sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Feliz Samhain!



Hoje é uma Noite Sagrada!

"Samhain ( pronuncia-se Sou-ein), festejado em 31 de Outubro no hemisfério Norte, e a 1 de Maio no hemisfério Sul, é o Ano-Novo dos Bruxos.
Esse dia sagrado é conhecido por inúmeros nomes.
Para muitos, talvez, o mais conhecido seja Halloween.
Para nós, Bruxos, é a festa na qual honramos nossos ancestrais e aqueles que já tenham partido para o País de Verão.
Esta é a noite em que o véu que separa o mundo material do mundo espiritual se encontra mais fino e o contacto com os nossos ancestrais se torna mais fácil.

É também o momento tradicional para celebrar a última das colheitas e preparar-se para o Verão.
O poder de magia pode ser sentido no ar, nessa noite.

O Outro Mundo se coaduna com o nosso conforme a luz do Sol baixa e o crepúsculo chega.
Os espíritos daqueles que já partiram para o outro plano são mais acessíveis durante a noite de Samhain.

Samhain ocorre no pico do Outono.
É o tempo do ano em que o frio cresce e a morte vaga pela Terra.
O Sol está enfraquecendo cada vez mais rapidamente, a sombra cresce e as folhas das árvores estão caindo, numa preparação ao Inverno que chegará.
Essa é a última colheita, o tempo em que os antigos povos da Europa sacrificavam seus gados e preservavam sua carne para o Inverno, pois esses animais não podiam sobreviver em grande escala nesse período do ano devido ao frio vindouro.
Só uma pequena parte, os mais viris e fortes, era mantida para o ano seguinte.
Samhain é a noite em que o Velho Rei morre e a Deusa Anciã lamenta sua ausência nas próximas seis semanas.
O Sol está em seu ponto mais baixo no horizonte, de acordo com as medições feitas através das antigas pedras da Britânia e da Irlanda, razão pela qual os Celtas escolheram esse Sabbat, em vez de Yule, para representar o Ano-Novo.

Para os Antigos Celtas, esse dia sagrado dividida o ano em duas estações, Inverno e Verão.
Samhain era o dia no qual começavam o Ano-Novo celta e o Inverno, por isso era um tempo ideal para términos e começos.

É o dia ideal para honrar os mortos, pois nele os véus que separam os mundos estão mais finos.
Aqueles que morreram no ano passado e aqueles que estão reencarnando passam através dos véus e portais nesse dia.

Os Portões das Sidhe estão abertos e nem humanos nem fadas precisam de senhas para entrar e sair.
Em Samhain, o Deus finalmente morre, mas sua alma vive na criança não-nascida, a centelha de vida no ventre da Deusa. Isto simboliza a morte das plantas e a hibernação dos animais, o Deus torna-se então o Senhor da Morte e das Sombras.

Samhain é um festival do fogo e é a entrada para a parte sombria e fria da Roda do Ano.
É em Samhain que as fogueiras são acesas para que os espíritos do outro mundo possam encontrar os caminhos para partirem ao Outro Mundo (País de Verão).
Samhain é o tempo de lembrarmos com amor aqueles que partiram para o outro lado, por isso é chamado de a Festa Ancestral.
Toda a família, ou grupo, se reúne para reverenciar os que já partiram.

É muito comum nesse Sabbat se realizar uma ceia em silêncio, conectando-se com aqueles que já cruzaram os portais dos mundos.
É tradicional também deixar um lugar à mesa para os ancestrais e lhes servir pratos como se eles estivessem presentes à ceia.
Para aqueles que não têm família para festejar e celebrar seus ancestrais, alimentos geralmente são deixados do lado de fora de casa, na porta de entrada, em homenagem aos familiares e amigos desencarnados.
É também tradicional deixar uma vela acesa na janela da casa para ajudar a guiar os espíritos ao longo de sua caminhada ao nosso mundo para que possam encontrar o caminho de volta.

De acordo com os antigos celtas, havia apenas duas divisões do ano que iam de Beltane a Samhain (Verão) e de Samhain a Beltane (Inverno).
Samhain é um dos quatro grandes Sabbats e muitas vezes é considerado o Grande Sabbat.
Por ser o maior de todos e o mais importante também, todos os Pagãos consideram Samhain como a noite mais mágica do ano.
Muitas práticas adivinhatórias foram associadas a Samhain, as mais comuns eram aquelas que prenunciavam casamentos e fortunas para o próximo ano que estava se iniciando.

Uma das tradições mais comuns praticadas pelos povos antigos era a de colocar várias maçãs em um grande barril de água. Várias mulheres se reuniam em volta do barril, e a primeira que conseguisse pegar uma das maçãs seria a primeira a casar no próximo ano.
Na Escócia, colocavam-se pedras entre as cinzas da lareira, deixando-as "descansar" durante a noite. Se alguma pedra fosse descoberta durante a noite, representaria a morte iminente durante o próximo ano de um dos moradores da residência.



Sem sombra de dúvida a prática mais famosa do Samhain é o Jack O'Lantern (máscaras de abóboras), que sobrevive até hoje nas modernas celebrações do Halloween.
Vários historiadores atribuem suas origens aos escoceses, enquanto outros lhe conferem origem irlandesa. As máscaras eram utilizadas por pessoas que precisavam sair durante a noite de Samhain. As sombras provocadas pela face esculpida na abóbora tinham a virtude de afastar os maus espíritos e todos os seres do outro mundo que vinham para perturbar. Máscaras de abóboras também eram colocadas nos batentes das janelas e em frente à porta de entrada para proteger toda a casa. 

O costume norte-americano de vestir-se com trajes típicos e sair pelas casas dizendo Trick or Treating, nas noites de Halloween, é de origem céltica.
Nos tempos antigos, o costume não era relegado às crianças, mas sim aos adultos.
Em tempos ancestrais, os vagantes iam cantando cânticos da época de casa em casa e eram presenteados com agrados pelo seus habitantes.
O Treat (presente) também era requerido pelos espíritos ancestrais nessa noite através de oferendas.
O Deus neste período é identificado com os animais que eram sacrificados para continuidade da vida.
Samhain é um tempo para a reflexão, no qual olhamos para o ano mágico que passou e estabelecemos as metas para nossa vida no ano que entra.

Tomar resoluções para serem colocadas em prática no próximo ano que se inicia.
Queima de pedidos.
Confeccionar um Jack O'Lantern.
Fazer oferendas de maçãs e pães no jardim dos ancestrais.
Adivinhação através do Tarô, das Runas, da bola de cristal, da vidência em espelho negro e caldeirões com água.
Fazer máscaras que expressem a sua sombra.
Confeccionar vassouras.
Confeccionar um Bastão Mágico.
Confeccionar uma Witch's Cord (Corda de Bruxa) para protecção durante o decorrer do ano.
Acender uma vela laranja à meia-noite para atrair sorte no ano que se inicia.
Erigir um Altar com a foto de seus ancestrais amados e colocar oferendas sobre ele, demonstrando seu agradecimento e reconhecimento pelos feitos deles na Terra.
Comidas e Bebidas Sagradas: maçã, romã, nozes, cidra, vinho quente, abóbora, chá de ervas, batata.

Queima de pedidos é um dos rituais tradicionais de Samhain. 
Nele banimos tudo o que tivemos de negativo e pedimos o que queremos atrair de positivo para o ano mágico que se inicia.
Para isso você vai precisar de:
Dois pedaços de papel em branco;
Um lápis;
Álcool de cereais; Folhas de louro;
Seu Caldeirão.
Num dos papéis escreva tudo aquilo que você quer afastar de sua vida: obstáculos, doenças, pessoas indesejadas, dificuldades, etc.
No outro escreva tudo aquilo que você quer atrair para a sua vida: saúde, prosperidade, amor, sucesso, etc.
Seja bem específico em seus pedidos e não se esqueça de no final assinar e colocar a seguinte frase: Que tudo isso seja correto e para o bem de todos.
Coloque um pouco de álcool no seu Caldeirão, acenda-o e jogue o primeiro papel, aquele que contém as coisas que você quer afastar, no fogo.
Enquanto o papel queima, mentalize o mal sendo afastado.
Peça à Deusa e ao Deus que todas as forças negativas sejam anuladas e que o mal seja banido.
Espere o fogo acabar, então coloque um pouco mais de álcool no Caldeirão, tomando o devido cuidado, pois o álcool quando colocado em um recipiente quente evapora e pode entrar em combustão espontaneamente. Jogue então o segundo papel, aquele que contém as coisas que você quer atrair para a sua vida, no fogo. Coloque as folhas de louro nas chamas, sempre mentalizando as boas coisas que você quer atrair para a sua vida.
Quando o fogo acabar, concentre-se na fumaça, provocada pelas folhas, subindo os céus, e peça que seus pedidos se elevem ao mundo dos Deuses.

A confecção do Jack O'Lantern é uma atividade tradicional desse Sabbat.
Eles enfeitam toda a nossa casa no decorrer do dia, além de servirem de ornamentação indispensável para a cerimônia de Sabbat.
Coloque um Jack do lado de fora de sua casa na noite de Samhain para afastar os maus espíritos e visitas indesejadas de outros planos.
Para confeccionar um Jack você vai precisar de:
· Uma abóbora ou moranga;
· Uma faca;
· Uma vela branca;
· Um óleo essencial de patchuli.
Faça uma tampa na parte superior da abóbora, retire suas sementes e com a faca entalhe uma face na abóbora da forma que você achar melhor.
Unja a vela branca com a essência de patchuli e coloque-a dentro da abóbora.
Acenda a vela dizendo:
Com esta vela, por esta luz e pela brisa que vem do além
Eu dou as boas-vindas aos espíritos nesta noite de Samhain.



Trançar uma Corda de Bruxa (Witch's Cord) é um ato tradicional na noite do Samhain.
Elas simbolizam o cordão que liga todos nós ao Outro Mundo, além de serem uma representação simbólica do cordão umbilical que traz todos à vida terrestre.
A Corda de Bruxa é confeccionada utilizando cores apropriadas que simbolizem aquilo que você quer atrair para sua vida no ano mágico que se inicia.
Por isso escolher a cor correta para confeccionar sua Corda de Bruxa é essencial:
Branco: Para harmonia.
Vermelho: Para afastar os inimigos, vencer os obstáculos, atrair garra e coragem.
Laranja: Para sucesso e prosperidade.
Rosa: Para atrair amor.
Preto: Para proteção e afastar o azar.
Verde: Para abundância.
Amarelo: Para atrair saúde e ter sorte no comércio.
Caso sua necessidade seja maior do que apenas uma cor pode lhe oferecer, você poderá escolher até três cores diferentes que representem os seus desejos para o próximo ano.
Pegue três barbantes na cor ou cores escolhidas e corte-os na medida de sua altura.
Então comece a trançar os barbantes, sempre mentalizando aquilo que você quer atrair para a sua vida, pedindo que a Deusa e que o Deus lhe auxiliem e abençoem a corda que você está trançando.
Quando tiver terminado, costure ou cole alguns símbolos no decorrer da corda que representem o seu objetivo.
Por exemplo: corações para amor; moedas para prosperidade, etc.
Coloque a sua Corda sobre o seu Altar durante a celebração do Sabbat e consagre-a durante a cerimônia.
Pendure a sua Corda de Bruxa em um lugar de sua casa e, sempre que visualizá-la, lembre-se dos objetivos que o motivaram a confeccioná-la.
Assim sua vontade será ativada."


Astrid Annabelle


quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Torus



The Torus is the most foundational pattern of energy flow in the universe:
protons, the human body's energy field, the Earth's magnetic field, the galaxy and more than likely, the entire universe are all tori...

Nassim Haramein added torque and Coriolis forces to Albert Einstein's field equations which led to a model describing black holes as having a Torus structure rather than one generally described as simply being more "funnel-like".                      


   

Neste segundo vídeo, Nassim explica a relação que existe entre a Física Quântica e a Espiritualidade:

Albert Einstein com a sua Teoria do Campo Unificado, procura unificar as forças do electromagnetismo e da gravidade, no entanto Einstein foi incapaz de completar essa teoria durante a sua vida.

Nassim Haramein deu continuidade a esta Teoria e traçou as fundações para a sua conclusão.
As suas soluções para as Equações do Campo de Einstein, que descrevem as propriedades de um Campo Gravitacional em torno de uma determinada massa, incorpora os conceitos do Torque ou Spin (espiral) e o Efeito Coriolis, ou Deflexão lateral de um objecto movendo na superfície de um corpo em rotação causado pela rotação do corpo, para produzir a sua TEORIA DO CAMPO UNIFICADO.

Em 2003 ele fundou uma Organização sem Fins Lucrativos, a Fundação Projecto de Ressonância, no Havai EUA.
É dedicada à Unificação de todas as ciências e filosofias que emergem de uma vista completa e aplicada da Física, fundamentando as conexões de engrenagem da natureza.

No centro do Conceito de Universo, para Nassim, está a Ideia do Vácuo, ou Espaço, com o qual interagimos e criamos a nossa realidade.
Nesse Modelo, cada átomo, incluindo aqueles de que somos compostos, é um buraco negro que absorve informação do Vácuo e também irradia informação para ele, como um buraco branco, ou um buraco negro operando de forma reversa.

Como diz Nassim Haramein, " O Vácuo também se pode chamar de Deus. Está em todo o lado, conhece tudo, pode ser encontrado em qualquer lugar, conhece todos os idiomas, ele se auto-organiza e organiza tudo. Isto é Deus."

Pode o Poder do Vácuo ser aplicado para lidar com assuntos urgentes como a mudança climatérica?
Segundo ele,
"Se quisermos entender esta nova física, precisamos compreender que um átomo é um Mini Buraco Negro, que é constantemente alimentado pelo Vácuo.
É por isso que os electrões giram por bilhões de anos sem energia aparente, e assim começamos a compreender os mecanismos da fundação da criação. Basta olhar para a densidade do Vácuo que é de 10 a 93 gramas por centímetro cúbico. Explicando melhor, se olharmos para todas as estrelas do nosso Universo há entre 100 a 300 bilhões de estrelas na nossa Galáxia, e há bilhões de galáxias, e eu peguei em tudo isto e coloquei tudo no espaço de 1 centímetro cúbico. A densidade desse centímetro cúbico seria de 10 a 55 grs por cm cúbico. Isto é 39 vezes menos do que a densidade do vácuo.
Sabemos que ele está lá. Por isso, se formos extrair um bilionésimo, de um bilionésimo, de um bilionésimo da percentagem que está lá, teríamos energia suficiente para manter todo o nosso planeta. Não haveria poluição, não haveria emissões de carbono, e haveria uma quantidade Enorme de energia para todos os que precisassem em qualquer lugar - em qualquer lugar do nosso Planeta, em qualquer parte do nosso Universo."

Nassim acredita que se aproxima a altura em que a ciência irá compreender de vez como o Universo funciona.
Ele diz que "temos de compreender esta força fundamental que é a Gravidade e a estrutura do Vácuo. Estamos muito próximos disso. Eu acredito que é eminente. que não é daqui a 20 gerações. Eu acho que ainda vamos ver esta mudança na nossa geração, nos próximos 10 anos."

As viagens Interplanetárias não serão mais um sonho quando esta Nova era da Ciência chegar.
Ele diz que " dentro de 20 anos, mais ou menos, as pessoas poderão entrar numa nave e ir visitar Júpiter de fim-de-semana, porque nessa altura já sabemos como usar os Campos Gravitacionais, e saberemos mover-nos com o Universo, em vez de lutar contra ele. E isto é muito importante para evolução humana, para transcender os recursos limitados que temos no nosso planeta."

Dizem que a Geometria Sagrada é expressão visual do Universo.
Por exemplo, a famosa "Flor da Vida" que foi talhada em muitos Templos e Lugares Sagrados espalhados pelo planeta.
Outra expressão visual do Universo é o formato do Torus Duplo que vemos em padrões climáticos na Terra.

Nassim diz que, "Muitos Mestres, que conseguem atingir aquele ponto de quietude, o ponto de Singularidade no Centro da sua Existência, testemunham o fundamento principal geométrico da Criação. O Torus Duplo de que falamos é o funcionamento do Espaço e do Tempo, mas quando se chega ao ponto zero,  onde ele vai para a Singularidade, onde a absoluta quietude está presente, aí a geometria passa por uma quantidade mínima de vectores de estabilidade, a mínima quantidade de vectores para o Equilíbrio Absoluto. Ele procura pelo Equilíbrio Absoluto. 
E ele irá para onde é infinitamente frio. Então, ele minimiza os vectores. É como uma gota de água que se arrefece e vai para vectores completamente diferentes, cheios de geometria de quatro lados(os cristais) geometrias hexagonais  que fazem o floco de neve.
Na minha Equação, o que eu demonstro é que o Torus Duplo é o resultado deste cubo octogonal, este arranjo tetraédrico, fazendo torque e produzindo o Spin, a Espiral. Mas no Centro desta Espiral está a Quietude. É como a visão a 3D da Estrela de David, uma estrela de seis pontas 3D, que podemos encontrar no Coração de Buda, na Tradição Judaica."

Ele diz mais:
Diz que a Espiritualidade é a Física que ainda não compreendemos!

A água é a fonte da vida na Terra e é sagrada.
Um recém nascido é composto por 75% de água.
Ou seja, nós os humanos estamos fortemente conectados com a água.
A geometria de 4 pontas ou de 6 pontas é fundamental para a estrutura do Espaço e do Tempo.
E na realidade, esta geometria combina com geometria da estrutura da água.
E é por isto que toda a Vida emerge da água.
Porque a informação vai da Estrutura do Espaço para a molécula da água, e depois a molécula produz a organização biológica da nossa biosfera.
Muitos pesquisadores  procuram a semente da consciência no cérebro.
Eles esquecem-se que o nosso cérebro é composto por 90% de água e apenas 10% de massa cinzenta.
Eles procuram apenas na massa cinzenta mas o facto é que, se removermos a massa cinzenta, continuamos a ter consciência.
Por exemplo, há pessoas que nascem com pouquíssima massa cinzenta nos seus cérebros, em que a maior parte é água, e funcionam normalmente.
No entanto, se remover a água do cérebro, morres.

A Meditação conecta o Indivíduo com o Universo e com o "Deus Supremo", o UM é mencionado em muitas tradições religiosas e espirituais.
A meditação acontece quando estamos no nosso estado desperto, em que nos conectamos com a nossa parte interna que irá para a Singularidade.
Este sentido de Centro, é como um Eixo de Espiral do nosso corpo.
Ele é representado pela tradição Védica, Budista, como um Vortéx que entra numa coroa (chacras) e a Espiral Kundalini vai subindo, e os chakras são oitavas em cada nível.
Então, o terceiro olho, a garganta, o coração, a aura, o chakra sexual e a base, são todos partes das oitavas desta Espiral que se encontram no chakra do coração.
Desta forma, agora é possível começar a descrever alguns dos conhecimentos esotéricos em termos da física, e a física da Criação, a Física que faz tudo acontecer.

Ele acredita que quando conseguirmos comunicar com o vácuo, receberemos resposta , e aí criaremos a nossa realidade.
Então, como é que a Lei do Karma encaixa neste modelo?
A Lei do Karma é precisamente este feedback fundamental da Lei da Criação!
Se mandarmos pensamentos negativos para o vácuo, para o campo, é muito provável que coisas negativas venham a acontecer connosco, e ao ambiente ao nosso redor.
Nós temos essa escolha.
Nós podemos começar a harmonizarmo-nos com a Natureza, dar mais informação positiva para o vácuo. Aí acontecerá a sincronicidade (Sincronicidade é um conceito desenvolvido por Carl Gustav Jung para definir acontecimentos que se relacionam, não por relação causal e sim por relação de significado. Desta forma, é necessário que consideremos os eventos sincronísticos não  relacionados com o princípio da causalidade, mas por terem um significado igual ou semelhante. A sincronicidade é também referida por Jung de "coincidência significativa") na nossa vida e irá apoiar mais o nosso Caminho.
E isto tornar-se-á mais aparente a cada passo que dermos em frente.

Para chegarmos ao nosso Verdadeiro Potencial, temos de nos voltar para Dentro.
O importante é sabermos que temos um potencial infinito dentro de nós, não só a nível espiritual, mas também na nossa existência material.
Todos os átomos de que somos feitos, são quantidades infinitas de informação, quantidades infinitas de conhecimento que já estão presentes em nós quando nascemos.
Nós podemos ter acesso a essa informação, se tirarmos um bocadinho de tempo por dia para ficarmos sozinhos, na tranquilidade da solidão, e virarmos a nossa atenção para dentro de nós, para a nossa Singularidade, para aquele ponto de quietude que existe dentro de nós.
Tudo o que nos permita virar os nossos sentidos para dentro, ao invés de estar virado para o exterior, tirar um tempo para Centrar-se, e só assim se chega cada vez mais perto dessa Singularidade Interior, e conectar-se com a infinita natureza da sua Existência, com a infinita natureza do Espaço ao redor de nós e com a Sabedoria que já existe em nós, que está dentro de nós.
E quando isso acontecer, o nosso Dharma, ou seja a nossa Missão, vai-se revelar para nós de uma forma muito clara e bela.
Porque TODOS temos um Dharma.
Todos temos uma MISSÃO.
Todos temos algo para fazer aqui, e ter consciência disso é muito importante.




Na química, na física e na linguagem quotidiana, o vácuo é a ausência de matéria numa certa região do espaço.

O vácuo está em tudo, em todo o lado.
O vácuo é Deus.

Que o Vácuo esteja com vocês!!!





Our thoughts and emotions affect the heart’s magnetic field, which energetically affects those in our environment whether or not we are conscious of it.

As Horas



“Encarar a vida pela frente… Sempre. 
Encarar a vida pela frente, e vê-la como ela é. 
Por fim entendê-la e amá-la pelo que ela é. 
E depois deixá-la seguir… 
Sempre os anos entre nós, sempre os anos… 
Sempre o amor. 
Sempre a razão. 
Sempre o tempo… 
Sempre… As horas.” 

 - Virginia Woolf -

Singularidade gravitacional



Uma singularidade gravitacional (algumas vezes chamada singularidade espaço-tempo) é, aproximadamente, um ponto do espaço-tempo no qual a massa, associada com sua densidade, e a curvatura do espaço-tempo (associado ao campo gravitacional) de um corpo são infinitas. Mais precisamente, uma geodésica espaço-tempo que contenha uma singularidade não pode ser tratada de uma maneira diferencial contínua. O limite matemático de tal geodésica é a singularidade.

Os dois mais importantes tipos de singularidades são singularidades de curvatura e singularidades cónicas. 
Singularidades podem ser divididas ainda a se elas estão ligadas a um horizonte de eventos ou não ("singularidades nuas").
De acordo com a relatividade geral, o estado inicial do universo, no início do Big Bang, seria uma singularidade, ou um ponto isolado no espaço.

Outro tipo de singularidade previsto pela relatividade geral seria um buraco negro: certas estrelas, após acabar o seu combustível necessário para a fusão nuclear, entram em colapso gravitacional, desabando sua massa em direcção ao seu centro, formando além de determinado ponto de densidade um buraco negro, dentro do qual existiria uma singularidade (coberto com um horizonte de eventos), para onde toda a matéria próxima fluiria.
Estas singularidades são singularidades de curvatura.

As singularidades são importantes porque sua existência supõe uma falha ou interrupção das predições da teoria da relatividade geral. Tanto a descrição do espaço-tempo como da matéria feita pela teoria da relatividade não podem ser corretas próximo de uma singularidade. Inclusive algumas teorias alternativas à relatividade geral como a teoria relativista da gravitação não conduzem ao surgimento de singularidades.

Geometricamente as singularidades podem ser:

Hipersuperfícies abertas: este tipo de singularidade pode ser encontrado em buracos negros que não tenham conservado o momento angular, como é o caso de um buraco negro de Schwarzschild ou um buraco negro de Reissner-Nordstrom.

Hipersuperfícies fechadas: como a singularidade toroidal ou em forma de anel, que normalmente faz sua aparição em buracos negros que tenham conservado seu momento angular, como pode ser o caso de um buraco negro de Kerr ou um buraco negro de Kerr-Newman, aqui a matéria, devido ao giro, deixa um espaço no meio formando uma estrutura parecida à de uma "rosquinha".

Segundo seu carácter as singularidades podem ser:

Singularidades espaciais, como a que se encontra em um buraco negro de Schwarzschild em que uma partícula deixa de existir por certo instante de tempo; dependendo de sua velocidade, as partículas rápidas tardam mais em alcançar a singularidade ainda que as mais lentas desapareçam antes. Este tipo de singularidade é inevitável, já que cedo ou tarde todas as partículas devem atravessar a hipersuperfície temporal singular.

Singularidades temporais, como a que se encontra em buracos negros de Reissner-Nordstrom, Kerr e Kerr-Newman. Por serem hipersuperfícies espaciais, uma partícula pode escapar delas e portanto trata-se de singularidades evitáveis.

Segundo a visibilidade para observadores assintoticamente inerciais separados da região de buraco negro estas podem ser:

Singularidades nuas: existem casos nos buracos negros onde devido a altas cargas ou velocidades de giro, a zona que rodeia a singularidade desaparece (em outras palavras o horizonte de eventos) deixando a esta visível no universo que conhecemos. Supõe-se que este caso seja proibido pela "regra do censor cósmico", que estabelece que toda singularidade deve estar separada do espaço.

Singularidades dentro de buracos negros.



De outro modo, a matéria se comprime até ocupar uma região inimaginavelmente pequena ou singular, cuja densidade em seu interior resulta infinita. Significa que tudo aquilo que cai dentro do horizonte de eventos é tragado, "devorado" por um ponto que poderíamos denominar "sem retorno", e isto é tão assim que nem a luz pode escapar deste fenómeno celeste.

Não pode escapar porque a força da gravidade é tão grande que nem sequer a luz viajando a 300 000 km/s o consegue, porque a enorme atracção afecta de tal modo a luz que os feixes luminosos emitidos se desviam de sua trajectória inclinando-se tanto em direcção à deformação que já não podem escapar. Neste caso, a velocidade de escape ou velocidade de fuga tornou-se maior em valor que a velocidade da luz. Segundo a teoria da relatividade de Einstein, como nada pode viajar a uma velocidade maior que a da luz no vácuo nada pode escapar.



Cada um de nós também tem o vácuo dentro de nós, que é o nosso Ser Divino Interior.
O Vácuo é Deus, é o divino que existe em tudo e em todos.
E assim sendo, todos temos a Singularidade dentro de nós.
E ao entrar em contacto com a nossa Singularidade, somos tragados para o nosso interior sem ponto de retorno.
Mas só nos conectamos com a nossa Singularidade Interior através da Meditação.

John Legend - All of Me

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

GEOENGENHARIA

Não vão na cantiga do Aquecimento Global...

PROGRAMA DE GESTÃO DA RADIAÇÃO SOLAR (GEOENGENHARIA) é o MESMO QUE CHEMTRAILS (Rastos Químicos).

Para quem não acredita e pensa que são apenas histórias de conspiração, eis a prova REAL de que Rastos químicos andam a ser libertados nos céus do planeta!

A Elite Mundial e os Cientistas (corruptos) agora vêm com a conversa de que é preciso libertar aerossóis no ar (como os vulcões fazem) para salvar o planeta e a espécie humana do aquecimento global!!

No Pólo Norte a neve derrete sim mas enquanto que no Pólo Sul ela aumenta, isto é previsível e chama-se Mudança dos Pólos, um acontecimento cíclico que acontece à milhares de anos!!



The Solar Radiation Management Governance Initiative from Environmental Defense Fund on Vimeo.

(Solar Radiation Management Governance Initiative) SRMGI Timeline:

SEPTEMBER 2009 The Royal Society launches its Geoengineering the Climate Report.

MARCH 2010 Launch of the Solar Radiation Management Governance Initiative.SRMGI partners participate in the The Asilomar International Conference on Climate Intervention Technologies sponsored by the Climate Response Fund.

JULY 2010 SRMGI steering group finalized.

NOVEMBER 8-9, 2010 The Royal Society to host Geoengineering – Taking control of our planet's climate at the Royal Society.

NOVEMBER 10-11, 2010 SRMGI Working group meeting at the Kavli Royal Society International Centre in England.

FEBRUARY 2011 Three subgroups of the Working Group produce discussion papers and disseminate to stakeholder partners.

MARCH 22-24, 2011 SRMGI Conference at the Kavli Royal Society International Centre in England. The conference will produce recommendations to guide SRM research.

2012 Phase II: Recommendations and conclusions will be discussed and implemented in scientific, civil society, government and private sectors.


Mas estes merdosos ainda não ouviram falar de uma coisa chamada ÁRVORES??????

5 cegos



E um dia um elefante passa na sua aldeia...e eles são avisados e então, cada um dos cegos toca uma parte do elefante - um a cauda, outro a tromba, outro a barriga, outro uma pata, outro ainda as orelhas...
E todos depois discutiram aquilo que "viram" - e todos tinham razão...

Assim é a parte da visão, que cada um de nós tem da nossa realidade, esse grande elefante...
Que de vez em quando passa na nossa aldeia...


Deixo-vos com esta Parábola Hindú:

Era uma vez seis cegos à beira de uma estrada.
Um dia, lá do fundo de sua escuridão, eles ouviram um alvoroço e perguntaram o que era.
Era um elefante passando e a multidão tumultuada atrás dele.
Os cegos não sabiam o que era um elefante e quiseram conhecê-lo.
Então o guia parou o animal e os cegos começaram a examiná-lo:
Apalparam, apalparam...
Terminado o exame, os cegos começaram a conversar:

— Puxa! Que animal esquisito! Parece uma coluna coberta de pêlos!
— Você está doido? Coluna que nada! Elefante é um enorme abano, isto sim!
— Qual abano, colega! Você parece cego! Elefante é uma espada que quase me feriu!
— Nada de espada e nem de abano, nem de coluna. Elefante é uma corda, eu até puxei.
— De jeito nenhum! Elefante é uma enorme serpente que se enrola.
— Mas quanta invencionice! Então eu não vi bem? Elefante é uma grande montanha que se mexe.

E lá ficaram os seis cegos, à beira da estrada, discutindo partes do elefante.
O tom da discussão foi crescendo, até que começaram a brigar, com tanta eficiência quanto quem não enxerga pode brigar, cada um querendo convencer os outros que sua percepção era a correta.

Bem, um não participou da briga, porque estava imaginando se podia registar os direitos da descoberta e calculando quanto podia ganhar com aquilo.

A certa altura, um dos cegos levou uma pancada na cabeça, a lente dos seus óculos escuros se quebrou ferindo seu olho esquerdo e, por algum desses mistérios da vida, ele recuperou a visão daquele olho.
E vendo, olhou, e olhando, viu o elefante, compreendendo imediatamente  tudo.

Dirigiu-se então aos outros para explicar que estavam errados, ele estava vendo e sabia como era o elefante.
Buscou as melhores palavras que pudessem descrever o que vira, mas eles não acreditaram, e acabaram unidos para debochar e rir dele.

Moral da história: 
Em terra de cego, quem tem um olho anda vendo coisas.
Quando algo é tido como verdade, o que é diferente parece mentira.
Problemas comuns unem.
Se você for falar sobre um bicho para uma pessoa que nunca viu um, melhor fazer com que ela o veja primeiro.

Os livros



Os livros estão sempre sós. 
Como nós. 
Sofrem o terrível impacto do presente. 
Como nós. 
Têm o dom de consolar, divertir, ferir, queimar. 
Como nós. 
Calam sua fúria com sua farsa. 
Como nós. 
Têm fachadas lisas ou não. 
Como nós. 
Formosas, delirantes, horrorosas. 
Como nós. 
Estão ali sendo entretanto. 
Como nós. 
No limiar do esquecimento. 
Como nós. 
Cheios de submissão ao serviço do impossível. 
Como nós. 

Ana Hatherly

Denis Mukwege



O Prémio Sakharov deu finalmente reconhecimento ao ginecologista Denis Mukwege.
E ele bem o merece!

Denis Mukungere Mukwege podia trabalhar nas melhores clínicas de Paris, Londres e Nova Iorque.
E ganhar fortunas.
Mas este ginecologista prefere viver no hospital de Panzi, em Bukavu, na República Democrática do Congo (RDC). 

É essa a sua casa desde 1999, o local onde, dia após dia, se supera e bate um macabro recorde mundial: mais de 45 mil vítimas de violação foram operadas por este médico a quem o Parlamento Europeu atribuiu o Prémio Sakharov, galardão que distingue pessoas e organizações que lutam pela "liberdade de espírito" e pelos direitos do homem.

No caso deste congolês de 59 anos, é imperioso falar-se dos direitos negados às mulheres, meninas e bebés que ele continua a assistir e a salvar. 
Afinal, limita-se a cumprir o juramento de Hipócrates, a fazer milagres médicos no pior país do mundo para o sexo feminino e a denunciar o horror da violação como arma de guerra. 

O pior é que as suas denúncias de pouco têm servido para eliminar este flagelo.

Em 2011, um estudo do American Journal of Public Health contabilizava um milhar de ataques sexuais por dia no antigo Zaire, quase meia centena por hora. 

Números brutais que Denis Mukwege prefere não discutir, preferindo antes descrever o sofrimento do mundo que conhece:
"Vi vaginas onde espetaram pedaços de madeira, de vidro, de aço. 
Vaginas laceradas por lâminas de barbear, por facas, por baionetas. 
Vaginas queimadas com borracha em brasa, com soda cáustica. 
Vaginas em que deitaram gasolina e depois pegaram fogo". 

Os seus relatos costumam ser assim porque ele sabe que essa é a única forma de despertar consciências.
Em 2012, foi à Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, com esse propósito.
Ao regressar a casa, foi alvo de um atentado que quase lhe custou a vida. 

Quis largar tudo e esteve três meses na Bélgica.
Mas não resistiu aos apelos dos seus compatriotas.
Voltou a Panzi mas os seus agressores ficaram impunes, com a conivência do Governo de Kinshasa. 

Em dezembro, foi o principal orador de um seminário do Banco Mundial, em Washington:

"As mulheres carregam a economia de África às costas. 
Se as quebrarmos física e psicologicamente, 
estaremos a perpetuar o ciclo da pobreza." 

Melhor que ninguém ele sabe do que fala.
Só lhe falta receber o prémio que há vários anos lhe escapa - o Nobel da Paz.


terça-feira, 28 de outubro de 2014

Filipe Catto - Ao Vivo - "Saga"

                                 


Ouçam este som!
Eu que não sou grande amante da música brasileira...achei um show!
É o novo Ney!


E agora, em dueto com Ana Carolina.
Vozes opostas uma à outra:


 

Asas e raizes!



Precisamos das raízes.
Existe um lugar no mundo onde nascemos, aprendemos uma língua, descobrimos como nossos antepassados superavam seus problemas.
Em um dado momento, passamos a ser responsáveis por este lugar.

Precisamos das asas.
Elas nos mostram os horizontes sem fim da imaginação, nos levam até nossos sonhos, nos conduzem a lugares distantes.
São as asas que nos permitem conhecer as raízes de nossos semelhantes, e aprender com eles.

MAKE LOVE NOT PORN!!!!



Most Men learnt about sex by watching Porn!!!!
And So many Women CAN NOT reach an Orgasm!!!!
Something is Wrong!

Kids are being "oriented" to sexual distortion all the time on TV, Cartoons and internet!!!!
Take an action, STAND FOR LOVE, just SAY THE TRUTH for You and for Youth generations!
Most Kids are being Sexually Taught by watching Porn on explicit or underlined messages on popular Cartoons like Family Guy, Internet videos, publicity that passes all the time on TV, it doesn´t matter the schedule...
.....Kids of 6,7,8-13 are being overwhelmed by sexual distortion on the most popular cartoons they watch!!!

As a mother and a Tantra & Meditation teacher, I´ve been watching how the distorted ideas about sex and love are being absorbed by young people, not to mention the huge distortion on adults and previous generations.

Use this for your children!
Having healthy conversations about sex, instead of ignoring and allowing youth generations be sexually taught by porn and Cartoons (all over on TV, internet, etc).
You know, kids believe they know it all due to this massive information about sex, they have access to all the info!!!
...So parents become like the Biology teacher that wants to teach about the "reproductive system" and the Human body.
Bla,bla, bla, they DON´T want to ear you!

It´s not about that!
It is about our responsibility and awareness towards Sex and Love.
When you watch any kind of sexual distorted idea, please CLARIFY that with your kids, tell them our society has some diseases.
Tell them THE TRUTH!....that DISTORTED sex and porn sell and are part of a money-industry that contamines all our society.
This is born out of castration, guilt, sin, shame and fear some religions have put and still put on Sex. These results in a disease on Humanity, with so many dramatic side effects!!!
This kind of SEX and PORN deviated into a BUSINESS!

It´s not about LOVE, beautiful sexual meeting, kindness or balanced human beings.
SEX CAN BE REALLY BEAUTYFUL, CAN BE LOVE, can be a door to Meditation, to the meeting of a soul mate!
THIS IS THE TRUTH!
HELP your children to become youth, young adults IN LOVE!
Even if they watch porn! They do and they will!
Just tell them the difference!!!! They will become aware...and so do you.
You may contribute to healthier human, sexual and lovable relationships!
Wake up. Change reality with awareness.

Shivani Tantra LoveWay

I Shouldn't Be Alive



I Shouldn't Be Alive é um programa transmitido pela Discovery Channel no qual testemunhas de acontecimentos de extrema sobrevivência relatam os acontecimentos das suas experiências.
Enquanto isso decorre um "filme", uma "encenação" produzida pela Discovery Channel para caracterizar as experiências.


I Shouldn't Be Alive is a documentary television series that airs on multiple networks in the United States, Canada, the U.K., the Netherlands, Australia, New Zealand, India, Iran, Pakistan, South Africa and the Philippines. I Shouldn't Be Alive is made by Darlow Smithson Productions, a UK-based production company.

The show features accounts of individuals and groups caught in dangerous scenarios, presented both through interviews and dramatic reenactments. The main focus is how the survivors survived and the decisions they made that kept them alive.

The series premiered on the Discovery Channel on October 28, 2005. Season 3 also airs in high definition on HD Theater. All episodes can now be seen in HD on DirecTV, Dish Network, or Verizon Fios. The show airs on Channel 7 in Australia and on Channel 4 in Britain.

On March 5, 2007, the Discovery Channel canceled[1] the series and made it part of the "Discovery Classics" series. The show was broadcast on the Science Channel starting in early 2008. It was picked up in 2010 by Animal Planet and new episodes started to air along with the old.

As of October 2012, production of the show is currently on hiatus. However, reruns of I Shouldn't Be Alive continue to air weekdays at 10AM (Eastern). As of February 2013 casting is occurring for the show through Animal Planet's website.

Season 1 (2005–06)

Episode 1 - "Shark Survivor"
In October 1982, 5 people got caught in a tropical storm. When their yacht sinks, they must survive in the middle of the Atlantic Ocean on a raft with no survival equipment. To their absolute horror, they find the area of the ocean to be infested with sharks. Survivor Deborah Scaling Kiley died on August 13, 2012.
Survivors: Brad Cavanagh and Deborah Scaling Kiley.
Deceased: Mark Adams, John Lippoth and Meg Mooney

Episode 2 "Lost in the Snow"
In late December 1992, Jim and Jennifer Stolpa, and their 5 month old son Clayton attempted to travel to a funeral. On the way there, they miss the sign that leads to the city and instead drive down an unplowed road into a remote region in Northern Nevada where they became stuck for 8 days until Jim walked to Vya, Nevada for rescue.
Survivors: James, Jennifer and Clayton Stolpa

Episode 3 "Escape from the Amazon"
In December 1981, Yossi Ghinsberg (Israeli), Kevin Gale (American), and Markus Stamm (Swiss), are three young friends who went to the Bolivian Amazon, where they encounter Karl Ruprechter, a man with promises of an Indian village. After a brief river rafting trip, Markus notices he has trench foot and the group splits up. Kevin and Yossi continue rafting while Markus and Karl hike back into the jungle, never to be seen again.
Survivors: Yossi Ghinsberg and Kevin Gale.
Missing: Markus Stamm and Karl Ruprechter

Episode 4 "Swept Away"
In November 1994, 2 friends by the name of Saul Kinderis and Larry Kaiser went kayaking in the Strait of Georgia. When the tide comes in, 1 friend (who was very inexperienced) falls from his kayak and fears that he will end up in the Pacific Ocean.
Survivors: Saul Kinderis and Larry Kaiser

Episode 5 "Kidnap in the Killing Fields"
In 1995, Chris Moon, a former British army officer involved in demining Mozambique, accidentally stepped on a landmine and blew off his leg. 2 years earlier, he was kidnapped by a murderous group of Khmer Rouge in Cambodia along with Mr. Houn and Mr. Sock. Chris now must help save the others with the only weapon he has: his mind.
Survivors: Chris Moon, Mr. Houn and Mr. Sock

Episode 6 "Jaws of Death"
In 2003, biologist Greg Rasmussen crashed his plane in the African savannah. With his legs broken in 6 different places and in a state of intense pain and loss of leg mobility, he has to make it alive past lions and other dangerous predators.
Survivor: Greg Rasmussen

Episode 7 "Trapped Under a Boulder"
In April 1997, Warren Macdonald headed for the remote island (Hinchinbrook Island) off the coast of Queensland, where he met Geert, a Dutch man on a deserted beach. Halfway up a mountain, a one ton slab of granite hits the environmentalist and pins him down to the bed of a creek. The Dutchman must find help for his new friend before the rain drowns him.
Survivors: Warren Macdonald and Geert van Keulen

Episode 8 "Ice Cave Survivor"
In January 1995, a U.S. Air Force officer and his son went on a skiing trip to Turkey. When a snowstorm arrives, they lose their way and the father must choose between staying with his son or finding help.
Survivors: Michael and Matthew Couillard

Episode 9 "Shipwrecked"
In 1995 2 cousins go on a fishing trip on the Gulf of California but a thunderstorm rolls in and they get shipwrecked on a deserted island.
Survivors: Mark Sorensen and Rob Rusnak

Episode 10 "Alaskan Avalanche"
In April 1989, Dave Nyman and Jim Sweeney are scaling a sheer ice-wall in an Alaskan mountain. Jim falls and is badly injured, and Dave is forced to ski down. Dave returns to Jim after a talk with some tourists and they both eventually survive 7 avalanches and a large crevasse together. A passing aircraft sees his SOS signal, but the pilot damages the landing gear while landing.
Survivors: David Nyman and James Sweeney

Episode 11 "Lost at Sea"
In September 1997, 2 friends, who sought to repair their relationship with their fathers, planned a fishing trip with their fathers in Mexico. However, an unexpected storm leaves them stranded in the middle of the Gulf of California.
Survivors: John and Jim Hawley; and Bill and Jens Lundy

Episode 12 "Crash in a Volcano"
In November 1992, 3 men, while filming a volcano from their helicopter, crashed after the helicopter lost control. Trapped in a crater of the Kilauea volcano and surrounded by unclimbable ridges and poisonous gases, they must send 1 of them to radio for help.
Survivors: Craig Hosking, Christopher Duddy and Mike Benson

Episode 13 "Lost in the African Bush"
In March 2000, 5 survivors of a private plane crash must survive the dangers of the desolate African wilderness. With 2 severely injured, some of the group must wander off to find rescue, but there's no civilization for hundreds of miles.
Survivors: Carl du Plessis, Neb Graorac, Mike and Lynette Nikolic, Costa Markanadatos (died years later in an unrelated flying accident)


Esta é a primeira série.
São seis!
A última é de 2011-12



I Shouldn't Be Alive Season 4, Episode 13 Hell in the Desert


segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Fidel e os seus milhões, em contas no exterior

Durante 17 anos, Juan Reinaldo Sanchés fez parte da guarda pessoal de Fidel Castro. 



Com o passar do tempo, tornou-se um dos seus mais próximos colaboradores: era ele quem tinha de anotar num diário tudo o que El Comandante fazia. 
Quando quis abandonar o círculo que o rodeava, caiu em desgraça: foi preso e torturado.

Após oito tentativas conseguiu fugir de Cuba para os Estados Unidos onde, este ano, lançou um livro com os detalhes da vida desconhecida de Fidel e as suas contradições com a ideologia comunista. 

De acordo com Juan Reinaldo Sanchés, El Comandante possui mais de 20 casas, incluindo uma ilha privada com tartarugas e golfinhos, só bebe leite fresco da sua vaca particular, grava todas as conversas no gabinete, esteve duas vezes às portas da morte e desviou milhões de dólares para contas por si controladas – para além de ser cúmplice com o tráfico de droga para os EUA. 

No dia em que ele está em Lisboa, a 24 de Outubro de 2014 a promover a edição do seu livro em Portugal, deixo aqui a entrevista que lhe foi feita há cerca de três meses e que foi a base para um artigo publicado na SÁBADO.





Quando se tornou guarda-costas de Fidel Castro?

A 1 de Maio de 1977. Antes tinha tirado um curso de dois anos numa escola de especialistas em segurança pessoal e já tinha uma experiência de nove anos em segurança pessoal, fazendo parte de outros “anéis” da segurança de Fidel.

Porque o escolheram?

Por causa do meu desempenho durante nove anos e pelos meus resultados na escola de especialistas em segurança pessoal. Já tinha cinturão negro em artes marciais e era campeão de tiro.

Como se tornou um dos mais próximos de Fidel no grupo de guarda-costas?

Não era o único mais próximo dele. Havia o chefe de equipa e o seu médico pessoal. Acontece que, como tinha a responsabilidade de escrever o diário pessoal de Fidel, isso aproximava-me bastante dele. Tinha de anotar tudo o que ele fazia desde que se levantava até que se deitava, quem via, com quem conversava, o que comia, por que vias circulava, etc. E para fazer essas anotações, devia estar sempre ao lado dele. Neste trabalho conheci diferentes presidentes que visitaram cuba entre 1977 e 1994 e também dirigente da esquerda latino-americana como Luís Gorvalán, do Chile, Schafik Jorge Handal, da FMLN de El Salvador, e Joaquín Villalobos, do Exército revolucionário do Povo.

No meu livro, que escrevi com a colaboração do jornalista francês Axel Guilden, conto a história de que Fidel Castro realizou várias reuniões em Cuba com estes homens de esquerda e comandantes guerrilheiros para utilizar em El Salvador a mesma estratégia que tinha desenvolvido na Nicarágua: a união das diferentes frentes guerrilheiras numa única grande ofensiva militar contra a capital. Mas Villalobos e Schafik nunca chegaram a acordo porque entre eles havia uma rivalidade pela liderança desta luta e nunca foi possível unirem-se para Fidel alcançar os seus objectivos

Quais eram as suas responsabilidades?

Primeiro tinha a responsabilidade da sua segurança. Depois tinha que escrever o seu diário pessoal. Além disso, durante alguns anos fui responsável pela preparação técnica, profissional e física dos outros membros da escolta. Fiz também parte da equipa avançada das viagens de Fidel Castro ao exterior e tornei-me responsável directo da segurança no estrangeiro a partir de 1989.  Numa dessas avançadas realizou-se a viagem ao Zimbabwe para a VIII cimeira dos países não alinhados em 1986. Conto como preparei várias casas que se compraram em dinheiro, assim como automóveis Mercedes e Toyotas para a segurança de Fidel durante a estada no país. Foi construído um refúgio na própria residência e uma sala de reuniões totalmente segura contra escutas estrangeiras. Esta operação, detalhada no livro, custou mais de dois milhões de dólares, para apenas uns dias de Fidel Castro neste país africano.

Toda a sua vida Fidel Castro afirmou que não tinha património. Isso é verdade?

Não. Fidel tem residências espalhadas por toda a ilha. Durante o meu trabalho conheci pessoalmente mais de 20 casas de uso exclusivo de Fidel, moradias que não são habitadas por mais ninguém. Além disso, Fidel tem marinas com iates, como aquela que fica a sul de Cienaga de Zapata, chamada Caleta del Rosário, onde trabalham mais de 100 homens como marinheiros, mecânicos navais, pessoal de serviço e guardas, apenas para uso exclusivo de Fidel. Ele tem também uma ilha privada a sul da Cienaga de Zapata, possui um iate de 80 pés de comprimento por 20 de largura e outros três iates mais pequenos de 54 pés de comprimento por 17 de largura. Como se isso não bastasse, tem também à sua disposição barcos de pesca de 60 metros de comprimento a pescar apenas para ele. Todas as embarcações estão na Marina Caleta del Rosário. Fidel é ainda proprietário de um couto de caça nos arredores da povoação de Los Palácios, na província de Pinar del Rio, onde, no Inverno, se dedica a caçar patos que emigram da Florida.

Revela também a existência da ilha de Cayo Piedra. Pode descrevê-la?

Na verdade são duas ilhas pequenas unidas por uma ponte com mais de 200 metros de comprimento. Esta ilha fica a sul da Ciernaga de Zapata, na província de Matanzas. Fidel habita uma casa que anteriormente pertencia a um faroleiro e que foi convertida num chalet. Tem pista de helicóptero, molhe para atracar os iates, um restaurante flutuante, criadores de tartarugas e até um delfinário, para além de uma residência para visitantes com piscina olímpica e outras instalações.

Fidel ia para lá com frequência?

Geralmente ia aos fins-de-semana no Verão e passava a maior parte de Agosto na ilha. Eu ia com ele na maioria das vezes porque fazia parte dos mergulhadores que pescavam com Fidel.

Ele levava a família ou ia sozinho?

Geralmente ia com a família, a mulher Dália e o seu filho mais pequeno, Angel. Os outros filhos iam uns dias mas saíam já que estavam a estudar ou simplesmente gostavam mais de passar as férias em Varadero, rodeados de outros jovens filhos de dirigentes. Quando Fidel levava algum convidado então ia sozinho. A sua esposa, Dália, nunca apareceu em público até se conhecer a doença de Fidel em 2008.

Tinha amantes? Levava-as para lá?

Geralmente a sua amante Juanita Vera ia à ilha quando Fidel convidava algum estrangeiro que falava inglês porque ela era a tradutora de Castro.

E os filhos?

Os cinco filhos com Dália (Alexis, Alex, Alejandro, António e Angel) iam regularmente à ilha. Mas os outros filhos (Fidel Castro Diaz Balart e Jorge Angel Castro) não iam com frequência. Só os vi lá em duas ou três ocasiões e sempre em separado.

O que faziam para passar o tempo?

Actividades próprias do mar, pesca submarina, pesca em barcos, nadar no mar alto, visitar outras ilhas da zona, etc.

Costumava levar convidados?

Os mais frequentes eram os seus amigos Gabriel Garcia Marquez e António Neñez Jimenez, assim como os seus familiares. Além deles também visitaram a ilha estrangeiros como o milionário Ted Turner e a jornalista Bárbara Walters.



Fala no iate Aquarama II. Pode descrevê-lo?

Foi fabricado em cuba com madeira preciosa enviada de Angola. O anterior, o Aquarama I, foi de um dirigente do governo anterior a 1959 e Fidel utilizou-o muitos anos até não poder navegar mais. Então mandou construir este, muito parecido com o anterior, mas com equipamentos de navegação mais modernos e uma estrutura mais aerodinâmica.

Fidel é um conhecido fã de desporto. Mas no livro diz que a pesca é o seu desporto favorito. Porquê?

Ele gosta imenso de pesca submarina. É o desporto que mais praticava durante o Verão. Mas no Inverno ia para o couto de caça particular, chamado La deseada.

Pode descrever o ritual da pesca submarina e o seu papel nessa actividade?

Fidel Castro pescava de uma forma pouco habitual. Entregávamos-lhe as armas de caça já carregadas e prontas para atirar. Ele disparava e quando um peixe ficava no arpão não o recolhia. Era um dos mergulhadores que o apanhava e levava para o barco. Fidel depois estendia a mão e outro mergulhador entregava-lhe um novo arpão pronto a disparar. O meu trabalho era apoiar estes mergulhadores e com uma espingarda submarina muito mais potente espantar os tubarões, barracudas e moreias que rodeavam Fidel Castro. Protegia-o desta forma quando estava na água.

Descreve Fidel como uma espécie de Luís XV. Porquê?

Porque tinha toda uma corte de servidores em seu redor, unicamente para o servir em todos os seus gostos e prazeres e porque tem condomínios e propriedades única e exclusivamente para seu uso pessoal, ilhas, iates, marinas, couto de caça, etc.

Como é possível que a existência da ilha se tenha mantido em segredo todos estes anos?

Porque tudo o que está relacionado com a vida pessoal de Fidel Castro sempre foi tratado em Cuba como um segredo de estado e apenas as pessoas escolhidas pelo próprio Fidel o podiam visitar.

Havia outros luxos?

Sim: vacas exclusivas para o leite que toma, fábricas de tabaco, iogurte, queijos, gelados, etc. Mas este aspecto está bem detalhado no livro já que se trata da vida oculta de Fidel.

Como era um dia normal?

Em Havana, levantava-se por volta das 13h ou 14h. A primeira coisa que fazíamos era dar-lhe “os telegramas”, ou seja, todas as notícias que saiam nas mais importantes agências de imprensa a nível mundial, juntamente com um relatório do ministério do interior, fundamentalmente da espionagem e contra espionagem, com o estado e desenvolvimento de actividades de espionagem em diferentes países, especialmente nos Estados Unidos e ainda outro relatório das forças armadas cubanas relativas às actividades das missões cubanas no exterior, seja em Angola, Nicarágua ou outro país.
Saia de casa de Punto Cero às 15h ou 16h, ia ao Palácio ou ao Ministério das Forças Armadas para ver Raul ou aos dois lugares. No Palácio recebia as pessoas que queriam vê-lo ou ele tinha interesse em ver, nacionais ou estrangeiros, assistia às reuniões programadas do partido, Estado ou governo.
Ao final da tarde ia visitar algum dignitário estrangeiro, ou então Garcia Marques ou Nuñez Jimenez nas suas casas.
Depois ia para a sua residência de Punto Cero já de madrugada.
Ficava lá ou saia com a mulher, Dália, para ver um filme no seu cinema particular que ficava a cerca de 1,5km de casa.

Mesmo em casa comiam como se estivessem num restaurante?

Na residência trabalham dois ou três cozinheiros e as refeições são feitas em função do que cada membro da família deseja comer. Este pedido é deixado na cozinha da residência por Dália no dia anterior, assinalando o que cada membro deseja comer ao pequeno almoço, ao almoço ou a comida e a que hora cada pedido deve estar pronto.

Falou em vacas exclusivas. O que quer dizer?

Na residência de Punto Cero há vacas, uma para cada membro da família. A destinada a Fidel é a número cinco. O leite é fresco, do dia. Mesmo quando Fidel viajava para o estrangeiro, um avião cubano ia ao encontro da delegação para enviar os telegramas e relatórios de que já falámos, assim como o leite, iogurte e vegetais que Fidel consumia.

É descrito como um indivíduo paranóico. Por quê?

Fidel quer mostra-se como uma pessoa calma e equilibrada e consegue-o em muitas ocasiões. Mas há momentos em que se mostra paranóico sobretudo no seu círculo mais intimo. Ninguém o pode contradizer, nem tem valor para o fazer – mesmo quando acha que ele está errado.

Ele grava todas as conversas?

Dentro de casa não sei. Grava as conversas telefónicas e também as da sua escolta. Para isso há, no perímetro de Punto Cero, uma pequena casa onde estão as equipas e membros da segurança que as manipulam a fim de ter todas as gravações que desejem. Dália sabe disto, uma vez que é ela quem dirige todo o que se relaciona com a residência e o pessoal que lá trabalha.

No seu gabinete no palácio, grava tudo. Desde as conversas com os visitantes, às que realiza por telefone. Há uma equipa de repórteres e gravadores. À frente desta equipa está Hilda Castro, uma antiga colaboradora de Fidel desde os anos 1960. Esta equipa faz também a transcrição das conversas telefónicas para quando Fidel as quiser ler.

Diz que os convidados estrangeiros eram vigiados pelos serviços de segurança. O que faziam concretamente?

Todas as pessoas de interesse, sejam presidentes, personalidades da cultura ou jornalistas, são vigiados constantemente pelos órgãos da contra-inteligência. Seja nas suas residências em Cuba ou quando estão a circular pelas ruas da cidade. Os relatórios são guardados e usados por Fidel num momento que considere oportuno.

Conta também que um diplomata francês apanhado no tráfico de arte se converteu num espião cubano?

Soube disto através de um relatório que a espionagem cubana enviou a Fidel sobre o caso dele.

Muitas vezes o mundo não conhecia o verdadeiro estado de saúde de Fidel. Como fazia para o ocultar?

Era um segredo de estado. Quando ele esteve internado em 1983 e 1993, vítima da doença que mais tarde o afastou do poder em 2006, nós na escolta fazíamos trabalhos de desinformação que consistia em utilizar um membro da escolta chamado Silvino Alvarez e disfarçá-lo com o uniforme de Fidel e uma barba postiça. Este duplo era utilizado à distância das pessoas, ou seja não era para o substituir numa reunião ou num discurso. Só o fazíamos quando o colocávamos no automóvel pessoal de Fidel e o passeávamos por Havana enquanto Fidel estava internado na sua clínica, com o objectivo de dar a impressão de que Fidel continuava a fazer a vida normal.

Qual era a relação dele com Angola?

Sempre disse que de Angola levaria só os mortos. No livro conto como foram parar a cuba madeiras preciosas e diamantes de Angola. E, no caso dos diamantes, como Fidel os recebeu em mão e também como desde a sede do ministério das Forças Armadas dirigiu toda a guerra neste país africano.

Ele tinha empresas e contas em bancos?

Sim, criou sociedades anónimas nos anos 1980 e que não estavam subordinadas à economia nacional: apenas ao conselho de estado, de forma a que os lucros dessas empresas fossem parar directamente às mãos de Fidel Castro. E sim, tinha contas em bancos mas só Fidel podia dispor delas. Empresas como a Coorporación Cimex, Cubalse, Cubanacán, etc. No livro conto como em várias ocasiões vi Abrahan Masique, então director de Cubanacán SA, entregar a Fidel Castro um milhão de dólares proveniente dos lucros de Cubanacán. Milhões que ele mandou um ajudante colocar em contas no exterior.

Porque deixou a escolta?

Em 1989 ouvi uma conversa (tal como os microfones do gabinete) entre Fidel Castro e o seu ministro do interior relacionado com o tráfico de droga. Aí dei-me conta que Fidel dirigia e sabia de tudo o que estava relacionado com a droga. Nesse momento senti-me enganado e defraudado por Fidel e pela revolução e estabeleci como objectivo sair. Mas tive de esperar até 1994, ano em que tinha todas as condições para pedir a reforma. Quando chegou a essa data pedi-a e Fidel enviou-me para a prisão. Passei dois anos detido, nas condições normais em Cuba: má alimentação, abusos por parte dos guardas, má higiene, etc.

Como foi para os Estados Unidos?

Quando saí da prisão, em 1996, comecei a tentar sair ilegalmente de Cuba, mas todas as tentativas foram infrutíferas até ao ano 2008 em que consegui sair ilegalmente através do México e daí para os Estados Unidos.

Porquê escrever este livro?

Porque o mundo deve conhecer quem é verdadeiramente Fidel Castro.
E não é o Fidel Castro que o próprio Fidel e o governo cubano trataram de promover pelo mundo. Todos os livros sobre Fidel partem da informação dada por ele próprio ou pelo governo. Assim vemos os livros Um Grão de Milho, escrito por Tomás Borge, Fidel e a religião, de Frei Betto, e 100 horas com Fidel Castro, de Ignacio Ramonet. Todos partem de entrevistas a Fidel.

Na prisão dei-me conta de toda a informação que possuía e estabeleci o objectivo de dar a conhecer ao mundo o verdadeiro Fidel Castro.
Fui tirando essa informação de Cuba por diferentes vias: na memória, em CD, em documentos e fotografias, de forma a que quando cheguei aos EUA tinha 90% da documentação que precisava. Posteriormente, em Miami, continuei a sacar informação valiosa de Cuba, o que me ajudou muito não só a escrever o livro como a provar o que dizemos.
Este livro é o primeiro que aborda a vida privada de Fidel Castro, escrito por um testemunho presencial dos acontecimentos que ele trata.
Daí a importância da obra.


Fonte: O Informador




No livro "A Face Oculta de Fidel Castro" o antigo guarda-costas do líder histórico cubano relatou incompatibilidades com o general Ochoa, que um mês depois de ter sido criticado pelo curso da guerra em Angola acaba fuzilado.

"No Palácio ou no 'war room' ouvi Fidel fazer a Raúl Castro observações do tipo: 'o Ochoa está a dar sinais de incapacidade', o 'Ochoa não se apercebe da realidade', ou ainda 'Ochoa já não tem os pés na terra'", relatou Juan Reinaldo Sanchéz, que vive exilado em Miami, Estados Unidos.

Herói da Revolução cubana, membro destacado da resistência contra Fulgêncio Batista, além de ter participado com Che Guevara na formação de grupos de guerrilha no Congo e mais tarde na Venezuela, Ochoa foi um elemento essencial no envio de tropas cubanas para Angola em 1975, comandou as forças expedicionárias na Etiópia em 1977-1978 e foi, a mando de Fidel, conselheiro especial do ministro da Defesa da Nicarágua.

Após dois grandes desastres militares soviéticos em Angola, Ochoa é enviado para o terreno, onde participa na batalha do Cuito Cuanavale, contrariando muitas vezes as ordens diretas do próprio chefe de Estado cubano.

Em janeiro de 1988, em plena batalha do Cuito Cuanavale, o general Ochoa, caído em desgraça, é chamado a Havana, tendo sido fuzilado um mês de depois, acusado de tráfico de droga.

Segundo o autor do livro, Ochoa acaba por ser o bode expiatório daquilo que poderia transformar-se num escândalo com proporções internacionais e que envolvia o próprio Fidel Castro em esquemas de tráfico de droga como meio de financiamento da revolução.

O livro que dedica um capítulo à participação de Cuba na guerra em Angola não deixa de notar as capacidades militares de Fidel.

"O feito é extraordinário, pelo que merece ser sublinhado: durante toda a guerra, Fidel dirigiu as operações militares a partir de Havana, quase do outro lado do mundo. Era vê-lo entregue ao trabalho, o estratego no 'war room', rodeado de mapas do Estado-Maior e de maquetas de campos de batalha" recordou o antigo guarda-costas do presidente sobre os meses em que se travou uma das mais importantes batalhas travadas no continente africano.

Em Cuito Cuanavale, Angola, registou-se o confronto final "entre Cuba e a África do Sul" durante seis meses, de setembro de 1987 a março de 1988, resultando num impasse em que ambas as partes reivindicam a vitória mas os sul-africanos admitiram que jamais derrubariam "o governo marxista" militarmente.

"Aceitaram negociar a paz nos seguintes termos: Fidel repatriaria o seu exército para Cuba, sob a condição de que o South African Defense Force (SADF) deixasse a Namíbia e outorgasse a independência total àquela ex-colónia alemã que desde 1945 se encontrava sob protetorado sul-africano", recordou Sánchez.

Pouco depois, é proclamada a independência da Namíbia e na "mesma época o regime racista de Pretória" foi levado a fazer outras concessões, como a libertação de Nelson Mandela.

"Três anos mais tarde, Nelson Mandela declarou:
'Cuito Cuanavale pôs fim ao mito da invencibilidade do opressor branco. Foi uma vitória para toda a África", recordou Sánchez.

O guarda-costas de Fidel Castro referiu-se ainda à "Operação Carlota": a ponte aérea e marítima entre Havana e Luanda em 1975 a pedido de Agostinho Neto, que tinha conhecido Che Guevara dez anos antes no Congo.

No outono de 1975 na véspera da independência milhares de soldados cubanos estão já estacionados em Angola sem que Fidel tenha informado Moscovo das "grandes manobras" africanas.

Em 1980, "após a morte natural de Agostinho Neto", a situação complica-se com a invasão norte-americana de Granada onde são capturados 638 cubanos e depois em Angola, onde os sul-africanos relançam a ofensiva militar no sudeste do país.

"No terreno as baixas não param de aumentar. Decorridos dez anos do início do conflito, as mães cubanas vivem com um medo permanente", escreveu Sánchez referindo que "ao todo" as baixas de Havana em Angola atingiram os 2.500 mortos.

No livro Sanchéz contou que assistiu às divergências entre cubanos e soviéticos sobre o curso da guerra e as críticas de Fidel contra as más decisões de Moscovo no teatro de operações.


Fonte:Lusa



O que Mandela devia a Fidel: a vitória !
Fidel derrotou a CIA e os racistas em Angola e abriu espaço político para Mandela.

Atilio A. Boron, do jornal Pagina12, da Argentina , lembra a dívida de Mandela a Fidel.

E que Mandela, como Dirceu e Genoino, aderiu à luta armada e, por isso, foi condenado à prisão perpétua.

Portanto, antes que o PiG (*) faça do Mandela o que tentou fazer do Déda – um bonitão, conciliador, que adorava ler poesia para as mulheres, e omitir sua historia trabalhista, ortodoxa …- vale a pena ir … à Argentina !

MANDELA Y FIDEL


Por Atilio A. Boron *

La muerte de Nelson Mandela precipitó una catarata de interpretaciones sobre su vida y su obra, todas las cuales lo presentan como un apóstol del pacifismo y una especie de Madre Teresa de Sudáfrica.

Se trata de una imagen esencial y premeditadamente equivocada, que soslaya que luego de la matanza de Sharpeville, en 1960, el Congreso Nacional Africano (CNA) y su líder, precisamente Mandela, adoptan la vía armada y el sabotaje a empresas y proyectos de importancia económica, pero sin atentar contra vidas humanas.

Mandela recorrió diversos países de Africa en busca de ayuda económica y militar para sostener esta nueva táctica de lucha. Cayó preso en 1962 y poco después se lo condenó a cadena perpetua, que lo mantendría relegado en una cárcel de máxima seguridad, en una celda de dos por dos metros, durante 25 años, salvo los dos últimos años en los cuales la formidable presión internacional para lograr su liberación mejoraron las condiciones de su detención.

Mandela, por lo tanto, no fue un “adorador de la legalidad burguesa”, sino un extraordinario líder político cuya estrategia y tácticas de lucha fueron variando según cambiaban las condiciones bajo las cuales libraba sus batallas.

Se dice que fue el hombre que acabó con el odioso “apartheid” sudafricano, lo cual es una verdad a medias. La otra mitad del mérito les corresponde a Fidel y la Revolución Cubana, que con su intervención en la guerra civil de Angola selló la suerte de los racistas al derrotar a las tropas de Zaire (hoy, República Democrática del Congo), del ejército sudafricano y de dos ejércitos mercenarios angoleños organizados, armados y financiados por EE.UU. a través de la CIA.

Gracias a su heroica colaboración, en la cual una vez más se demostró el noble internacionalismo de la Revolución Cubana, se logró mantener la independencia de Angola, sentar las bases para la posterior emancipación de Namibia y disparar el tiro de gracia en contra del “apartheid” sudafricano. Por eso, enterado del resultado de la crucial batalla de Cuito Cuanavale, el 23 de marzo de 1988, Mandela escribió desde la cárcel que el desenlace de lo que se dio en llamar “la Stalingrado africana” fue “el punto de inflexión para la liberación de nuestro continente, y de mi pueblo, del flagelo del apartheid”.

La derrota de los racistas y sus mentores estadounidenses asestó un golpe mortal a la ocupación sudafricana de Namibia y precipitó el inicio de las negociaciones con el CNA que, a poco andar, terminarían por demoler al régimen racista sudafricano, obra mancomunada de aquellos dos gigantescos estadistas y revolucionarios. Años más tarde, en la Conferencia de Solidaridad Cubana-Sudafricana de 1995 Mandela diría que “los cubanos vinieron a nuestra región como doctores, maestros, soldados, expertos agrícolas, pero nunca como colonizadores. Compartieron las mismas trincheras en la lucha contra el colonialismo, subdesarrollo y el “apartheid”… Jamás olvidaremos este incomparable ejemplo de desinteresado internacionalismo”. Es un buen recordatorio para quienes hablan de la “invasión” cubana a Angola.

Cuba pagó un precio enorme por este noble acto de solidaridad internacional que, como lo recuerda Mandela, fue el punto de inflexión de la lucha contra el racismo en Africa.
Entre 1975 y 1991, cerca de 450.000 hombres y mujeres de la isla pararon por Angola jugándose en ello su vida. Poco más de 2600 la perdieron luchando para derrotar el régimen racista de Pretoria y sus aliados. La muerte de ese extraordinario líder que fue Nelson Mandela es una excelente ocasión para rendir homenaje a su lucha y, también, al heroísmo internacionalista de Fidel y la Revolución Cubana.

* Director del PLED, Centro Cultural de la Cooperación Floreal Gorini.


(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.


Morreram milhares de angolanos na violenta guerra contra os Sul-africanos e não foi apenas a presença das tropas cubanas que mudou o curso da história na Africa Austral.
Agostinho Neto considerou que “no Zimbabwe, na Namíbia, e na África do Sul, está a continuação da nossa luta”.
Angola acolheu o ANC, a SWAPO e outros no seu território e pagou um elevado preço por isso.
Até hoje, a África do Sul não se predispôs a pagar as destruições avultadas às infraestruturas que atrasaram o seu desenvolvimento.
Nelson Mandela esteva preso enquanto a luta se desenrolava com Oliver Tambo e outros, enquanto Angola e Moçambique conquistavam as suas independências.
Mandela viveu de longe todo esse período.
No entanto a sua primeira viagem oficial como PR foi à Angola.
Depois afastou-se ou terá sido afastado, já que foi-se tornando a bandeira daqueles que o condenaram a prisão perpétua.
Mandela foi da luta armada contra a ditadura, recebeu apoio dos comunistas, éra amigo de Fidel Castro e Lula, foi chamado de terrorista pelos americanos...
Se Angola tivesse caído, as ditaduras racistas teriam se espalhado por todo o sul da Africa, e Africa do Sul, Botwasna, Zimbabwe, Angola, seriam todos grandes campos de escravos negros trabalhando em correntes para os senhores brancos europeus.

Mas, que interesses estão por detrás disto tudo?
Diamantes, tráfico de armas, tráfico de droga, muitos jogos de interesses e muitos milhões para os dois...e a liberdade de Mandela!

A Teoria de Tudo - Trailer Oficial




A Teoria de Tudo baseia-se no livro de memórias “Travelling to Infinity: My Life with Stephen,” de Jane Hawking.

A filme contará sobre o relacionamento do famoso físico Stephen Hawking (interpretado por Eddie Redmayne) com sua esposa Jane (vivida por Felicity Jones), desafiado pela doença de Hawking, portador de esclerose lateral amiotrófica.

Stephen William Hawking, (Oxford, 8 de Janeiro de 1942) é um físico teórico e cosmólogo britânico e um dos mais consagrados cientistas da actualidade. 
Doutor em cosmologia, foi professor lucasiano de matemática na Universidade de Cambridge, onde hoje se encontra como professor lucasiano emérito, um posto que foi ocupado por Isaac Newton, Paul Dirac e Charles Babbage.
Actualmente, é director de pesquisa do Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica (DAMTP) e fundador do Centro de Cosmologia Teórica (CTC) da Universidade de Cambridge.

Hawking é portador de esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma rara doença degenerativa que paralisa os músculos do corpo sem, no entanto, atingir as funções cerebrais, sendo uma doença que ainda não possui cura.

A doença foi detectada quando tinha 21 anos. 
Em 1985 teve que submeter-se a uma traqueostomia em decorrência do agravamento da ELA (ALS, sigla em inglês) após ter contraído pneumonia e, desde então, utiliza um sintetizador de voz para se comunicar.
Gradualmente, foi perdendo o movimento dos seus braços e pernas, assim como do resto da musculatura voluntária, incluindo a força para manter a cabeça erguida, de modo que sua mobilidade é praticamente nula.

No seu mais recente e polémico livro "The Grand Design", Stephen Hawking muda suas antigas declarações sobre a ideia de um criador e afirma que "Deus não tem mais lugar nas teorias sobre criação do universo, devido a uma série de avanços no campo da física".
No livro, afirma que "Por haver uma lei como a gravidade, o universo pode e irá criar a ele mesmo do nada. 
A criação espontânea é a razão pela qual algo existe ao invés de não existir nada, é a razão pela qual o universo existe, pela qual nós existimos", dizendo que o Big Bang foi simplesmente uma consequência da lei da gravidade.
Hawking também cita a descoberta, feita em 1992, de um planeta que orbita uma estrela fora do Sistema Solar, como um marco contra a crença de Isaac Newton de que o universo não poderia ter surgido do caos.

Os principais campos de pesquisa de Hawking são cosmologia teórica e gravidade quântica. 
Em 1971, em colaboração com Roger Penrose, provou o primeiro de muitos teoremas de singularidade; tais teoremas fornecem um conjunto de condições suficientes para a existência de uma singularidade no espaço-tempo.
Este trabalho demonstra que, longe de serem curiosidades matemáticas que aparecem apenas em casos especiais, singularidades são uma característica genérica da relatividade geral.

Hawking também sugeriu que, após o Big Bang, primordiais ou miniburacos negros foram formados. Com Bardeen e Carter, ele propôs as quatro leis da mecânica de buraco negro, fazendo uma analogia com termodinâmica.
Em 1974 calculou que buracos negros deveriam, termicamente, criar ou emitir partículas subatómicas, conhecidas como radiação Hawking, além disso, também demonstrou a possível existência de miniburacos negros.
Hawking também participou dos primeiros desenvolvimentos da teoria da inflação cósmica no início da década 80 com outros físicos como Alan Guth, Andrei Linde e Paul Steinhardt, teoria que tinha como proposta a solução dos principais problemas do modelo padrão do Big Bang.

O asteróide 7672 Hawking é assim chamado em sua homenagem.


Prémios, títulos e medalhas

1975 – Medalha Eddington
1976 – Medalha Hughes
1979 – Medalha Albert Einstein
1982 – Ordem do Império Britânico (Comandante)
1985 – Medalha de Ouro da Royal Astronomical Society
1986 – Membro da Pontifícia Academia das Ciências
1988 – Prémio em Física da Fundação Wolf
1989 – Prémio "Príncipe das Astúrias" da Concórdia (contribuição à paz, entendimento, etc.)
1989 – Título de "Companheiro de Honra", da Rainha Elizabeth II
1994 - Participou da musica Keep Talking,"The Division bell" do Pink Floyd ,como fã da banda.
1999 – Prémio "Julius Edgar Lilienfeld" da Sociedade Americana de Física
2003 – Prémio "Michelson Morley" da Case Western Reserve University
2006 – Medalha Copley da Royal Society
2009 – Medalha Presidencial da Liberdade
2012 - Fundamental Physics Prize