sexta-feira, 21 de maio de 2010

Mulher



" A MULHER madura é uma mulher sensível, mas ao mesmo tempo uma verdadeira guerreira.
É forte mas é feminina, porém, muitos não possuem a sensibilidade para perceber tal beleza.
Mas aqueles que descobrem...preferem morrer nos braços dessa tal mulher, que não é Doce, mas que, simplesmente é puro Mel."

A dor



" Somos o nosso passado, e ignorá-lo ou escondê-lo é uma forma de cobardia. 
As lágrimas têm um efeito curativo, e sem dor nada se trata! 
A dor tem vida própria, e só o tempo e a generosidade da existência a podem apagar."

Porquê ficar junto?



As pessoas ficam juntas pelas razões erradas, para esquecer outras pessoas, para mudar de vida, porque acham que chegou a altura de fazer o que todos esperam que se faça.
Raramente ficam juntas de uma forma livre e totalmente sincera.
Raramente se unem de uma forma pura e verdadeira, por AMOR!
O que ficou por dizer é bem pior do que tudo o que se disse!
Deixa-se subentendido aquilo que é demasiado duro para ser dito.
Há discussões que, por mais violentas que sejam, sabemos que depois se dissipam.
E há outras que mudam para sempre a nossa vida.


Como diz Vinicius de Moraes:

Eu quis amar mas tive medo
e quis salvar meu coração
mas o amor sabe o segredo
o medo pode matar seu coração.


O medo, essa força misteriosa, que nos rouba a alegria e o sonho. 
É como um terreno minado: nunca o atravessamos, mesmo que do outro lado estejam todos os nossos desejos...

Saber sair da vida dos outros



A nossa auto-generosidade empurrar-nos-á a sair da vida das pessoas que não nos respeitam porque, acima de tudo, nunca devemos perder o nosso próprio respeito, o nosso valor, a nossa identidade, a conformidade connosco.
Não confundamos generosidade com autodestruição.
Quando perante nós, temos seres que não nos respeitam, que parecem desfrutar do nosso sentimento, que têm atitudes vexatórias, que só procuram a nossa humilhação...nesses momentos devemos olhar-nos por dentro, pegar em toda a nossa energia e determinação e PARTIR!
Sair da vida dos que não sabem viver!

quinta-feira, 20 de maio de 2010

O Caminho faz-se caminhando




Caminante, son tus huellas
el camino, y nada más;
caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.
Al andar se hace camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.
Caminante, no hay camino,
sino estelas en la mar.

António Machado


Depois de ler este poema, digo todos os dias:
PASSO A PASSO, 
O CAMINHO FAZ-SE CAMINHANDO! 


Esta é a questão da prioridade de essência/existência.

Reflectindo sobre a caminhada na minha vida, cheguei à conclusão que não estava a viver, estava a sobreviver: acordava de manhã para ir trabalhar, fazia um trabalho que não gostava em troca de dinheiro, estava refém de uma prestação de casa e de carro, descansava quando o patrão me deixava, ia de férias quando o patrão estipulava, tinha de fazer horas extra sem opção de escolha e sem ganhar mais por isso... A certa altura, senti que estava a asfixiar, dormia mal, e a hora tinha chegado: aquela hora que sentimos que alguma coisa na nossa vida vai ter de mudar!

E foi aí que tudo mudou na minha vida!

Onde queremos chegar?

Qual o caminho a fazer para lá chegar?

E quando li este poema, deste poeta sevilhano maravilhoso, eu percebi que muitas vezes valorizamos o fim e não vemos a beleza do caminho. Queremos saber se acabamos a licenciatura, se vamos ter um bom emprego, comprar a casa dos nossos sonhos, um bom carro, sempre com os olhos postos num futuro que nunca vem. Quando entramos neste frenesim, a vida escapa-nos por entre os dedos. Qual é a importância das conquistas e das derrotas, em relação ao caminhar, preparar, estudar e viver até lá chegar? Deixamos o mais importante passar ao lado e vivemos um extase passageiro.

Hoje eu sei que tenho de viver o presente com mais intensidade, sem deixar que os meus olhos no futuro, roubem a minha capacidade de aproveitar cada momento!

Quando eu era criança, vivia no campo, o mundo era mais colorido e a vida era mais divertida.

E eu vi que agora adulta, eu deixei de valorizar cada caminho, cada cheiro, cada sensação.

Ensinaram-me a valorizar uma licenciatura, um bom emprego, uma boa casa e um bom carro. Desde então, eu esqueci-me de como é bom aproveitar a vida: andar devagar pelas ruas, sair de casa quando está a chover sem me preocupar com o cabelo, calçar e vestir o que me apetecer, viajar sem destino e sem dia para voltar (Shakespeare, um sábio, dizia " se tu não sabes para onde vais, qualquer caminho serve" ).

Quando eu era criança todos os caminhos eram cheios de emoção e descobertas. Mas tudo isto faz parte de um passado, é um museu no meu cérebro. São pedaços da minha história...daí para a frente pintei tudo de cinza...

E agora?

Sei que quero voltar a caminhar...sem rumo, sem tempo. Quero sentir o cheiro, o sabor, o calor

Não sou apologista de um mundo sem ambição: não há nada de errado de sonhar, ter a nossa casa, o nosso carro, mas que isso não se transforme numa armadilha, que não vire uma disputa com os outros. Que seja para nós, para o nosso equilíbrio, para o nosso bem estar.

O importante é ser feliz! O que é que me faz feliz? Nada é irreversível!

Mais importante do que a chegada é o caminhar!!

Já dizia Moska 
" Então me diz qual é a graça, de já saber o fim da estrada, quando se parte rumo ao nada..." 

Qual o sentido de nos preocuparmos mais com a chegada, se a beleza está na caminhada...Isso não quer dizer que não pense no meu futuro, simplesmente devo prestar mais atenção ao trajecto, aproveitar intensamente os prazeres encontrados ao longo da caminhada.

Chega sempre uma altura na nossa vida, em que temos de escolher um caminho a seguir, ou mais tarde, mudar de caminho. Não dá para ficar no mesmo sítio! É como estar no meio de um cruzamento e temos de decidir que caminho seguir. Uma vez tomada a decisão. é preciso seguir em frente, confiar no nosso coração, e esquecer o caminho que ficou para trás.

Decidi viver um dia de cada vez, viver intensamente cada momento, parar para sentir, curtir, perceber...

Acabo com Martha Medeiros:

"Sentir é um verbo que se conjuga para dentro, ao contrário do Fazer, que é conjugado para fora. Sentir alimenta, ensina, acalma. 
Fazer é muito barulhento"

As crianças sentem mais do que fazem.
Por isso são tão felizes.
Acho que é por isso que nos lembramos da nossa infância com tanta saudade!!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Viver




Viver,
Com entusiasmo e,
Muita Paixao...
Não há nada de nobre em ser superior a outra pessoa.
A verdadeira nobreza está em ser superior 
a tua anterior personalidade.
O que quero dizer é que,
se queres melhorar a tua vida
e viver com tudo aquilo que mereces
tens de gerir a tua vida por ti própria.
Não importa o que os outros vão pensar de ti!
O que importa é o que pensas de ti mesma!
Não te preocupes com a opinião dos outros,
desde que saibas que estás a tomar a atitude certa.
É tudo uma questão de ATITUDE!!!!
Faz o que quiseres,
desde que esteja de acordo com a tua consciência 
e com o teu coração.
Nunca tenhas vergonha de fazer a coisa certa;
Decide o que é bom para ti e, assume-o.
Agora, nunca, mas mesmo nunca
adquiras o péssimo habito
de medires o teu valor pelos padrões das outras pessoas.
Todos os segundos que gastas
a pensar nos sonhos dos outros
estás a desperdiçar tempo precioso
para concretizares os teus próprios sonhos!!!!!

Vive o agora,
desliga-te do passado
saboreia o presente
aprecia a viagem
e vive cada dia como se fosse o ULTIMO.

Nunca te esqueças,
que é importante viver
com entusiasmo
e PAIXÃO 
por tudo nesta vida!

Vive a Vida!!
Vive a TUA vida!!!

Amar-te




"Existe um lugar no meu coração que insiste em só querer o teu amor...
Por maior que seja o meu coração,
o seu espaço destinado ao amor é só teu,
e eu não posso fazer nada para mudar esse sentimento.

Tu entràste na minha vida de uma maneira tão suave,
tão branda, que acabàste por preencher os espaços,
sem me deixar opção para escolher.

Fiquei entre te amar, ou amar-te.
Resolvi amar-te!

Amar-te é entregar todos os meus sonhos e dividi-los contigo
Amar-te é pegar nos teus sonhos e dividi-los comigo
Amar-te é ansiar pelo teu regresso,
e mesmo longe sentir a tua presença

Amar-te é respeitar o teu silêncio,
com a certeza de que estou dentro dele
Amar-te é deixar-te livre para ir, voltar e estar sempre aqui

Amar-te é o respeito pelos teus ideais,
é a compreensão que dividimos, até naquilo que não concordamos
Amar-te é simplesmente mais profundo que te amar
Amar-te é todo um compromisso, é toda uma entrega.

Amar-te é vida, é emoção, é desejo, é cumplicidade
Amar-te é a certeza de que o tempo vai passar,
as emoções vão-se modificar,
mas eu vou continuar a amar-te, porque
Amar-te é uma razão que não vem apenas da emoção,
mas da certeza de que somos cumplices desse amor,
que ultrapassa os limites da paixão"










És talvez...faz-me sentir...




Sinto que me perco em ti,
entro e passo entre os teus dedos
sem ao menos sentir quem és.
Porque me invades a alma?
Quem és?
És talvez quem nunca pensei encontrar,
és a poesia que me arrasta na vida
e que quero abraçar como quem abraça quem ama...
Porque não falas?
É tão dificil acreditar que existes em mim e eu em ti,
e que no entanto,
te perco sempre que te encontro.

Que aparição cruel e saborosa és tu?
És talvez o ser que me guiará na escuridão
do mundo perdido das fadas em que ambos vivemos,
mas onde a luz apenas incide sobre elas e nunca em nós.

Talvez sim...Talvez sejas...

E andas por aí, deambulando pelo espaço
ao sabor de todo o meu corpo,
enquanto vou procurando o teu...
Não importa...
dá-me apenas o sorriso infinito e real para te conhecer...

Faz-me sentir reais os sonhos
que me invadem a vida como quem não perdoa,
como quem se esquece de outros seres além de mim...
Faz-me ver as sombras claras
que vês em doces loucuras de paixão ardente,
torna-me tu sem o ser...


Faz-me conseguir e não desistrir...
Faz-nos sentir o que não sentimos...
Faz-nos ir bem mais longe...sê simplesmente quem escondes,
mostra-te para mim
como um dia me mostrarei para ti fazendo com que te ame...


Sou livre como tu,
somos ambos o amor que não sentimos e nos faz sonhar!
Por isso não estamos juntos...


desconhecido

Amar




Tú sabes amar?

Yo estoy aprendiendo...
Estoy aprendiendo a aceptar a las personas,
aun cuando ellas me decepcionan.
Cuando huyen del ideal que tengo para ellas.
Cuando me hieren com palabras o acciones impensadas.

Es difícil aceptar a las personas como son
y no como yo deseo que sean.
És dificil, muy difícil,
pero estoy aprendiendo...

Estoy aprendiendo a amar,
estoy aprendiendo a escuchar,
escuchar co los ojos y oídos,
escuchar con el alma.
Escuchar lo que dice el corazón,
lo que dicen los hombros caídos, los ojos,
las manos inquietas.

Escuchar la mensaje que se esconde entre las palabras superficiales.
Descubrir la angustia disfrazada,
la inseguridad enmascarada,
la soledad encubierta.
Penetrar la sonrisa fingida, la alegria simulada,
la vangloria exagerada.
Descubrir el dolor de cada corazón!

Poco a poco,
estoy aprendiendo a amar.

Estoy aprendiendo a perdonar.
Porque el amor perdona,
lanza fuera las tristezas,
e cura las cicatrices que la imcomprensión
y la insensibilidad grabaron en el corazón herido.

El amor no alimenta heridas con pensamientos dolorosos,
no cultiva ofensas con lástimas e autocompasión.
El amor perdona, olvida,
extingue todos los trazos de dolor en el corazón.

Paso a paso,
estoy aprendiendo a perdonar, a amar,
estoy aprendiendo a descubrir el valor
que se encuentra dentro de cada vida,
de todas las vidas.

Estoy aprendiendo
a ver en las personas su alma
e las posibilidades que Dios les da.

Estoy aprendiendo pero,
qué lento es el aprendizaje!
Qué difícil es amar incondicionalmente!

Todavía tropezando,
cometiendo errores,

estoy aprendiendo...

Lições




Depois de algum tempo a gente aprende a diferença,
a subtil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.
E começa a aceitar as nossas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante,
com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo a gente aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto nos importemos,
algumas pessoas simplesmente não se importam...


E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e precisamos de perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que leva-se anos para construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que podemos fazer coisas num instante,
das quais nos arrependeremos pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que tem na vida, mas QUEM tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que o seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada,
e terem bons momentos juntos.


Descobre que as pessoas com quem mais se importa na vida
são-lhe retiradas muito depressa -
por isso, devemos sempre deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, porque
pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser,
e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde vai;
mas se não sabe para onde vai, qualquer lugar serve.
Aprende que, ou controla seus actos ou eles o controlarão;
que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as consequências.


Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes, a pessoa que espera que o pise quando cai,
é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que se aprendeu com elas,
do que com quantos aniversários já celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em si do que supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são disparates...
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama como gostaria,
não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes tem de aprender a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
será em algum momento condenado.


Aprende que não importa em quantos pedaços o seu coração foi partido,
o mundo não pára para que seja concertado.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto, plante o seu jardim e decore a sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.


E, finalmente, aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte,


e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!


W. Shakespeare