois é apenas assim que me aprendo a erguer."

Pedro Chagas Freitas
in, "LIVRO DE AFORISMOS E MENTIRAS UNIVERSAIS"

Conspiração...



"Talvez já tenham ouvido milhares de vezes afirmações como “nascemos para ter abundância”, “o universo conspira a nosso favor”, “pratique e tudo acontecerá”.
Eu acabei de ler agora umas tantas, num espaço de 5 minutos...

Todas estas afirmações têm a mesma característica: elas apresentam a felicidade como algo que está perto ou irá acontecer num futuro muito próximo.
Porém, a retórica de que “o universo conspira a nosso favor” perde o valor quando nos damos conta de que isso só funciona para poucos.
No mundo real, não podemos afirmar que haja uma conspiração em favor de todas as pessoas.

Por acaso acreditam que isso seja válido para as vítimas das diversas formas de prepotência dos estados?

Posso parecer pessimista, mas não acredito em nenhum tipo de "conspiração do universo a nosso favor", principalmente porque o mundo anda tão injusto que a felicidade parece mais uma dádiva para poucos eleitos.
Aliás, esse tipo de colocações sobre a 'facilidade da felicidade em nossas vidas' só anda a servir para deixar as pessoas infelizes, pois, como as coisas não acontecem como eles querem/esperam, elas se sentem preteridas pela sorte, ou incompetentes.
Felicidade - se é que isso existe - é conquistada pouco a pouco, num esforço diário, com acertos e erros.

A questão aqui é que a noção de "a favor" e "contra" são humanas e não universais. Assim, esta noção de bom e mal, também é fruto da imaginação humana, porem para o Universo também não existe bom e mal, tudo apenas é.

O sofrimento é inevitável..."

Chet Baker - In a sentimental mood

Renda-se



Renda-se, como eu me rendi.
Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.
Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Não entendo.
Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender.
Entender é sempre limitado.
Mas não entender pode não ter fronteiras.

Sinto que sou muito mais completa quando não entendo.
Não entender, do modo como falo, é um dom.
Não entender, mas não como um simples de espírito.
O bom é ser inteligente e não entender.
É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida.
É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice.
Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco.
Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

Clarice Lispector

A democracia é uma utopia



A Democracia é uma utopia!
Somos governados por corporações.
Nada nesta crise acontece/aconteceu por acaso.
(Bildberg Group & Goldman Sachs)

Pergunta :
Se para fazer parte da PJ ou da Força Aérea, ou até de certas empresas, existem testes psicotécnicos rigorosos que conseguem determinar a personalidade dos candidatos , porque é que esses testes não são obrigatórios aos políticos detentores de cargos importantes ??
...porque quanto mais ardilosos ,manhosos, corruptos ou corruptíveis, melhor para o sistema ...

Digo isto há anos, mas mais, além de testados, tem de existir da parte dos cidadãos um controle efectivo, que exponha em tempo útil a transparência dos processos, e a linguagem utilizada pelos que nos governam em matéria de explicar o que se passa, passou e pretendem que se venha a passar.
Essa linguagem tem de ser acessível, não através de diários da republica cheios de artigos e articulados.

Tomemos como exemplo a Suécia!
Toda a gente que tem cargos políticos, desloca-se de metro e bicicleta, não há lugar para a corrupção porque são altamente controlados e severamente julgados o que faz com que seja encarada como uma vergonha, os salários são iguais aos do sector privado, têm de prestar contas de todo o dinheiro que gastam, etc...

Mais ainda, o PGR e o Tribunal Constitucional devem ser cargos independentes e não de nomeação partidária.
Mais ainda, não pode existir uma lei que proteja o trabalho, que não permita despedir os trabalhadores, porque ao existir e existe, qualquer pessoa que chegue a um cargo politico, e a funcionário do estado, não vai executar a sua função da mesma forma se for classificado, mérito e mentalidade devem andar em paralelo.

Se formos a ver bem temos duas sociedades em Portugal, a empreendedora que arrisca, se empenha aos bancos porque acredita no seu negócio e lucra e paga impostos, e a outra que é velha e de mentalidade mórbida, que empata e estagna e não decide, e isso não existe nenhum governo que altere, somos nós que temos de exigir.
As sociedades mais avançadas tem as carreiras e ordenados dos trabalhadores do estado equiparadas ao sector privado, para evitar o enriquecimento rápido por via politica, e isso é o que devemos sair para a rua a gritar e exigir, nós pagamos a um estado que nos presta um mau serviço, incompetente e corrupto, das duas uma ou não pagamos ou exigimos mais do estado, todos, sem cores politicas.



terça-feira, 27 de novembro de 2012

Se amas: sê fácil


"Se amas: sê fácil. 
Abre os braços, abre as pernas, abre a boca: abre-te para quem amas. 
Se amas: não compliques. 
Se queres um beijo, beija; se queres um abraço, abraça; se queres um orgasmo, despe e salta e dança e sua e geme. 
Se queres amar: ama. 
Não olhes a convenções. 
Prefere as pulsões." 

 in, "EU SOU DEUS"

Em cada um de nós



"Em cada um de nós há um segredo, 
uma paisagem interior com planícies invioláveis, 
vales de silêncio e paraísos secretos. "

Saint Exupéry

O Peso de uma Herança



Fizeram-nos acreditar que ‘o grande amor’ só acontece uma vez, geralmente aos 30 anos.
Porém, não nos disseram que o amor não é accionado nem que ele não chega com hora marcada.

Fizeram-nos acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja e que a vida só faz sentido quando encontramos a nossa outra metade.
Nós não fomos informados de que já nascemos inteiros e que ninguém tem que carregar a responsabilidade de completar o que nos falta.

Fizeram-nos acreditar numa fórmula chamada “dois em um”:
duas pessoas pensando e agindo da mesma forma.
Não nos contaram que isso tem um nome,  “anulação”, e que apenas indivíduos com personalidade própria são capazes de ter um relacionamento saudável.

Fizeram-nos acreditar que o casamento é obrigatório e que os desejos fora deste âmbito devem ser reprimidos.

Fizeram-nos acreditar que os bonitos e magros são mais amados. Que só há uma fórmula para a felicidade, a mesma para todos, e que aqueles que fogem dela estão condenados à marginalização.
Nós não fomos informados de que estas fórmulas estão erradas, que elas frustram as pessoas, que as deixam alienadas e que podemos tentar muitas outras alternativas.

Ninguém te vai dizer isso, todos vão ter que descobrir sozinhos.
E aí, quando estiveres realmente apaixonado por ti mesmo, tu serás capaz de ser muito feliz e de te apaixonares por alguém.


Vivemos num mundo onde nos escondemos para fazer amor…
Embora a violência seja praticada em plena luz do dia.


John Lennon

Tudo está em nós



"Quanto mais você busca, mais você se esquece e se afasta de Si".

É desta maneira que este mundo posiciona todos aqueles que aqui nascem. É a busca incessante exterior para que você jamais olhe para você mesmo. Pois tudo está em você, e não em qualquer religião, espiritualidade ou terapia. Tudo isso é a farsa que alimenta a dualidade (acção/reacção - bem/mal - caridade/miséria - amor/ódio - vontade de bem/caos).

É neste mundo que estão os letrados, os especialistas, os doutores, os mestres, ou seja, todos aqueles que sabem de tudo, menos de Si. Não sabem de onde vieram, o que são, e para onde vão. Eles estão aptos a quê? Ao exterior, às ilusões, às farsas espirituais (todas sem excepção).

Todos aqueles que actuam como sacerdotes, líderes espirituais, tratadores espirituais, mestres ou qualquer orientador espiritual, todos, sem excepção, são VIGARISTAS que deveriam respeitar o que cada um deve viver.

Eis a "espiritualidade" e a "inteligência" dos humanos do planeta Terra.

Elio Pina

Os Espíritos não resolvem os seus problemas



Muita gente procura o centro espírita em busca de uma conversa directa com os guias espirituais. Talvez acreditem que, se tiverem oportunidade de conversar, chorar suas mágoas e defender suas ideias de autopiedade, os espíritos se mobilizarão para auxiliá-los e destrinchar suas dificuldades com toda a urgência e facilidade.

Meu Deus, como muitos amigos (as) estão equivocados! Espírito nenhum resolve problemas de ninguém. Esse definitivamente não é o objectivo nem o papel dos espíritos, meu filho (a). Se porventura você está em busca de uma solução simples e repentina para seus dramas e desafios, saiba que os espíritos desconhecem quimera capaz de cumprir esse intento.

No espiritismo, não se traz o amor de volta; ensina-se a amar mais e valorizar a vida, os sentimentos e as emoções, sem pretender controlar os sentimentos alheios ou transformar o outro em fantoche de nossas emoções desajustadas.

Os espíritos não estão aí para “desmanchar trabalhos” ou feitiçarias; é dever de cada um renovar os próprios pensamentos, procurar auxílio terapêutico para educar as emoções e aprender a viver com maior qualidade.

Até o momento, não encontramos uma varinha mágica ou uma lâmpada maravilhosa com um gênio que possa satisfazer anseios e desejos, resolvendo as questões de meus filhos (as). O máximo que podemos fazer é apontar certos caminhos e incentivar meus filhos (as) a caminhar e desenvolver, seguindo a rota do amor.

Não adianta falar com as entidades e os guias ou procurar o auxílio dos orixás, como muitos acreditam, pois tanto a solução como a génese de todos os problemas está dentro de você, meu filho.

Ao menos no espiritismo, a função dos espíritos é maior do que satisfazer caprichos e necessidades imediatas daqueles que concentram sua visão nas coisas do mundo. Não podemos perder nosso tempo com lamentações intermináveis nem com pranto que não produza renovação. Nosso campo de trabalho é a intimidade do ser humano, e a consciencialização de sua capacidade de trabalhar e investir no lado bom de todas as coisas. Nada mais.

Tem gente por aí se deixando levar pelas aparências de espiritualidade. A grande multidão ainda não despertou para as verdades espirituais e acha-se com os sentidos embriagados e as crenças arreigadas em formas mesquinhas e irreais de viver a vida espiritual. Persegue soluções que lhe sejam favoráveis, e, em geral, tais soluções dizem respeito a questões emocionais ou materiais que meus filhos (as) não se sentiram capazes de superar. Ah! Como se enganam quanto à realidade do espírito.

O aprendizado da vida é longo, amplo e exige um esforço mental de tais proporções que não torna fácil romper com os velhos hábitos de barganhas espirituais aprendidos com as religiões do passado.

Fazem-se promessas, cumprem-se rituais na esperança de que os espíritos ou Deus concedam-lhes um favor qualquer em troca de seus esforços externos, que presumem sobrepor-se aos valores internos.

Pensamentos assim resultam de uma educação religiosa deficiente e advêm de hábitos seculares que perduram nos dias atuais e carecem de uma análise mais profunda. Os indivíduos que agem com base nessas premissas evitam reconhecer sua responsabilidade nos acontecimentos que os atingem e pensam enganar a Deus com seu jeito leviano e irresponsável de tratar as questões espirituais. Fatalmente se decepcionam ao constatar que aquilo que queriam não se realizou e que as focas sublimes da vida não se dobraram aos seus caprichos pessoais.

Os problemas apresentados pela vida têm endereço certo, e não há como transferi-los para os espíritos resolverem. Se determinada luta ou dificuldade chega até você, compete a você vencê-la. 

Na sede de se livrar do processo educativo ministrado pela vida, meus filhos (as) esperam que, os espíritos, possam isentá-los de seus desafios. Isso é irreal. Não detém o poder de transferir de endereço a receita de reeducação que vem para cada um. Nenhum espírito minimamente esclarecido poderá prometer esse tipo de coisa sem comprometer o aprendizado individual. Foram chamados pelo Pai para auxiliar meus filhos (as) apontando o caminho ou a direção mais provável para alcançarem êxito na construção de sua felicidade.

Vejam como exemplo a atuação do próprio Nosso Senhor Jesus Cristo. Mesmo matando a sede e a fome de multidões, ele não arranjou emprego para ninguém. Curou e restabeleceu a saúde de muitos que nele acreditaram, mas não libertou ninguém das conseqüências de seus atos e escolhas. Sabendo das dificuldades sociais da época, não tentou resolver questões que somente poderiam ser transpostas com o tempo e o amadurecimento daquele povo. Em momento algum o vimos a prescrever fórmulas para dar fim a desavenças de ordem familiar, socioeconômica nem tampouco emocional, recomendando meios de trazer o marido de volta ou fazer a pessoa amada retornar aos braços de quem deseja. Uma vez que ele é o Senhor de todos os espíritos e não promoveu coisas nesse nível, como podemos nós, seus seguidores, sequer cogitar realizá-las?

O que podemos deduzir das atitudes de Nosso Senhor, meus filhos (as), é que, se ele não se dispôs a realizar tais demandas, que na época certamente existiam, é porque a natureza de seu trabalho era outra. Mesmo debelando os males, prestando o socorro que podia, ele não eximiu a população de enfrentar seus desafios. Quem recebeu o pão voltou a ter fome e inevitavelmente teve de trabalhar para suprir as próprias necessidades; quem foi curado teve de aprender a valorizar a própria vida, pois outras enfermidades viriam mais tarde; quem Jesus ressuscitou dos mortos desencarnou mais adiante. Em suma, o processo de reeducação a que conduzem os embates da vida é tarefa de cada um. Cristo Nosso Senhor apenas indicou a direcção, mas cabe a cada seguidor palmilhar o caminho com suas próprias pernas, avançando com passos seguros e resolutos em seu aprendizado.

Através desse raciocínio, meu filho (a), você poderá compreender a razão pela qual não há proveito em recorrer aos espíritos para livrá-lo do sofrimento ou isentá-lo de dificuldades.

Esse é o caminho do crescimento na Terra, e não há como fugir às próprias responsabilidades ou transferir o destino das tribulações. A dívida acorda sempre com o devedor, não há como se furtar a essa realidade.

FONTE: Do livro "Pai João"
Robson Pinheiro
Editora Casa dos Espíritos


Quanto mais procuramos, mais nos afastamos de nós mesmos.
É importante separar a verdade da ilusão...

Todos os meios devem ser instrumentos que servem a vocês, não vocês que servem a eles.
No meio da procura por vezes esquecemos que só há alguém que nos conhece melhor e que saberá tomar as melhores decisões. Nós.
Somos o nosso melhor mestre...

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Foo Fighters. Walk.



A million miles away
Your signal in the distance
To whom it may concern
I think I lost my way
Getting good at starting over
Every time that I return

Learning to walk again
I believe I've waited long enough
Where do I begin?
Learning to talk again
Can't you see I've waited long enough?
Where do I begin?

Do you remember the days
We built these paper mountains
And sat and watched them burn?
I think I found my place
Can't you feel it growing stronger?
Little conqueror

Learning to walk again
I believe I've waited long enough
Where do I begin?
Learning to talk again
I believe I've waited long enough
Where do I begin?

Now
For the very first time
Don't you pay no mind
Set me free again

You keep alive a moment at a time
But still, inside, a whisper to a riot
To sacrifice, but knowing to survive
The first to climb another state of mind
I'm on my knees, I'm praying for a sign
Forever, whenever
I never wanna die

I never wanna die
I never wanna die
I'm on my knees
I never wanna die

I'm dancing on my grave
I'm running through the fire
Forever, whenever
I never wanna die

I never wanna leave
I never say goodbye
Forever, whenever
Forever, whenever

Learning to walk again
I believe I've waited long enough
Where do I begin?
Learning to talk again
Can't you see I've waited long enough?
Where do I begin?

Learning to walk again
I believe I've waited long enough
Learning to talk again
Can't you see I've waited long enough?


O CAMINHO FAZ-SE CAMINHANDO!!!!!!!

domingo, 25 de novembro de 2012

No limite do Ser



“Toda a gente nasceu em liberdade, mas morre em cativeiro.
O principio da vida é totalmente solto e natural, mas depois entra a sociedade, depois entram as regras e os regulamentos, a moral, a disciplina e muitos géneros de treino, e a liberdade e a naturalidade e o ser espontâneo perdem-se.
A pessoa começa a montar à sua volta uma espécie de armadura.
A pessoa começa a tornar-se cada vez mais rígida.
A brandura interior já não é aparente.
No limite do ser, a pessoa cria um fenómeno semelhante a uma fortaleza para se defender, para não estar vulnerável, para reagir, para estar segura, e assim se perde a liberdade do ser.
A pessoa começa à procura dos olhos dos outros, da sua aprovação, da sua negação, da sua condenação, as apreciações tornam-se cada vez mais valiosas.
Os outros tornam-se o critério e a pessoa começa a imitar e a seguir os outros porque tem de viver com os outros.”

OSHO

sábado, 24 de novembro de 2012

Difícil estar no meio



"Um homem que tenha se entregue em demasia ao sexo, pode ser tornar um celibatário muito facilmente. Não há nenhum problema. Mas é difícil para a mente fazer uma dieta certa, é difícil para a mente estar no meio.

Porque é difícil estar no meio? Isso é exatamente igual ao pêndulo de um relógio. O pêndulo vai para a direita, e daí se move para a esquerda, então de novo para a direita, e depois de novo para a esquerda. O relógio inteiro depende desse movimento. Se o pêndulo parar no meio, o relógio pára. E quando o pêndulo se move para a direita, você pensa que ele está somente indo para a direita. Mas, ao mesmo tempo que ele está indo para a direita, ele está juntando momento* para ir para a esquerda. Quanto mais ele se move para a direita, mais energia ele reúne para se mover para a esquerda, para o oposto. Quando ele está se movendo para a esquerda ele está de novo reunindo momento para se mover para a direita.

Sempre que você come demais, você está reunindo momento para fazer jejum. Sempre que você se entrega em demasia ao sexo, mais cedo ou mais tarde, o celibato, o brahmacharya se tornará atraente para você.

E o mesmo está acontecendo a partir do pólo oposto. Vá e pergunte aos chamados sadhus, aos bhikkhus, aos sannyasins. Eles firmaram um propósito de permanecer celibatários; e agora a mente deles está reunindo momento para se movimentar em direção ao sexo. Eles firmaram um propósito de ficarem com fome, de passar fome e a mente deles está constantemente pensando em comida. Quando você está pensando muito a respeito de comida, isso mostra que você está reunindo momento para comer. Pensar significa momento. A mente começa fazer arranjos para ir ao oposto."

Osho

Sincronicidade



"Você sabia que o Universo se comunica conosco o tempo todo e nos envia respostas, mensagens e sinais, de acordo com nossos desejos e necessidades?

Estes sinais se manifestam através do fenômeno que conhecemos como sincronicidade, ou seja, no momento em que você necessita de algo, ou de que alguma situação aconteça, aquilo se manifesta repentinamente em sua vida.
Mas eles não se apresentam somente com soluções grandiosas ou espetaculares. Manifestam-se igualmente nos acontecimentos rotineiros.

A prova incontestável de que você está vivendo e atuando numa parceria harmoniosa com a vida, é a presença destas sincronicidades em seu dia-a-dia. Para percebê-las, é necessário que você esteja atenta e consciente de que o Universo sempre responde, de alguma forma, a todos os seus pedidos.

Se você vinha recebendo estes presentes e, de repente, eles pararam de acontecer, saiba que algo saiu do eixo em seu plano de vida. É indício de que você se deixou perturbar por alguma forma de negatividade que gerou um curto circuito em seu equilíbrio.

Este é um sinal de que é hora de se re-equilibrar, se harmonizar e re-conectar com seu ser divino, aquele que direciona suas ações sempre para um caminho positivo para você e para o mundo.

Um dos meios de evitar esta desconexão é parar de julgar, a si próprio e as outras pessoas. Esta atitude impede que criemos novos laços cármicos, geradores de sofrimento.

Agradecer é a melhor forma de fortalecer nossa conexão com o Divino, pois quanto maior for nossa gratidão, mais bênçãos de amor, alegria, paz, virtudes positivas e prosperidade ele nos enviará."


OSHO
in, The Transmission of the Lamp

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Nim



Ana Moura
Álbum "Desfado"
Música escrita por Luisa Sobral

Nikola Tesla movie -- Most amazing man who ever lived!

Through The Wormhole S02 Ep01 - Life After Death

Sin Apegos



"Amar sin apegos es amar sin miedos. 
El amor es la operación por la cual nos adaptamos al otro, 
sin dejar de ser uno mismo. 
Podemos sujetarnos despacio y tiernamente, 
como quien no quiere lastimar ni lastimarse. 
Es una unión maravillosa de dos que parecen uno"

Walter Riso


Sábias palavras.
Lamentavelmente,muitos pensam que amar alguém é possuí-lo, transformá-lo numa parte do nosso inventário,adaptá-lo às nossas necessidades até mudar a sua Essência!
Nem sempre os dois, estão na disposição de ser UM SÓ, sem deixarem de ser diferentes e individuais na sua Essência.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Mumford & Sons - I Will Wait




And I came home
Like a stone
And I fell heavy into your arms
These days of darkness
Which we've known
Will blow away with this new sun

And I'll kneel down
Wait for now
And I'll kneel down
Know my ground

And I will wait, I will wait for you
And I will wait, I will wait for you

So break my step
And relent
You forgave and I won't forget
Know what we've seen
And him with less
Now in some way
Shake the excess

But I will wait, I will wait for you
And I will wait, I will wait for you
And I will wait, I will wait for you
And I will wait, I will wait for you

So I'll be bold
As well as strong
And use my head alongside my heart
So tame my flesh
And fix my eyes
That tethered mind free from the lies

But I'll kneel down
Wait for now
I'll kneel down
Know my ground

Raise my hands
Paint my spirit gold
And bow my head
Keep my heart slow

Cause I will wait, I will wait for you
And I will wait, I will wait for you

El ser soltero



El ser soltero implica el abrazar un estilo de vida pleno, lejos de los prejuicios sociales....
No es vivir en soledad o ausencia de buena compañía.
Es enriquecimiento interior cuyo afán por la vida han sido cumplir metas y sueños.!!! Siendo pulidos para un mejor presente y un mejor mañana.
Sabedores de ser merecedores de lo sembrado y cultivado a lo largo de la vera en el camino.
Aprendemos el arte de saber vivir con todas las circunstancias y sueños fallidos.
Ser dueños de nuestra naturaleza interior en toda su dimensión.
Tener la capacidad, discernimiento y sabiduría de aceptar todo aquello que no podemos cambiar y voluntad para cambiar el derrotero y vivir en un mundo mejor con mi aporte. Sabemos que la felicidad comporta y nace de una actitud positiva y llena de Fé.
Así que comprendido esta máxima del saber vivir compartimos la felicidad, aunque a sabiendas que una sonrisa en mi rostro no es que desconozca que la vida no tiene problemas o preocupaciones, al contrario es tener la capacidad serena de estar por encima de ello.
Es señal de que vamos por buen camino cuando conciliamos el mundo interior con el mundo exterior en completa armonía.

Edwin Urena

Porque devem os pais pôr os filhos a chorar?



"A ideia de fazer tudo para que os filhos sejam felizes, evitando que chorem, está ultrapassada. A teoria de disciplinar sem que a criança chore está desactualizada, diz Gordon Neufeld, psicólogo clínico canadiano que esteve em Portugal no final da semana.

“As crianças precisam da tristeza, da tragédia para crescerem. Precisam de ter as suas lágrimas”, defende. Nos primeiros meses e anos de vida, o “não” dito pelos pais ajuda a disciplinar, em vez de estragar a criança. “Estamos a perder isso na nossa sociedade, não admira que as crianças estejam estragadas com mimos. Afinal, elas são sempre as vencedoras”, continua o investigador que esteve em Lisboa a convite da empresa BeFamily, do Fórum Europeu das Mulheres, da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas e da Associação Portuguesa de Imprensa.

Na conferência sob o lema “Vínculos Fortes, Filhos Felizes”, Neufeld defende que só se atinge o bem-estar através da educação e que esta deve estar a cargo das famílias e não do Estado. E para garantir o bem-estar de qualquer ser humano ou sociedade é necessário preencher seis necessidades.

A primeira é o “aprender a crescer” e para isso há que chorar, é preciso que a criança seja confrontada, que viva conflitos, de maneira a amadurecer, a tornar-se resiliente, a saber viver em sociedade.

A segunda necessidade é a de a criança criar vínculos profundos com os adultos, estabelecer relações fortes. Como é que se faz? “Ganhando o coração dos filhos. É preciso amarmos e eles amarem-nos. Temos de ter o seu coração, mas perdemos essa noção”, lamenta o especialista que conta que, quando lhe entram na consulta pais preocupados com o comportamento violento dos filhos, a primeira pergunta que faz é: “Tem o coração do seu filho?”, uma questão que poucos compreendem, confidencia.

E dá um exemplo: Qual é a principal preocupação dos pais quanto à escola? Não é saber qual a formação do professor ou se este é competente. O que os pais querem saber é se a criança gosta do docente e vice-versa. “E esta relação permite prever o sucesso académico da criança”, sublinha Neufeld, reforçando a importância de “estabelecer ligações”.

E esta ligação deve ser contínua – a terceira necessidade –, de maneira a evitar problemas. Neufeld recorda que o maior medo das crianças é o da separação. Quando estão longe dos pais, as crianças começam a ficar ansiosas e esse sentimento pode crescer com elas, daí a permanente procura de contacto, por exemplo, entre os adolescentes com as mensagens enviadas por telemóvel ou nas redes sociais, muitas vezes, ligando-se a pessoas que nem conhecem, alerta o especialista.

O canadiano recomenda que os pais estabeleçam pontes com os seus filhos. Quando a hora da separação se aproxima, há que assegurar que o reencontro vai acontecer. Antes de sair da escola, dizer “até logo”; à hora de deitar, prometer “vou sonhar contigo”.

Mas a separação não é só física, há palavras que separam como “tu és a minha morte” ou “tu és a minha vergonha”. Mesmo quando há problemas graves para resolver, a frase “não te preocupes, serei sempre teu pai” ajuda a lembrar que a relação entre pai e filho é mais importante do que o problema. Hold on to your kids é o nome do livro que escreveu e onde defende esta teoria.

A importância de brincar
A quarta necessidade a ter em conta para garantir o bem-estar dos filhos é a necessidade de descansar. Cabe aos adultos providenciar o descanso e este passa por os pais serem pessoas seguras e que assegurem a relação com os filhos.

As crianças precisam que os pais assumam a responsabilidade da relação, que mantenham e alimentem a relação, de modo a que elas possam descansar e, nesse período, desenvolver outras competências. Uma criança que está ansiosa pela atenção dos pais não está atenta na escola, por exemplo.

Brincar é a quinta necessidade a suprir. Não há mamífero que não brinque e é nesse contexto que se desenvolve, aponta Neufeld. E brincar não é estar à frente de uma consola ou de um computador; é “movimentar-se livremente num espaço limitado”, não é algo que se aprenda ou que se ensine. E, neste ponto, Neufeld critica o facto de as crianças irem cada vez mais cedo para a escola, o que não promove o desenvolvimento da brincadeira. “Os ecrãs estão a sufocar a brincadeira e as crianças não têm tempo suficiente para brincarem”, nota o psicólogo clínico que, nas últimas semanas, fez um périplo por vários países europeus, tendo sido ouvido no Parlamento Europeu, em Bruxelas sobre “qualidade na infância”.

Por fim, a sexta necessidade é a de ter capacidade de sentir as emoções, de ter um “coração sensível”. “Estamos tão focados em questões de comportamento, de aprendizagem, de educação; em definir o que são traumas; que nos esquecemos do que são os sentimentos. As crianças estão a perder os sentimentos quando dizem ‘não quero saber’, ‘isso não me interessa’, estão a perder os seus corações sensíveis”, diz Neufeld.

Em resumo, é necessário que os pais criem uma forte relação emocional com os filhos, de maneira a que estes sejam saudáveis. Os pais são os primeiros e são insubstituíveis na educação dos filhos e são eles que devem ser responsáveis pelo seu desenvolvimento integral e felicidade. Se assim for, estarão também a contribuir para o bem-estar da sociedade."


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Belleruche - Balance

quatro leis da espiritualidade



Na Índia, são ensinadas as“quatro leis da espiritualidade”.

A primeira diz :
“A pessoa que vem é a pessoa certa”.
Ninguém entra em nossas vidas por acaso… Todas as pessoas ao nosso redor, interagindo com a gente, têm algo para nos fazer aprender e avançar em cada situação.

A segunda lei diz:
“Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido”.
Nada, nada, absolutamente NADA do que acontece em nossas vidas poderia ter sido de outra forma. Mesmo o menor detalhe. Não há nenhum “se eu tivesse feito tal coisa…” ou “aconteceu que um outro…”. Não.
O que aconteceu foi tudo o que poderia ter acontecido, e foi para aprendermos a lição e seguirmos em frente. Todas e cada uma das situações que acontecem em nossas vidas são perfeitas.

A terceira diz :
“Toda vez que você iniciar é o momento certo”.
Tudo começa na hora certa, nem antes nem depois.
Quando estamos prontos para iniciar algo novo em nossas vidas, é que as coisas acontecem.

E a quarta e última afirma :
“Quando algo termina, ele termina”.
Simplesmente assim.
Se algo acabou em nossas vidas é para a nossa evolução. Por isso, é melhor sair, ir em frente e se enriquecer com a experiência.
Não é por acaso que estamos lendo este texto agora.
Se ele vem à nossa vida hoje, é porque estamos preparados para entender que nenhum floco de neve cai no lugar errado.


São ensinamentos e não leis.
Leis são para cumprir e estas são para sentir e reflectir.
Namasté

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

De la medicación a la meditación



Sólo al tomar decisiones te vuelves más y más consciente, sólo al tomar decisiones te vuelves más y más maduro y sólo al tomar decisiones te vuelves más astuto. De otra manera uno se vuelve insulso.
La gente va de un gurú a otro, de un maestro a otro, de un templo a otro — no porque sean grandes buscadores sino porque son incapaces de tomar decisiones.
Así que van de uno a otro. Esta es su manera de evitar el compromiso.
Lo mismo ocurre con otras relaciones humanas: un hombre va de una mujer a otra, continúa cambiando. La gente piensa que es un gran amante; no es un amante en lo absoluto.
Él está evitando, él está intentando evitar el involucrarse profundamente, porque cuando te involucras profundamente tienes que enfrentarte a problemas, y tienes que pasar por mucho dolor.
Luego uno simplemente juega a lo seguro; uno se asegura de no involucrarse profundamente con nadie.

Si te involucras muy profundamente, no serás capaz de volver con facilidad.
Y si te involucras profundamente con alguien, este alguien también se involucrará profundamente contigo; siempre va en proporción.
Si me involucro profundamente contigo, la única manera es permitirte que vayas igual de profundo conmigo.
Es un toma y daca, es compartir.
Entonces te puedes involucrar demasiado, y será difícil escapar y el dolor puede ser enorme.
Así pues la gente aprende a jugar a lo seguro: encontrándose sólo en la superficie — historias de amor en toccata y fuga.
Antes de que te atrapen, corres.

Esto es lo que está ocurriendo en el mundo moderno.
La gente se ha vuelto tan infantil, tan aniñada; ha perdido toda su madurez.
Y la madurez aparece sólo cuando estás listo para enfrentarte al dolor de tu ser; la madurez viene sólo cuando estás dispuesto a afrontar el reto.
Y no hay mayor reto que el amor.
Vivir en armonía con otra persona es el mayor reto del mundo.
Es muy fácil vivir en paz cuando estás solo, es muy difícil vivir en paz con alguien más, porque es el encuentro y también el enfrentamiento de dos mundos... totalmente diferentes.

¿Por qué se atraen el uno al otro?
Porque son totalmente diferentes, casi opuestos, polos opuestos.
Es muy difícil sentirse en paz en una relación, pero ese es el reto.
Si escapas de él, escapas de la madurez.
Si te sumerges en él con todo el dolor, y continúas sumergiéndote, entonces poco a poco el dolor se convierte en una bendición, la maldición se convierte en una bendición.

Poco a poco, a través del conflicto, de la fricción, llega la cristalización.
El conflicto te vuelve más alerta, más consciente.
El otro se convierte en un espejo para ti.
Puedes ver tu fealdad en el otro.
El otro provoca tu inconsciencia, la trae a la superficie.
Tendrás que conocer todas las partes escondidas en tu interior y la forma más fácil es viéndolas a través de un espejo, reflejadas, en una relación.
La forma más fácil, la llamo yo, pues de hecho no hay otra forma — pero es dura.
Es dura, difícil, porque tendrás que transformarte con ella.

Osho
in, "De la medicación a la meditación"

Ben harper - Another lonely day ( Best version )

Oração Kahuna do Perdão



Oração dos Xamãs Kahunas Havaianos:

Oração belíssima para meditação!
Mexe com um dos sentimentos mais profundos e mais difíceis de superar... Ressentimentos... Envolva-se e leia vagarosamente!
É uma viagem interior...
Pode ser feita por aqueles que desejam perdoar aos outros e a si próprios.
Possui uma energia poderosa de libertação e paz.
Fale-a de preferência em voz alta e repita-a quantas vezes for necessário.


A Oração Kahuna do Perdão

"Buscando eliminar todos os bloqueios que atrapalham minha evolução, dedicarei alguns minutos para perdoar. A partir deste momento, eu perdoo todas as pessoas que de alguma forma me ofenderam, injuriaram, prejudicaram ou causaram dificuldades desnecessárias.

Perdoo sinceramente, quem me rejeitou, odiou, abandonou, traiu, ridicularizou, humilhou, amedrontou, iludiu. Perdoo especialmente, quem me provocou até que eu perdesse a paciência e reagisse violentamente, para depois me fazer sentir vergonha, remorso e culpa inadequada.

Reconheço que também fui responsável pelas agressões que recebi, pois várias vezes confiei em indivíduos negativos, permiti que me fizessem de bobo e descarregassem sobre mim seu mau carácter.

Por longos anos suportei maus tratos, humilhações, perdendo tempo e energia, na tentativa inútil de conseguir um bom relacionamento com essas criaturas. Já estou livre da necessidade compulsiva de sofrer, e livre da obrigação de conviver com indivíduos e ambientes tóxicos.



Iniciei agora, uma nova etapa de minha vida, em companhia de gente amiga, sadia e competente: quero compartilhar sentimentos nobres, enquanto trabalhamos pelo progresso de todos nós.



Jamais voltarei a me queixar, falando sobre mágoas e pessoas negativas. Se por acaso pensar nelas, lembrarei que já estão perdoadas e descartadas de minha vida íntima definitivamente.



Agradeço pelas dificuldades que essas pessoas me causaram, que me ajudaram a evoluir, do nível humano comum ao espiritualizado em que estou agora.



Quando me lembrar das pessoas que me fizeram sofrer, procurarei valorizar suas boas qualidades e pedirei ao Criador que as perdoe também, evitando que sejam castigadas pela lei da causa e efeito, nesta vida ou em outras futuras.



Dou razão a todas as pessoas que rejeitaram o meu amor e minhas boas intenções, pois reconheço que é um direito que assiste a cada um me repelir, não me corresponder e me afastar de suas vidas.



(Fazer uma pausa, respirar profundamente algumas vezes, para acumulo de energia).



Agora, sinceramente, peço perdão a todas as pessoas a quem, de alguma forma, consciente e inconscientemente, eu ofendi, injuriei, prejudiquei ou desagradei.



Analisando e fazendo julgamento de tudo que realizei ao longo de toda a minha vida, vejo que o valor das minhas boas acções é suficiente para pagar todas as minhas dívidas e resgatar todas as minhas culpas, deixando um saldo positivo a meu favor.



Sinto-me em paz com minha consciência e de cabeça erguida respiro profundamente, prendo o ar e me concentro para enviar uma corrente de energia destinada ao Eu Superior. Ao relaxar, minhas sensações revelam, que este contacto foi estabelecido.

Agora dirijo uma mensagem de fé ao meu Eu Superior, pedindo orientação, em ritmo acelerado, de um projecto muito importante que estou mentalizando e para o qual já estou trabalhando com dedicação e amor.



Agradeço de todo o coração, a todas as pessoas que me ajudaram e comprometo-me a retribuir trabalhando para o meu bem e do próximo, actuando como agente catalisador do entusiasmo, prosperidade e auto- realização.



Tudo farei em harmonia com as leis da natureza e com a permissão do nosso Criador, eterno, infinito, indescritível que eu, intuitivamente, sinto como o único poder real, actuante dentro e fora de mim.



Assim seja,

Assim é

E Assim será."

Rally de Merzouga 2ª Etapa - 184km 06-11-2012

sábado, 17 de novembro de 2012

A lenda do cavaleiro sem cabeça




A lenda do cavaleiro sem cabeça (Sleepy Hollow)
1999

Directed by Tim Burton

Johnny Depp - Ichabod Crane



Em 1799, uma série de crimes envolvendo inocentes acontece na pequena vila de Sleepy Hollow. Para investigar o caso é chamado o detective nova-iorquino Ichabod Crane (Johnny Depp), um excêntrico e determinado oficial de polícia com um jeito avant-garde de solucionar crimes.
Os métodos investigativos de Ichabod serão postos à prova neste caso, que envolve um ser sobrenatural que pode ser o causador de todos os crimes.

Carros TESLA


Video streaming by Ustream

O Amor



"O amor é uma flor rara.
Ele só acontece às vezes.
Milhões e milhões de pessoas vivem na falsa atitude de que amam.
Elas acreditam que amam, mas isso é só uma crença.
O amor é uma flor rara.
Às vezes ele acontece.
É raro porque só pode acontecer quando não existe medo, nunca antes disso. Isso significa que o amor só pode acontecer a uma pessoa profundamente espiritualizada, religiosa.
O sexo é possível para todos.
A familiaridade é possível para todos.
Não o amor.

Quando você não tem medo, não há o que esconder; então você pode se abrir, pode pôr abaixo todas as fronteiras.
E então pode convidar o outro a tocar a sua essência.
E lembre-se, se você deixa que alguém o toque profundamente, o outro também deixará que você o toque, pois, quando deixa que alguém o toque, você inspira confiança.
Quando você não tem medo, o medo da outra pessoa também desaparece.
No amor de vocês, o medo está sempre presente.
O marido teme a mulher, a mulher teme o marido.
As pessoas que se amam sempre têm medo uma da outra.
 Então não é amor.
É só um arranjo entre duas pessoas medrosas, que dependem uma da outra, brigam, exploram-se, manipulam, controlam, dominam, possuem uma a outra — mas não é amor.

Se você conseguir deixar que o amor aconteça, não precisará de prece, não precisará de meditação, não precisará de igreja nenhuma, de templo nenhum.
Se amar, você pode se esquecer completamente de Deus — porque, por meio do amor, tudo terá acontecido a você: meditação, prece, existência, tudo terá acontecido a você.
É isso que Jesus quis dizer quando falou que Deus é amor.
Mas o amor é difícil.
O medo tem que ser superado.
E é isto que é estranho, vocês têm tanto medo e, ao mesmo tempo, não têm nada a perder."

Osho

Everything is mysterious



Everything is mysterious: 
it is better to enjoy it rather than 
trying to understand it. 

Ultimately the man who goes on 
trying to understand life proves to be a fool, 
and the man who enjoys life becomes wise, 
because he becomes more and more aware of 
the mystery that surrounds him. 

The greatest understanding is to know that 
nothing can be understood, 
that all is mysterious and miraculous. 

To me this is the beginning of religion in your life. 

Osho

In a manner of speaking - Nouvelle Vague

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Mitakuye Oyasin



O verdadeiro resgate ancestral é a redescoberta da essência espiritual e eterna que está presente em todos nós.

Mitakuye Oyasin significa: 
"Por todas as nossas relações!".

Esta oração Lakota Sioux honra todas as conexões existentes na teia da vida - tudo o que existe.
Todas, sem exceção.
Isso é muito abrangente...
Estão inseridas as pessoas do nosso convívio, todos aqueles que cruzaram e cruzam o nosso caminho com os seus ensinamentos, sejam eles quais forem...
Aqueles que vieram antes de nós.
Aqueles que virão depois de nós.
Honra os nossos guias, toda a Mãe Natureza, o Grande Espírito.

A espiritualidade xamânica assenta num principio básico: sentir, apenas...

Ayni



O Princípio da Ayni

"Ayni" é o princípio de viver em relação de reciprocidade e harmonia com toda a vida.
Ayni é o código central do povo Q'ero e o princípio de raiz dos valores andinos.
Ayni é uma palavra quechua que significa reciprocidade sagrada e intercâmbio de bondade, do conhecimento, e dos frutos do trabalho entre os indivíduos, entre os seres humanos e o meio ambiente e entre os humanos e os espíritos da natureza, considerando-se assim uma colaboração sagrada.

Ayni também implica respeito pela vida. Isso implica o reconhecimento consciente e voluntário da interligação entre os seres humanos e o mundo natural que os sustenta. Tradicionalmente, este reconhecimento é feito em rituais conhecidos por cerimónias Despacho e assume a forma de oferendas feitas a Pachamama, aos Apus (espíritos da montanha), aos Awikuna (espíritos da natureza), ao Qhaqya (o espírito do trovão). Para o povo Q’ero a Terra não é apenas o nosso mundo, mas é compartilhada por todas as coisas visíveis e invisíveis. Quando devolvemos o bem que vem até nós e mostramos respeito, sem julgar o doador ou o que é recebido, essa postura assume-se em benevolência na sua forma mais elevada. Desta forma, e Munay e Ayni estão interligados.

Ayni começa com uma colaboração entre o seu próprio coração e a sua própria mente...para que o coração e a mente começem a dançar e assim estender esse sentir ao mundo e estabelecer, assim, o Ayni com outros seres humanos, com PachaMama e todos os seres na terra.

Esta é a grande oportunidade deste tempo, deste “pachakuti”.
Esta é a mensagem do povo Q'ero. Ayni é uma forma de vida para todos.
Ayni traz Munay: Amor



p.s.- Ayni ( Quechua , também escrito Ayniy ou Aini ) é uma forma tradicional de ajuda mútua praticada em comunidades indígenas( ayllu ) na Cordilheira dos Andes . Ayni significa bom relacionamento.
Membro de uma comunidade ajudar outro membro para fins privados, quando o apoio é necessário, por exemplo, na construção de casas ou trabalhos agrícolas.
Depois, quando necessário, a família que tem apoio vai participar de outro ayni e trabalhar para apoiar os outros.
Os participantes são fornecidos com comida e bebida pela família de hospedagem.
Ayni ainda é praticada em comunidades tradicionais no Peru , Equador e Bolívia , principalmente entre os Quechuas e pessoas Aymara .

Adoro este Homem!!!!

O Caminho do Meio



“ Buda nos ensinou o caminho do meio; a não sermos muito rígidos, nem muito relaxados; a não ir nem a um extremo, nem a outro.
Trilhar o caminho do meio faz surgir condições que conduzem ao estudo e prática, bem como ao sucesso em colocar um fim ao sofrimento.
A expressão 'caminho do meio' pode ser aplicada genericamente em muitas situações variadas.
Não é possível você se enganar.
O caminho do meio consiste em seguir o meio dourado.
Conhecer as causas, conhecer os efeitos, conhecer a si mesmo, conhecer quanto é suficiente, conhecer o tempo apropriado, conhecer os indivíduos, conhecer os grupos de pessoas: estas sete nobres virtudes constituem o caminho do meio ".

Achaan Budadasa

Zazen



" Zazen literalmente significa Sentar Zen. Zen é uma palavra que vem do Sânscrito Dhyana ou Jhana e significa um estado meditativo profundo. Geralmente não chamamos o Zazen de meditação, pois o verbo meditar é transitivo direto, ou seja, requer um objeto. Meditar sobre a vida, meditar algo. Enquanto que o Zen é intransitivo. Não há objeto de meditação. Até o sujeito desaparece. E quando isso acontece o Caminho se manifesta em sua plenitude.
Um momento de zazen é um momento de Buda.
Entre tarefas, em momentos de stress no trabalho, nos estudos, entre amigos e desafetos, em casa, no trânsito, lembre-se apenas de endireitar a coluna e respirar conscientemente. Perceba suas emoções e batimentos cardíacos. Relaxe, sorria. Tudo é passageiro. Aprenda a estar presente no instante e a agir da maneira correta a transformar o que náo for de seu agrado. Lembre-se: apenas reagir não transforma.
Assim, use o Zazen para o seu bem e de todos os seres. Pois afinal, se se entregar ao Zazen de corpo e mente verificará que é o Zazen que faz zazen… Zazen zazen zazen."

Monja Coen Roshi

Os lambe-cus



"Noto com desagrado que se tem desenvolvido muito em Portugal uma modalidade desportiva que julgara ter caído em desuso depois da revolução de Abril.
Situa-se na área da ginástica corporal e envolve complexos exercícios contorcionistas em que cada jogador procura, por todos os meios ao seu alcance, correr e prostrar-se de forma a lamber o cu de um jogador mais poderoso do que ele.
Este cu pode ser o cu de um superior hierárquico, de um ministro, de um agente da polícia ou de um artista.
O objectivo do jogo é identificá-los, lambê-los e recolher os respectivos prémios.
Os prémios podem ser em dinheiro, em promoção profissional ou em permuta.
À medida que vai lambendo os cus, vai ascendendo ou descendendo na hierarquia.
Antes do 25 de Abril esta modalidade era mais rudimentar. Era praticada por amadores, muitos em idade escolar, e conhecida prosaicamente como «engraxanço».
Os chefes de repartição engraxavam os chefes de serviço, os alunos engraxavam os professores,os jornalistas engraxavam os ministros, as donas de casa engraxavam os médicos da caixa, etc... Mesmo assim, eram raros os portugueses com feitio para passar graxa. Havia poucos engraxadores. Diga-se porém, em abono da verdade, que os poucos que havia engraxavam imenso.
Nesse tempo, «engraxar» era uma actividade socialmente menosprezada. O menino que engraxasse a professora tinha de enfrentar depois o escárnio da turma. O colunista que tecesse um grande elogio ao Presidente do Conselho era ostracizado pelos colegas. Ninguém gostava de um engraxador.

Hoje tudo isso mudou. O engraxanço evoluiu ao ponto de tornar-se irreconhecível. Foi-se subindo na escala de subserviência, dos sapatos até ao cu.
O engraxador foi promovido a lambe-botas e o lambe-botas a lambe-cu.
Não é preciso realçar a diferença, em termos de subordinação hierárquica e flexibilidade de movimentos, entre engraxar uns sapatos e lamber um cu.
Para fazer face à crescente popularidade do desporto, importaram-se dos Estados Unidos, campeão do mundo na modalidade, as regras e os estatutos da American Federation of Ass-licking and Brown-nosing.
Os praticantes portugueses puderam assim esquecer os tempos amadores do engraxanço e aperfeiçoarem-se no desenvolvimento profissional do Culambismo.

(...) Tudo isto teria graça se os culambistas portugueses fossem tão mal tratados e sucedidos como os engraxadores de outrora. O pior é que a nossa sociedade não só aceita o culambismo como forma prática de subir na vida, como começa a exigi-lo como habilitação profissional.
O culambismo compensa. Sobreviver sem um mínimo de conhecimentos de culambismo é hoje tão difícil como vencer na vida sem saber falar inglês."

Miguel Esteves Cardoso
in, "Último Volume"



Muitos anos se passaram desde que Miguel Esteves Cardoso fez a sua preciosa análise sobre o culambismo pátrio. Na altura não foi novidade, tal como hoje o não é. Os portugueses lambiam cus e sabiam-no muito bem. No entanto, e sendo certo que a prática corre nas nossas veiazinhas lusitanas, os métodos, como sempre, vão mudando. Hoje não se lambem cus como os cus se lambiam no passado. O culambismo já não se resume a uma discreta lambidela surripiada no momento propício. É agora feito abertamente, institucionalmente e em estangeiro e tudo. Para marcar a mudança, mudaram-lhe o nome para “Networking”.

O “Networking” é uma constante na vida universitária portuguesa. Literalmente, esta coisa estrangeira significa “criar rede”. Dito assim parece belo, civilizado, moderno mesmo. Visto em acção, o “Networking” resume-se a enfiar numa sala uma amálgama estranha de professores, empresários e ninfetos para que, com os necessários comes e bebes, os envolvidos relaxem e possam lançar-se na cardosiana lambidela. Todos sabem que vão para lá para isso e a nenhum a ideia incomoda. Chamam mesmo a televisão e a rádio e os jornais para que tudo se documente com detalhe.

O acto nojento que levava a posteriores higienizações cuidadas tornou-se banalidade incentivada. Não há hoje jovem que, guiado pelas vetustas instituições em que teve a sorte de ingressar, não veja nestas “criações de rede” a grande forma de um dia se tornar respeitável.
Eu sou da geração em que lamber cus não é osso do ofício; é profissão.

O LAMBE-BOTAS É O VISCO DA SOCIEDADE



Há duas espécies de lambe-botas.
É tempo de – Deus nos livre – as conhecer melhor.

O lambe-botas pegajoso é o lambe-botas dos pequenos.
O lambe-botas que vai subindo a escadaria da sociedade de língua de fora. O lambe-botas que não se importa de perseguir, até à exaustão, quem tem as botas que ele, um dia, quer calçar. Nem que saiba, e está farto de o saber, que as botas não lhe servem. Mas até isso, um par de botas que não lhe servem, lhe serve. O lambe-botas pegajoso consegue o que quer por desistência alheia – tanto mói que conquista.
É um maratonista: um corredor de fundo. E é essa, no fundo, a sua única forma de sobrevivência.

O lambe-botas seboso, por seu turno, é bem diferente.
Sabe que não vale nada. E é isso o que, na verdade, lhe vale. Lambe sem olhar a quem, lambe por todo o lado e a toda a hora. E é capaz de, depois, colher dividendos disso mesmo. Como sebo na pele, conhece intimamente tudo o que vai acontecendo: sabe cada truque, cada artimanha, cada esquema daqueles a quem já, um dia, lambeu botas. E sabe, também, que eles sabem que ele sabe como pode rentabilizar isso a seu favor. O lambe-botas seboso sabe demais. E sabe demais de muitos mais. E é por isso que acaba por ter quase todos os demais na mão. O lambe-botas seboso cheira mal, toda a gente sabe que cheira mal. Ninguém gosta, na verdade, do lambe-botas seboso. Mas ninguém consegue, na verdade, parar de lhe arranjar botas para calçar.
Quem tem botas, já se sabe, tem medo.

E tu: que número calças?

Pedro Chagas Freitas
in "SÓ OS FEIOS É QUE SÃO FIÉIS"



p.s.- Gostaria de mostrar vários dedos do meio aos hipócritas. Aos mentirosos. A quem se leva demasiado a sério. A quem tira prazer do mal dos outros. A quem gosta de lixar a vida aos outros. Aos infelizes que tornam a vida dos outros miserável. Aos lambe-botas. Aos cínicos. Aos aproveitadores da desgraça alheia. Aos falsos defensores da moral e dos bons costumes. Aos ratos de sacristia. Aos graxistas. Aos gananciosos. Aos sem-escrúpulos. Aos abusadores. Aos falhados. Aos despeitados. Aos pobres de espírito. Aos degenerados. Aos estúpidos. Aos que se fazem cegos, surdos e mudos. Aos ignorantes.
A todos eles, ergo os meus dedos do meio. E ergueria mais, se mais dedos do meio tivesse!

Esclarecimento: ergo os meus dedos do meio tanto a homens como a mulheres.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Cibelle - Train station



Cibelle é uma artista performática multimídia, cantora, compositora e produtora musical. O estilo musical de Cibelle é difícil de classificar; ela tem classificado suas composições como um estilo próprio denominado de “Tropical Punk”.

Cibelle Cavalli nasceu em São Paulo em 2 de Janeiro de 1978, hoje vive em Londres.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

AMORES PROIBIDOS



Onde está quem amamos quando amamos
outro corpo de fogo em movimento?
Para que abismo corremos, para que enganos,
quando as promessas são poeira ao vento?

De que matéria alheia mal tentamos
fugir quando a verdade mora dentro
de alguém a cujo céu nos entregamos
numa noite de sonho e de tormento?

Ainda somos humanos se traímos
por instinto um amor de tantos anos
e só àquele instante obedecemos?

Ainda somos humanos? Ou seremos
a febre que há no sangue quando vimos
de súbito morrer num corpo e vamos
em busca do inferno que merecemos?

Talvez por um momento então sejamos
sonâmbulos fantasmas do que fomos
reflectidos num espelho que não vemos

Ou talvez nesse corpo descubramos
a memória da alma que perdemos
para sempre no momento em que transpomos
a fronteira dos gestos quotidianos
e ao sabor de um desejo destruímos
todas as intenções, todos os planos,
em nome dos prazeres mais supremos
na noite em que deixamos de ser donos
do nosso próprio corpo e abandonamos
angústias e remorsos e partimos
em busca da manhã que não sabemos

Onde está quem amamos quando somos
mais do que humanos? Mais? Ou muito menos?




FERNANDO PINTO DO AMARAL, 
in, POEMAS ESCOLHIDOS 
(1990-2007)
(em memória de David Mourão-Ferreira)

Soundgarden - Black Hole Sun

.............e de novo a armadilha dos abraços



E de novo a armadilha dos abraços.
E de novo o enredo das delícias.
O rouco da garganta, os pés descalços
a pele alucinada de carícias.
As preces, os segredos, as risadas
no altar esplendoroso das ofertas.
De novo beijo a beijo as madrugadas
de novo seio a seio as descobertas.
Alcandorada no teu corpo imenso
teço um colar de gritos e silêncios
a ecoar no som dos precipícios.
E tudo o que me dás eu te devolvo.
E fazemos de novo, sempre novo
o amor total dos deuses e dos bichos.

Rosa Lobato Faria